Banca de DEFESA: ALEXANDRE ALVES DE ANDRADE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALEXANDRE ALVES DE ANDRADE
DATA: 05/07/2013
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Geografia
TÍTULO:

O uso do território pela fruticultura irrigada no Rio Grande do Norte: uma análise a partir do circuito espacial produtivo do melão (Cucumis melo I.)


PALAVRAS-CHAVES:

Fruticultura irrigada. Circuito espacial produtivo. Produção de melão. Especialização produtiva. Rio Grande do Norte.


PÁGINAS: 219
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
RESUMO:

A pesquisa ora em desenvolvimento objetiva estudar o circuito espacial da melonicultura irrigada no processo de uso agrícola do território Norte-Riograndense, de modo particular no município de Baraúna, com vistas a verificar a modernização da agricultura que se processa no território nacional, e seus reflexos no potiguar, especialmente na produção irrigada de frutas tropicais destinadas ao abastecimento do mercado externo, configurando-se numa rede extravertida de produção, observando-se quais as implicações decorrentes desta atividade. A utilização da técnica de irrigação, impulsionada pela ação do Estado, num primeiro momento apregoava a redução dos flagelos das secas à população do nordeste, no entanto seu desenvolvimento contribuiu para acentuar as disparidades sociais da região, beneficiando os agronegocistas que se instalaram e passaram a controlar a base técnica da produção frutícola. Neste contexto, a produção do melão irrigado no Rio Grande do Norte apresenta-se de forma desigual, excluindo percentual significativo de pequenos produtores por constituir-se numa atividade que demanda vultosos investimentos técnicos, científicos e financeiros. Para verificar como esta realidade está se configurando no território Norte-Riograndense, em particular no município de Baraúna, recorremos a teoria do circuito espacial de produção, cuja análise nos permitirá identificar o encadeamento das instâncias da produção, separadas geograficamente, bem como a articulação dos agentes sociais envolvidos e seus círculos de cooperação,   bem como as implicações territoriais decorrentes à área produtora.

A pesquisa ora em desenvolvimento objetiva estudar o circuito espacial da melonicultura irrigada no processo de uso agrícola do território Norte-Riograndense, de modo particular no município de Baraúna, com vistas a verificar a modernização da agricultura que se processa no território nacional, e seus reflexos no potiguar, especialmente na produção irrigada de frutas tropicais destinadas ao abastecimento do mercado externo, configurando-se numa rede extravertida de produção, observando-se quais as implicações decorrentes desta atividade. A utilização da técnica de irrigação, impulsionada pela ação do Estado, num primeiro momento apregoava a redução dos flagelos das secas à população do nordeste, no entanto seu desenvolvimento contribuiu para acentuar as disparidades sociais da região, beneficiando os agronegocistas que se instalaram e passaram a controlar a base técnica da produção frutícola. Neste contexto, a produção do melão irrigado no Rio Grande do Norte apresenta-se de forma desigual, excluindo percentual significativo de pequenos produtores por constituir-se numa atividade que demanda vultosos investimentos técnicos, científicos e financeiros. Para verificar como esta realidade está se configurando no território Norte-Riograndense, em particular no município de Baraúna, recorremos a teoria do circuito espacial de produção, cuja análise nos permitirá identificar o encadeamento das instâncias da produção, separadas geograficamente, bem como a articulação dos agentes sociais envolvidos e seus círculos de cooperação,   bem como as implicações territoriais decorrentes à área produtora.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1486670 - CELSO DONIZETE LOCATEL
Presidente - 2346233 - FRANCISCO FRANSUALDO DE AZEVEDO
Externo à Instituição - JOSÉ BORZACCHIELLO DA SILVA - UFC
Notícia cadastrada em: 21/06/2013 11:20
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao