Projeto Pedagógico do Curso

O profissional médico da UFRN deve ter uma formação geral, humanista, crítica e reflexiva, apto a atuar na sociedade na qual está inserido como promotor da saúde integral do ser humano. Esse profissional deverá, portanto, apresentar o seguinte perfil de formação:

• concepção científica, natural e cultural do homem na sua diversidade humana;

• capacidade para realizar ações de promoção, proteção e recuperação da saúde;

• visão epidemiológica e de saúde pública com enfoque no risco e na saúde individual e coletiva;

• postura ética, senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania;

• portador de conhecimentos gerais nas grandes áreas básicas do conhecimento médico e em urgência/emergência;

• formação técnica básica de assistência ao enfermo;

• visão crítica da profissão, da sociedade e também visão transformadora; e

• visão humanística e cultura geral.

Instituições de saúde públicas e privadas tais como hospitais, clínicas e ambulatórios, laboratórios de análises clínicas, consultórios, academias de ginástica e similares, instituições esportivas, instituições de ensino superior e de pesquisa, dentre outros.

 - Competências Gerais O médico egresso da UFRN deverá ter as competências, habilidades e atitudes do profissional da saúde que atendam às exigências e necessidades da sociedade contemporânea. São, portanto, competências gerais: a atenção à saúde, a tomada de decisões, a comunicação, a liderança, a administração e gerenciamento e a educação permanente.

- Competências e habilidades específicas Para melhor compreensão, essas competências e habilidades estão classificadas em quatro grupos: ético-humanísticas, políticas, técnicas e de auto desenvolvimento.

a) Competências e habilidades ético-humanísticas: • atuar em equipes multidisciplinares de saúde; • estabelecer relações harmônicas multiprofissionais; • comunicar-se adequadamente com os colegas de trabalho, os pacientes e seus familiares; • atender os princípios técnicos e éticos de referência e contra-referência do sistema hierarquizado de saúde; • compreender a função social do médico frente às necessidades internas do País; • informar e educar seus pacientes, familiares e a comunidade em relação à promoção e prevenção de saúde, tratamento e reabilitação das doenças; e • transmitir a arte médica às gerações futuras.

b) Competências e habilidades políticas: • atuar nas atividades de política e de planejamento de saúde; • lidar criticamente com a dinâmica do mercado de trabalho e com as políticas de saúde; • considerar a relação custo-benefício nas decisões médicas, levando em conta as reais necessidades da população; e • discutir conceitos relacionados à economia em saúde, orientando os sujeitos envolvidos na utilização criteriosa de recursos.

c) Competências e habilidades técnicas: • atuar nos diferentes níveis hierarquizados de atendimento à saúde, com ênfase nos atendimentos primário e secundário e possibilidades no nível terciário; • reconhecer e encaminhar, adequadamente, pacientes portadores de problemas que fujam ao alcance da formação geral do médico; • realizar com proficiência a anamnese e a conseqüente construção da história clínica; • dominar a técnica e a arte médica de realizar o exame físico; • reconhecer pela anamnese e exame físico, a doença, captando e explorando, ao máximo, dados relevantes para o caso. Deverá esta apto a: (a) produzir listagem de hipóteses diagnósticas para diferencial da doença; (b) descrever e comparar o quadro clínico mais característico; (c) identificar explicitamente os pontos favoráveis ou desfavoráveis a cada uma das principais hipóteses; (d) emitir uma avaliação de probabilidade/possibilidade para cada uma das principais hipóteses levantadas; (e) propor uma seqüência organizada de procedimentos diagnósticos com exames específicos e inespecíficos para as hipóteses não descartadas clinicamente, e (f) propor terapêutica apropriada. • utilizar adequadamente recursos propedêuticos e terapêuticos contemporâneos hierarquizados; • usar de raciocínio crítico na identificação e interpretação dos problemas da prática médica ao viabilizar sua resolução; • atuar na proteção e promoção da saúde, na prevenção de doenças, no tratamento e reabilitação dos problemas de saúde e no acompanhamento do processo da morte; • utilizar procedimentos diagnósticos e terapêuticos validados cientificamente; • gerar conhecimento por meio de pesquisa, permeando e norteando a sua prática pela ética; e • realizar procedimentos clínicos e cirúrgicos indispensáveis para o atendimento inicial das urgências e emergências em todas as fases do ciclo biológico e para o atendimento ambulatorial hierarquizado.

d) Competências e habilidades de auto-desenvolvimento: • dominar os conhecimentos científicos básicos de natureza biopsicosocioambiental; • desenvolver atividades que garantam a sua educação permanente, especialmente, a auto-aprendizagem, para que possa atuar com qualidade e resolutividade; • conhecer os princípios da metodologia científica, o que possibilitará a leitura crítica de artigos técnico-científicos e a participação na produção de conhecimentos; • utilizar com propriedade a língua portuguesa, compreender textos científicos em outro idioma e ter conhecimentos de informática; • cuidar de sua própria saúde física e mental e buscar seu bem-estar como cidadão e como médico; • promover estilos de vida saudáveis atuando como agente de transformação social; • favorecer o desenvolvimento do processo ensino-aprendizagem na sua plenitude.

Nenhum conteúdo disponível até o momento Nenhum conteúdo disponível até o momento

O processo de avaliação é, essencialmente, um processo para determinar em qual extensão os objetivos educacionais de um projeto estão sendo alcançados, devendo estimular e favorecer a correção de problemas identificados, desde que seja realizado de forma contínua, sistemática e oportuna. A avaliação deste Projeto tem o propósito de acompanhar o atendimento aos Princípios Norteadores e às Diretrizes Curriculares. Deverá ser feita em todas as suas dimensões: objetivos, perfil do egresso, habilidades, competências e atitudes, estrutura curricular e flexibilização, corpo docente e discente, infra-estrutura, acervo bibliográfico, etc.

Será um processo permanente, que poderá gerar modificações ao longo do curso, em qualquer uma de suas dimensões. 23 Alguns dos princípios dessa avaliação são: a) promoção da inovação, aliada à mudança; b) respeito à concepção fundamental da aprendizagem; c) coerência com os princípios administrativos da UFRN; d) consonância da natureza do Projeto Político-Pedagógico do Curso de Medicina da UFRN com as tendências mundiais na área da saúde.

A avaliação deverá ser feita ao término de cada semestre, através de reuniões de planejamento pedagógico, incluindo todos os docentes envolvidos. Dessas reuniões deverão resultar encaminhamentos e sugestões para melhoria do processo, o que possibilitará os ajustes necessários durante a implantação, visando ação transformadora gradual, a partir do momento de sua implantação institucional. São aspectos fundamentais na avaliação do Projeto Político-Pedagógico do Curso de Medicina da UFRN: a) que a avaliação seja percebida como uma valiosa ferramenta no processo de aprendizagem e auxilie a UFRN a realizar sua missão; b) que importe tanto a efetividade da avaliação interna como os resultados externos; c) que o resultado do processo avaliativo seja a aprendizagem dos sujeitos envolvidos no Projeto Político-Pedagógico (uma maneira de determinar seu progresso e de propor mudanças de direção que conduzam a uma maior efetividade); d) que seja um processo de desenvolvimento e não apenas um informe de processo; e) que deva ser colaborativa, uma vez que os objetivos são comuns; f) que todas as partes envolvidas usem a mesma linguagem, explicitando o significado e o entendimento do que é dito; g) que a avaliação seja trabalho de todos, a partir da questão: "O que podemos fazer para melhorar o que estamos fazendo?" h) que a avaliação deva ser realizada em ambiente livre de riscos, permitindo que as pessoas possam analisar, livremente, êxitos e oportunidades de melhoria; i) que os resultados apontados na avaliação, permitam melhoria e efetividade do Projeto a curto prazo; j) que os resultados das avaliações deste Projeto sejam amplamente divulgados. Alguns critérios são fundamentais no sentido de evidenciar a transformação pretendida no âmbito do Curso, tais como, as atitudes inovadoras adotadas pelos docentes, o emprego de práticas pedagógicas que revelem o compromisso com as intenções do Projeto, e a evidência da aquisição de competências, habilidades e atitudes requeridas no perfil do médico desejado.

A análise do desempenho acadêmico deverá ser semestral, proporcionando ajustes não previsíveis no momento de sua implantação, mas que venham a ser necessários durante o seu desenvolvimento, visto ser o Projeto Político-Pedagógico um processo não acabado, considerando-se também o dinamismo do saber médico. Assim, a ênfase dada pelos procedimentos de avaliação, apontam também para a dimensão social e política a que se submete a prática curricular contemporânea.

Baixar Arquivo
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2018 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao