Banca de QUALIFICAÇÃO: ALEXANDRE AUGUSTO BEZERRA DA CUNHA CASTRO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
STUDENT : ALEXANDRE AUGUSTO BEZERRA DA CUNHA CASTRO
DATE: 04/08/2021
TIME: 15:30
LOCAL: REMOTO
TITLE:

Spatial Configuration and Cycle Planning: Case Study of the City of Campina Grande, Paraíba, Brazil


KEY WORDS:

Bikeability, Space Syntax, Urban Mobility


PAGES: 186
BIG AREA: Ciências Sociais Aplicadas
AREA: Arquitetura e Urbanismo
SUMMARY:

DISPOSITIVOS DIRETAMENTE PERTINENTES DO REGIMENTO INTERNO DO PPGAU/UFRN

Art.18º  O Exame de Qualificação consiste na apresentação da dissertação em andamento ou projeto de tese e sua discussão 

perante uma Comissão Examinadora, o que poderá acontecer em seção fechada ou aberta, a critério do Presidente.

§2º O orientador solicita o Exame de Qualificação à Coordenação do programa para aprovação no Colegiado, com a sugestão dos componentes da banca, dia e horário previstos.

Art.21º  A Pré-Defesa ocorre no doutorado e consiste de uma apresentação da tese em andamento e sua discussão perante uma Comissão Examinadora, o que poderá acontecer em seção fechada ou aberta, a critério do Presidente.

§2º        O orientador solicita a Pré-Defesa à Coordenação do programa para aprovação no Colegiado, com a sugestão de composição da banca, dia e horário previstos sua realização.

Art.23º  A defesa da dissertação ou tese e sua discussão é realizada perante uma Comissão Examinadora em sessão aberta.

§2º        O orientador solicita a defesa à Coordenação do programa para aprovação no Colegiado, com a sugestão de composição da banca, dia e horário previstos sua realização.

 

Dados do Trabalho a ser avaliado

 

Nome do orientador: Edja Trigueiro

 

Nome completo do discente: Alexandre Augusto Bezerra da Cunha Castro

 

Tipo de Banca: Qualificação ( x )      Pré-Defesa (   )     Defesa (  )

Título: Configuração Espacial e Planejamento Cicloviário: Estudo de Caso da Cidade de Campina Grande, Paraíba, Brasil

Número de páginas: 186

Palavras-chave: Pedalabilidade, Sintaxe do Espaço, Mobilidade Urbana

Resumo: A inserção da bicicleta no planejamento dos transportes no Brasil ocorreu no começo do Século XXI, com a instituição da Lei nº 12.587/12. Neste contexto, Campina Grande, cidade de porte médio localizada no interior do Estado da Paraíba, instituiu seu plano de mobilidade urbana em 2015, que contém diretrizes para o planejamento cicloviário da cidade. Assim, este trabalho discute sobre a efetividade dos projetos realizados e a serem implantados, no que diz respeito ao efeito potencializador de movimento, em relação à configuração espacial e outros aspectos configuracionais e morfológicos da pedalabilidade, a partir dos seguintes questionamentos: em que medida a configuração espacial molda os fluxos e deslocamentos por bicicleta em Campina Grande? Que aspectos configuracionais e morfológicos são mais recorrentes nas tomadas de decisão de rotas para ciclistas na cidade de Campina Grande? A infraestrutura cicloviária está sendo implantada em espaços topologicamente acessíveis e onde há demanda de fluxo de ciclistas? Que locais deveriam ser contemplados com infraestrutura cicloviária, levando em consideração a configuração espacial? Com base nessa problemática, o objetivo geral desta pesquisa é apontar congruências e incongruências entre propriedades morfológicas da configuração espacial dos casos estudados e a mobilidade por bicicleta, visando contribuir para auxiliar gestores públicos na tomada de decisão de projetos e políticas de ciclomobilidade, tendo como objetivos específicos: entender aspectos morfológicos subjacentes aos princípios de locomoção por bicicleta; identificar propriedades configuracionais do estudo de caso, em diferentes escalas e variáveis; verificar outras variáveis morfológicas e funcionais e como atuam, em consonância com a configuração espacial favorecendo a pedalabilidade; e relacionar o potencial de acessibilidade espacial com as diretrizes de planejamento cicloviário. A metodologia foi dividida em 7 procedimentos metodológicos: i) revisão bibliográfica; ii) modelagem de mapas configuracionais, a partir da Análise Sintática do Espaço, para a obtenção das medidas Conectividade e Comprimento Axial e de Segmentos, Integração Angular Normalizada (NAIN), Escolha Angular Normalizada (NACH), Acessibilidade Espacial (INCH) e Contagem de Nós; iii) Coleta de dados secundários sobre o uso da bicicleta em Campina Grande, obtendo a contagem de ciclistas realizada pela Prefeitura Municipal de Campina Grande, em 2014, em 12 pontos diferentes, que foram subdivididos em 47 segmentos viários; iv) coleta de dados sobre a infraestrutura cicloviária da cidade; v) modelagem da topografia da cidade, a partir de imagens de satélite do Topodata, cujos dados foram inseridos nos mapas configuracionais; vi) modelagem do uso do solo urbano, no entorno de 600 metros dos pontos de análise; e vii) análise espacial e estatística dos dados coletados. Os achados parciais desta pesquisa indicam que a configuração espacial permite explicar quase metade da variação da contagem de ciclistas nos segmentos analisados. As medidas INCHr1200m, NACHr2400m, NCr1200m, NAINr2400m foram as que obtiveram melhores correlações estatísticas e espaciais, obtendo correlações máximas de 37%. Uma regressão multivariada entre INCHr1200m e Declividade permite explicar 49% da contagem de ciclistas na cidade. O uso do solo predominante no entorno analisado foi o residencial. 69% dos lotes comerciais, mistos e institucionais se localizavam nas vias 20% mais acessíveis na medida INCHr1200m, que também são as utilizadas pelos ciclistas nas viagens diárias, indicando a influência da configuração espacial tanto nos deslocamentos por bicicleta como nas dinâmicas de uso do solo, indo ao encontro dos pressupostos da Teoria da Lógica Social do Espaço. Em relação às características físicas das vias, foi observado uma contagem média de ciclistas maior em vias mais largas, o que contraria a literatura. No entanto, a presença de infraestrutura cicloviária e a alta acessibilidade nas vias mais largas explicam a presença maior de ciclistas em ruas largas.

Title: Spatial Configuration and Cycle Planning: Case Study of the City of Campina Grande, Paraíba, Brazil

Keywords: Bikeability, Space Syntax, Urban Mobility

Abstract: The inclusion of the bicycle in transport planning in Brazil occurred at the beginning of the 21st century, with the institution of Law No. 12,587/12. In this context, Campina Grande, a medium-sized city located in the interior of the State of Paraíba, instituted its urban mobility plan in 2015, which contains guidelines for the city's cycling planning. Thus, this work discusses the effectiveness of the projects carried out and to be implemented, with regard to the potentiating effect of movement, in relation to the spatial configuration and other configurational and morphological aspects of pedaling, based on the following questions: to what extent does the spatial configuration shape the flows and displacements by bicycle in Campina Grande? What configurational and morphological aspects are most recurrent in decision-making on routes for cyclists in the city of Campina Grande? Is the cycling infrastructure being implemented in topologically accessible spaces and where there is a demand for the flow of cyclists? Which places should be contemplated with cycling infrastructure, taking into account the spatial configuration? Based on this issue, the general objective of this research is to point out congruences and inconsistencies between morphological properties of the spatial configuration of the cases studied and mobility by bicycle, aiming to contribute to assist public managers in decision-making on projects and mobility policies, with the objectives of specific: understand morphological aspects underlying the principles of locomotion by bicycle; identify configurational properties of the case study, at different scales and variables; verify other morphological and functional variables and how they act, in line with the spatial configuration favoring pedaling; and relate the potential for spatial accessibility with the cycling planning guidelines. The methodology was divided into 7 methodological procedures: i) bibliographic review; ii) modeling of configurational maps, based on Space Syntactic Analysis, to obtain the measures Connectivity and Axial and Segment Lengths, Normalized Angular Integration (NAIN), Normalized Angular Choice (NACH), Spatial Accessibility (INCH) and Counting We; iii) Collection of secondary data on bicycle use in Campina Grande, obtaining the count of cyclists carried out by the Municipality of Campina Grande, in 2014, at 12 different points, which were subdivided into 47 road segments; iv) data collection on the city's cycling infrastructure; v) modeling of the city's topography, based on Topodata satellite images, whose data were inserted in the configurational maps; vi) urban land use modeling, within 600 meters of the analysis points; and vii) spatial and statistical analysis of the collected data. The partial findings of this research indicate that the spatial configuration allows explaining almost half of the variation in the cyclist count in the analyzed segments. The measurements INCHr1200m, NACHr2400m, NCr1200m, NAINr2400m were the ones that obtained the best statistical and spatial correlations, obtaining maximum correlations of 37%. A multivariate regression between INCHr1200m and Slope explains 49% of the count of cyclists in the city. The predominant land use in the analyzed surroundings was residential. 69% of commercial, mixed and institutional lots were located on the 20% more accessible lanes in the INCHr1200m measure, which are also used by cyclists in daily trips, indicating the influence of spatial configuration both on bicycle travel and on land use dynamics , meeting the assumptions of the Social Logic of Space Theory. Regarding the physical characteristics of the lanes, an average count of cyclists was observed on wider lanes, which contradicts the literature. However, the presence of cycling infrastructure and the high accessibility of wider lanes explain the greater presence of cyclists on wide streets.


BANKING MEMBERS:
Presidente - 350255 - EDJA BEZERRA FARIA TRIGUEIRO
Interna - 350489 - RUTH MARIA DA COSTA ATAIDE
Externa à Instituição - AIDA PAULA PONTES DE AQUINO
Externo à Instituição - MAURO NORMANDO MACÊDO DE BARROS FILHO - UFCG
Notícia cadastrada em: 22/07/2021 13:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao