Banca de DEFESA: SUELIA ALVES DA COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SUELIA ALVES DA COSTA
DATA : 20/12/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Google meet = meet.google.com/dut-fzjj-ffg
TÍTULO:

TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA: DESAFIOS E PERSPECTIVAS NO ATENDIMENTO DE PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM UM CENTRO DE REABILITAÇÃO NA REGIÃO SERIDÓ POTIGUAR

 

PALAVRAS-CHAVES:

Assistência Integral à Saúde. Equipe de Saúde. Transtorno do Espectro Autista.

 


PÁGINAS: 87
RESUMO:

É crescente o número de casos de crianças diagnosticadas com TEA e com esse aumento cresce também a preocupação nos atendimentos desses pacientes, visto que, é necessário que os profissionais possam oferecer um tratamento e acompanhamento de forma eficaz e com estratégias adequadas para que eles tenham um bom desempenho no dia a dia de suas atividades. É também indispensável que esses profissionais possam entender o mundo dessas crianças e junto com a família possam desenvolver uma forma melhor de como tratá-los. O presente estudo objetivou identificar as dificuldades e necessidades de melhorias percebidas pelos profissionais de saúde de um Centro de Reabilitação da região do Seridó/RN que atendem pessoas com TEA, como também elaborar um material informativo (Relatório Técnico Científico), a ser entregue a secretaria municipal de saúde de Caicó/RN no sentido de comunicar as fragilidades encontradas no serviço, contribuindo assim, no processo de trabalho destes profissionais de saúde. Tratou-se de uma pesquisa do tipo exploratória com abordagem qualitativa, realizada entre os meses de janeiro a maio de 2022, a partir da entrevista com 16 profissionais de saúde, sendo gravadas, transcritas e depois analisadas seguindo a proposta de análise de conteúdo temática. A pesquisa aponta que a maioria dos profissionais que atuam no CER são do sexo feminino (68,75%), com idade média de 36 a 45 anos (56,25%) e com tempo de serviço de 2 a 4 anos (81,25%). Emergiram as seguintes categorias: Processo de atendimento das crianças com TEA no CER; Relação profissionais/família; Dificuldades no atendimento de crianças com TEA; Melhorias do atendimento; Atendimento integral a criança com TEA. Alguns dos fatores que dificulta o atendimento são a falta de capacitações, infraestrutura, entrosamento com a equipe, recursos matérias, limitações de profissionais, entre outros. Os resultados obtidos são de grande relevância para futuras pesquisas, considerando as interfaces vivenciadas por estes no contexto assistencial.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - ***.942.844-** - DULCIAN MEDEIROS DE AZEVEDO - UERN
Interna - 2075537 - LILIANE PEREIRA BRAGA
Externa à Instituição - ROSANGELA DINIZ CAVALCANTE - UERN
Notícia cadastrada em: 12/12/2022 08:22
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao