Banca de DEFESA: LEONARDO DA SILVA GALINDO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LEONARDO DA SILVA GALINDO
DATA : 21/03/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Geografia
TÍTULO:

USO CORPORATIVO DO TERRITÓRIO E “FACÇÕES” DE COSTURA: A REORGANIZAÇÃO ESPACIAL DO SETOR DE CONFECÇÕES DE ARTIGOS DO VESTUÁRIO NO RIO GRANDE DO NORTE


PALAVRAS-CHAVES:

Uso corporativo do território; facções de costura; Rio Grande do Norte; 


PÁGINAS: 241
RESUMO:

A partir dos anos 2000 teve início a disseminação de estabelecimentos e empregos relacionados ao setor de confecções para municípios do interior do Rio Grande do Norte. Tal processo ganhou novo impulso a partir da criação do Programa de Industrialização do Interior (Pró-Sertão) em 2013, ao mesmo tempo em que ocorreu a diminuição dos postos de trabalho na Região Metropolitana de Natal (RMN). Por sua vez, os estabelecimentos localizados no interior realizam apenas a etapa da costura de peças do vestuário, estando subordinados às indústrias localizadas na RMN. Assim, nosso objetivo geral é entender como o uso corporativo do território evidenciado a partir das “facções” de costura e de programas como o Pró-Sertão contribui para a reorganização espacial do setor de confecções de artigos do vestuário no Rio Grande do Norte. Os procedimentos metodológicos utilizados envolvem a pesquisa bibliográfica, coleta e sistematização de dados secundários e trabalho de campo. A análise revela que o RN participa da divisão territorial do trabalho industrial no Brasil a partir da produção de confecções de artigos do vestuário em função da oferta de mão de obra barata em relação ao Sul e ao Sudeste, bem como pela existência de um aparato normativo que estimula o crescimento do setor.  As maiores indústrias, localizadas na região metropolitana de Natal num processo de mudança organizacional passaram a terceirizar a etapa da costura junto a unidades produtivas menores localizadas no interior do estado, com o objetivo de diminuir os custos com investimentos e encargos relacionados à manutenção da mão de obra. Tal processo se apoia na constituição do uso corporativo do território, a partir do qual diversos agentes, em solidariedade organizacional desempenham um papel específico no sentido de realizar os interesses das grandes indústrias, as quais controlam todo o processo produtivo. A Tipologia e topologia das facções de costura evidenciaram uma maior densidade de empresas e diversidade de tipos em Jardim do Seridó, São José do Seridó e Parelhas. O maior dinamismo da atividade no Seridó está relacionado às menores possibilidades de acesso a emprego formal, sobretudo nos pequenos municípios. A abertura de facções de costura impulsionou um processo de especialização produtiva, de modo que em alguns lugares mais da metade da população com emprego formal trabalha no ramo de confecções. Já no Agreste e Leste potiguar, a proximidade com a RMN e a existência de uma rede de transporte público possibilita à população de seus municípios maiores possibilidades de acesso ao emprego formal, o que explica uma menor incidência e o menor dinamismo das facções de costura.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2346233 - FRANCISCO FRANSUALDO DE AZEVEDO
Interno - 967.384.054-72 - JANE ROBERTA DE ASSIS BARBOSA - UFRN
Externo à Instituição - MARIA MONICA ARROYO - USP
Notícia cadastrada em: 06/03/2018 09:43
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao