Notícias > Defesa de Relatório de Graduação em Geofísica (RGG) - JOSÉ JOBSON - 07/11/2019 - 09h - Auditório do Dep. de Geofísica

Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Centro de Ciências Exatas e da Terra
Departamento de Geofísica
Curso de Graduação em Geofísica


DEFESA DE RELATÓRIO DE GRADUAÇÃO EM GEOFÍSICA (GEF0161)

 

 

Título do Relatório:


ANÁLISE DO GRAU DE VULNERABILIDADE DO AQUÍFERO BARREIRAS A PARTIR DE DADOS HIDROGEOFÍSICOS – ÁREA ADJACENTE AO BAIRRO DE EMAÚS, PARNAMIRIM - RN


Autor:

JOSÉ JOBSON DE ARAÚJO SILVA


Resumo:


O presente estudo foi desenvolvido na bacia do Rio Pirangi, mais precisamente no médio curso do Rio Pitimbu, situado nas adjacências do Bairro de Emaús, município Parnamirim-RN. O Aquífero Barreiras, alvo principal da presente pesquisa, constitui um manancial incumbido do abastecimento de água de grande parte das cidades da faixa litorânea leste do estado do Rio Grande do Norte, incluindo a região metropolitana de Natal. Todavia, sua condição hidráulica regional predominante possui caráter livre ou semiconfinado, o que pode denotar um risco de ser afetado, eventualmente, por cargas contaminantes impostas na superfície. Diante disso, com vistas a subsidiar estudos nessa perspectiva, objetivou-se analisar o grau de vulnerabilidade intrínseca do Aquífero Barreiras na área reportada, considerando dados de natureza hidrogeofísica. Nesse contexto, utilizou-se a metodologia de análise de vulnerabilidade GOD, na qual considera as condições hidráulicas locais (parâmetro “G”), composição geológica dos substratos (parâmetro “O”) e espessura da zona não saturada (parâmetro “D”). No entanto, considerando-se que essa metodologia utiliza somente dados hidrogeológicos e não geofísicos, adaptou-se o método para uma versão composta (informações de perfis de poços e modelos inversos de sondagens elétricas verticais-SEV’s). Nesse caso, o modelo geoelétrico representativo de cada SEV assumiu o papel de um poço “virtual”, fornecendo informações dos parâmetros GOD em subáreas nas quais as informações de poços eram inexistentes. Adicionalmente, o mapa GOD foi corroborado por outras duas cartografias, ambas com ênfase na zona não saturada sobreposta ao aquífero, particularmente espessura e condutância longitudinal (S), sendo este último fundamentado tão somente nos modelos inversos das SEV’s. Em linhas gerais, as maiores espessuras da zona não saturada e áreas com maiores valores de “S” evidenciaram um maior grau de proteção do aquífero, consonante à cartografia GOD. Esta última, por sua vez, constatou índices de vulnerabilidade que variaram de 0,35 a 0,42 nos setores leste e nordeste, consistindo nas regiões menos vulneráveis da área investigada, destacando-se os locais entorno das SEV’s 1 e 2 e poços PT’s 1 e 3. Já as subáreas centro-norte e centro-sul apresentaram os maiores índices, variando de 0,46 a 0,52, representando aquelas mais vulneráveis a contaminações, com destaque para os entornos das SEV’s 3 e 4 e também do poço PT02. Esse contexto projeta uma vulnerabilidade GOD do Aquífero Barreiras na área investigada variando de moderada a alta.

 

Palavras-Chaves:


Aquífero Barreiras, vulnerabilidade GOD, hidrogeofísica, condutância longitudinal, Parnamirim-RN.


Banca Examinadora:


Prof. Dr. Leandson Roberto Fernandes de Lucena – Orientador (DGEF/UFRN) 
Me. Benedita Cleide de Souza Campos (PPGG/UFRN) 
Me. Rafaela da Silva Alves (PPGG/UFRN)

 

Data: 07 de novembro 2019 (quinta-feira) 
Horário: 9h 
Local: Auditório do Departamento de Geofísica (1º Andar – Prédio REUNI)

 

Carga Horária: 1h para Atividades Complementares (Curso de Geofísica)

 


Notícia cadastrada em 04/11/2019 14:54  
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao