Projeto Pedagógico do Curso

Em consonância com o estabelecido na Resolução CNE/CES 2/2003 o Bacharel em Biomedicina formado pela UFRN é um profissional da saúde com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, capaz de buscar os
conhecimentos necessários para atuar em todos os níveis de atenção à saúde humana com ênfase no diagnóstico laboratorial das doenças, adaptar ou desenvolver novas tecnologias aplicadas à área da saúde, pautado em princípios éticos e na compreensão da realidade social, cultural e econômica do seu meio, atuando com base no rigor científico e dentro de padrões que contribuam para a transformação da realidade em benefício da sociedade.

Dentro desta perspectiva, o Bacharel em Biomedicina deverá conhecer e saber agir em coerência com os fins e valores da profissão e com os princípios éticos, expressos na Resolução 002/84 do Conselho Federal de Biomedicina (CFBM), que estabelece o seu código de ética. Assim, espera-se que durante a graduação e através da formação continuada o biomédico seja capaz de construir para si um conjunto de conhecimentos dos fundamentos científicos e tecnológicos necessários que lhe possibilite:
· Ter uma visão crítica e humanista da profissão e contribuir de forma positiva no contexto da sociedade onde está inserido;
· Saber trabalhar em equipe, respeitando as diferenças e evitando conflitos mediante o diálogo interdisciplinar e a troca de experiências com outros profissionais, participando de forma solidária e cooperativa do trabalho
coletivo;
· Assumir a responsabilidade pelo seu desenvolvimento pessoal e profissional, buscando o conhecimento e ampliação de seus horizontes culturais, exercitando o pensamento crítico e reflexivo;
· Ter compreensão epidemiológica e de saúde pública no exercício de suas funções, na condução de procedimentos técnicos laboratoriais ou administrativos de sua competência.

Laboratórios, empresas de consultoria, instituições de atenção à saúde.

 Competências e habilidades gerais Atenção à saúde:

Realizar ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde, humana, tanto em nível individual quanto coletivo, assegurando que sua prática seja realizada de forma integrada com as demais instâncias do sistema de saúde, pensando e analisando criticamente os problemas da sociedade e procurando soluções para superá-los. Deve realizar seus serviços dentro dos mais altos padrões de qualidade e dos princípios éticos, tendo a compreensão de que atenção à saúde não se encerra com o ato técnico, mas sim, com a resolução do problema, seja em nível individual ou coletivo;

Tomada de decisões: tomar decisões visando o uso apropriado dos recursos humanos e materiais disponíveis, pensando na eficácia e custo-efetividade e melhor aproveitamento da força de trabalho, medicamentos, equipamentos, bem como na resolutividade e qualidade dos serviços prestados a sociedade. Além disso, deve possuir competências e habilidades para avaliar e decidir sobre a conduta mais adequada para cada situação, com base em evidências científicas;

Comunicação: Se mostrar acessível e aberto ao diálogo permanente com os pacientes com os outros profissionais de saúde e o público em geral, mantendo a confidencialidade das informações a ele confiadas. Deve possuir competência para comunicação, além do domínio de pelo menos uma língua estrangeira, bem como de tecnologias de comunicação e informação;

Liderança: trabalhar em equipe multiprofissional, respeitando as diferenças e as atribuições de cada um, assumindo posição de liderança, quando necessário, pensando sempre na melhoria do serviço e no bem estar individual ou coletivo, adotando as medidas necessárias, com compromisso, responsabilidade, empatia e habilidade para tomada de decisões, de comunicação e gerenciamento de forma efetiva, eficiente e eficaz;

Educação permanente: aprender continuamente, para acompanhar a evolução do conhecimento científico e tecnológico, tanto no âmbito de sua formação, quanto na sua prática. Para isso, deve assumir o compromisso com a sua formação continuada, realizando treinamento, visitas técnicas, estágios, cursos de atualização, realizando mobilidade acadêmico/profissional e estabelecendo cooperação através de redes nacionais e internacionais; Empreendedorismo e inovação: usar criativamente as competências e habilidades adquiridas ao longo de sua formação para a proposição de novas formas de gerenciamento dos serviços, voltadas para a resolução de problemas no âmbito de sua atuação profissional, visando à melhoria da qualidade dos serviços de saúde prestados à sociedade, bem como geração de novos produtos e serviços com aplicação na área da saúde.

 

Competências e habilidades específicas

1. Executar e interpretar com desenvoltura, as diversas técnicas laboratoriais no âmbito da biomedicina, seguindo sempre o que determina o código de ética e normas de biossegurança vigentes;

2. Trabalhar em equipes multidisciplinares de saúde estabelecendo relações harmônicas de convivência e interação com os outros profissionais do serviço, comunicando-se adequadamente com os parceiros de trabalho e com os pacientes;

3. Contribuir para a manutenção da saúde humana, atuando de forma a garantir a integralidade da assistência, entendida como conjunto articulado e contínuo de ações e serviços preventivos e assistenciais, individuais ou coletivos, visando o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas, famílias e comunidades;

4. Participar no planejamento e definição de estratégias e de políticas públicas de saúde com visão crítica e epidemiológica, levando em consideração o custo-benefício e o impacto social esperado das ações planejadas;

5. Atuar como técnico de nível superior em equipes de saúde nas atividades complementares de diagnóstico, em instituições voltadas para as ações básicas de prevenção e controle das doenças, bem como na promoção, proteção e assistência à saúde;

6. Realizar, interpretar, emitir laudos, dar pareceres e responsabilizar-se tecnicamente por procedimentos na área das análises clínico-laboratoriais, incluindo exames microbiológicos, bioquímicos, hematológicos, citológicos, citopatológicos, imunológicos, moleculares e genéticos, bem como análises toxicológicas, dentro dos padrões de qualidade;

7. Realizar procedimentos nas áreas de imagenologia, responsabilizando-se tecnicamente.

8. Realizar, interpretar e responsabilizar-se tecnicamente por procedimentos na área de acupuntura.

9. Trabalhar em empresas prestando serviço de consultoria ou atuando diretamente no desenvolvimento, importação ou adaptação de novas tecnologias aplicadas à área da saúde;

10. Atuar nas áreas de pesquisa e desenvolvimento tecnológico, visando à seleção, produção e controle de qualidade de produtos bioderivados tais como, soros, vacinas, hemoderivados, kits de diagnóstico e outros insumos com aplicação na área da saúde;

11. Realizar análises físico-químicas e microbiológicas, na área da vigilância sanitária, e de controle de qualidade do meio ambiente e dos alimentos;

      Conforme já descrito no tópico referente à organização curricular, os conteúdos dos currículos estão distribuídos em componentes curriculares de forma a abranger cinco áreas do conhecimento, onde as disciplinas estão distribuídas em uma sequência lógica e articuladas, de acordo com suas contribuições para a formação profissional desejada. As disciplinas interdependentes entre si foram agrupadas por semestre, evitando-se desta forma a sobreposição e a apresentação de conteúdos isolados. Esse agrupamento possibilitará a realização de atividades como dinâmicas de grupo, aulas expositivas dialogadas, aulas práticas, estudo de casos, seminários, exposição de painéis, simpósio, grupos de discussão, trabalhos individuais e estudos em grupo, que efetivem a transversalidade e a interdisciplinaridade. Para atender as exigências de percentuais de carga horária optativa de 10% e carga horária complementar de 5%, sem aumentar a carga horária total do curso, tornou-se necessária a redução de carga horária de alguns componentes curriculares obrigatórios, bem como do estágio curricular obrigatório.

Para promover essa redução de carga horária, tanto o NDE do curso, quanto a comissão de elaboração do Projeto Pedagógico discutiu de forma aprofundada considerando as possíveis implicações e definiu criteriosamente manter apenas os conteúdos programáticos considerados indispensáveis à formação do aluno, o que foi feito consensualmente. Foram mantidas duas estruturas curriculares, a exemplo do Projeto Pedagógico atual (MT e N), as quais foram organizadas tomando como base às estruturas atualmente existentes, principalmente, em relação aos componentes curriculares obrigatórios, sendo realizadas apenas algumas alterações, quanto às cargas horárias e distribuição por períodos letivos.

As duas estruturas curriculares são formadas pelos mesmos componentes curriculares obrigatórios, havendo diferença apenas em relação ao número de períodos que abrangem, onde a estrutura MT está organizada em nove períodos letivos e N em onze. Procurou-se adotar como princípios norteadores na construção das duas estruturas curriculares: (1) indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão (2) articulação orgânica entre teoria e prática (3) interdisciplinaridade com integração das disciplinas dos diferentes níveis de forma a garantir a complementaridade entre conteúdos (4) estímulo ao espírito critico e criativo do aluno. Foram incorporados os conteúdos relativos ao tratamento de questões temáticas estabelecidos em Leis, tais como aqueles relacionados ao meio ambiente, que serão abordados transversalmente em várias disciplinas obrigatórias, além da inclusão de disciplinas optativas que abordam sobre o tema. Também foram contemplados os conteúdos referentes às relações étnico-raciais e de direitos humanos, bem como da língua brasileira de sinais – LIBRAS.

Com relação ao conhecimento em línguas estrangeiras, este será contemplado, pelo menos em parte, de forma transversal, ao longo do curso, tendo em vista que, várias disciplinas utilizam textos no idioma inglês nas suas atividades. Além disso, foram incluídas duas disciplinas do idioma inglês como complementares. Alternativamente, o aluno pode ainda ter acesso ao ensino de línguas estrangeiras, por meio da realização de cursos extracurriculares, uma vez que, a UFRN, dispõe de um Núcleo de Línguas vinculado ao Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras Modernas (DLLEM) que oferece cursos gratuitos em vários idiomas, os quais podem ser realizados pelo aluno, ao longo de seu curso de graduação. Com a introdução do aumento de carga horária em disciplinas optativas e a inclusão de um grande elenco de novas disciplinas optativas no currículo, haverá uma maior flexibilidade nas duas estruturas curriculares, possibilitando ao aluno ter uma participação mais ativa na definição da formação que deseja obter.

Nenhum conteúdo disponível até o momento

O processo de avaliação é, essencialmente, um mecanismo para detectar e determinar em qual extensão os objetivos educacionais de um projeto está sendo alcançados, devendo estimular e favorecer a correção de problemas identificados, desde que seja realizado de forma contínua, sistemática e oportuna.
A avaliação deste projeto será feito de forma contínua e terá como propósito acompanhar o atendimento aos seus princípios norteadores e às diretrizes curriculares nacionais. Deverá ser desenvolvida em todas as suas
dimensões, quais sejam, objetivos, perfil do egresso, habilidades e competências, estrutura curricular e flexibilização, corpo docente e discente, infraestrutura e acervo bibliográfico. Será um processo permanente que poderá gerar modificações ao longo de seu curso, em qualquer uma dessas dimensões.
Alguns dos princípios dessa avaliação são:
a) Promoção da renovação;
b) Respeito à concepção fundamental da aprendizagem;
c) Coerência com os princípios administrativos da UFRN;
d) Consonância da natureza do PP do Curso de Biomedicina da UFRN com as tendências mundiais na área da saúde;
e) Coerência com o Plano de Desenvolvimento Institucional da UFRN. A avaliação deverá ser feita ao término de cada semestre, através de reuniões de planejamento pedagógico organizadas pela coordenação do curso, com a
participação do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do curso, com representantes dos estudantes e sob orientação da equipe de apoio didáticopedagógica da PROGRAD, para avaliar dentre outros aspectos: o andamento do curso após a implantação do novo Projeto Pedagógico; identificar possíveis necessidades de solicitar aos Departamentos o encaminhamento de professores ao Programa de Atualização Pedagógica (PAP); analisar os relatórios do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) para
avaliar o desempenho dos alunos do curso na prova do ENADE. Desses encontros deverão resultar novos encaminhamentos e sugestões dos ajustes necessários para melhoria do processo ensino-apredizagem.

Quando os alunos que iniciaram o curso a partir da entrada em vigor, do presente Projeto Pedagógico chegarem ao último período do curso, ou até mesmo antes disso, se for necessário, haverá uma avaliação do curso pela CPA, o que possibilitará os ajustes necessários, ao projeto pedagógico visando à correção de rumos, se for o caso. Os aspectos fundamentais a serem considerados na avaliação do Projeto Pedagógico do Curso Biomedicina da UFRN são:
a) A avaliação deve ser encarada como uma ferramenta valiosa no processo de aprendizagem e auxilie a UFRN a cumprir sua missão;
b) Que se busque efetividade tanto da avaliação interna como externa e ajude a promover a aprendizagem dos sujeitos envolvidos no Projeto Pedagógico;
c) Que seja um processo de desenvolvimento contínuo e colaborativo, uma vez que os objetivos são comuns;
d) Que todas as partes envolvidas usem a mesma linguagem, explicitando o significado e o entendimento do que é dito;
e) Encarar a avaliação como responsabilidade de todos e seja realizado a partir da questão: “O que podemos fazer para melhorar o que estamos fazendo ?”
f) Que a avaliação deva ser realizada em ambiente livre de riscos, permitindo que as pessoas possam analisar, livremente, êxitos e oportunidades de melhoria;
g) Que os resultados apontados na avaliação, do Projeto e sejam amplamente divulgados para a comunidade envolvida na sua execução e permitam melhoria e efetividade em curto prazo; Alguns critérios são fundamentais para evidenciar as transformações pretendidas no âmbito do Curso, tais como, as atitudes inovadoras adotadas
pelos docentes, o emprego de práticas pedagógicas que revelem o compromisso com as intenções do projeto, e a evidência da aquisição de competências e habilidades requeridas no perfil do Biomédico desejado. A análise do
desempenho acadêmico deverá ser semestral, proporcionando ajustes não previsíveis no momento de sua implantação, mas que venham a ser necessários durante o seu desenvolvimento, visto ser o Projeto Pedagógico um processo não acabado, e considerando-se também o dinamismo do saber no campo da Biomedicina.

Baixar Arquivo
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2018 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao