Banca de DEFESA: CATHERINE TEIXEIRA DE CARVALHO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CATHERINE TEIXEIRA DE CARVALHO
DATA : 18/12/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do CETEC/UFRN
TÍTULO:

Aproveitamento do soro do queijo “coalho” para produção e aplicação da b-galactosidase


PALAVRAS-CHAVES:

Soro do queijo; Kluyveromyces sp.; etanol, β–galactosidase; hidrólise lactose.


PÁGINAS: 147
RESUMO:

O presente estudo objetivou produzir a enzima β-galactosidase (β-gal) utilizando o soro do queijo coalho por leveduras do gênero Kluyveromyces sp. avaliando as estratégias que permitam a sua aplicação na indústria alimentícia. Na primeira etapa da pesquisa observou-se o comportamento das leveduras para síntese de β-gal e etanol por fermentação submersa utilizando diferentes razões C:N, a melhor eficiência da Kluyveromyces lactis NRRL Y- 8279, produziu 21,09 U/mL de β-gal e etanol 7,10 g/L em 16 horas de cultivo. Diante dos resultados iniciais, na segunda etapa realizou-se um cultivo com condições adequadas para a síntese da β-gal com a proposta de um planejamento experimental 22 para o processo de purificação. Os parâmetros pH e força iônica foram avaliados para obter um alto fator de purificação, sem prejuízo no rendimento. Os níveis mais altos de ambos os parâmetros no estudo aumentaram o fator de purificação de β-gal para 2,00, com maior influência da força iônica na resposta do FP. A enzima purificada foi submetida a eletroforese que apresentou uma banda com peso molecular em torno de 120 kDa, a enzima de interesse. Na terceira e última etapa do estudo, analisou-se as condições de hidrólise da lactose no soro de queijo coalho com a forma imobilizada de β-Gal em alginato de sódio a 1% (p/v). Para o sistema de imobilização, a eficiência da imobilização atingiu 66%. Além disso, a forma imobilizada da enzima apresentou maior estabilidade às mudanças de pH e temperatura. A enzima imobilizada apresentou uma taxa ligeiramente menor de conversão de lactose (46%) quando comparada ao extrato bruto de enzima (53%). Para as simulações gastrointestinais e intestinais, cerca de 40% da atividade enzimática foi preservada após 2 horas de exposição a ambientes gastrointestinais simulados. No geral, os resultados aqui descritos são promissores para as aplicações industriais da β-galactosidase de K. lactis.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - ANA LÚCIA FIGUEIREDO PORTO - UFRPE
Externa ao Programa - 2378605 - CRISTIANE FERNANDES DE ASSIS
Interno - 1346198 - EVERALDO SILVINO DOS SANTOS
Externo ao Programa - 3652554 - FRANCISCO CANINDE DE SOUSA JUNIOR
Presidente - 347401 - GORETE RIBEIRO DE MACEDO
Externo à Instituição - SÉRGIO DANTAS DE OLIVEIRA JÚNIOR - INPA
Notícia cadastrada em: 27/11/2019 10:20
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa19-producao.info.ufrn.br.sigaa19-producao