Banca de DEFESA: RICARDO RAYAN NASCIMENTO ROCHA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RICARDO RAYAN NASCIMENTO ROCHA
DATA : 23/03/2018
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do Departamento de Geografia
TÍTULO:

POR UMA CRÍTICA AO FENÔMENO TURÍSTICO DO DELTA DO PARNAÍBA (PI-MA): DO USO DO TERRITÓRIO AO FETICHE DA INDÚSTRIA LIMPA


PALAVRAS-CHAVES:

Turismo. Uso do território. RESEX Marinha Delta do Parnaíba


PÁGINAS: 127
RESUMO:

O fenômeno turístico, enquanto atividade que vem produzindo suas “geografias” para o seu acontecer, possui uma dinâmica socioespacial que produz novos desdobramentos no uso do território e, consequentemente, no espaço geográfico. Isso acontece devido à lógica - inerentemente econômica - dessa atividade no processo de apropriação da paisagem, assim como das singularidades (sociais, culturais, ambientais, etc.) do lugar para a materialização do turismo. Entretanto, embora seja uma atividade que se associe ao paradigma do desenvolvimento sustentável, isto é, como alternativa no processo de conciliação harmônica entre o homem e o meio ambiente, pensando os impactos ambientais – isso relacionada às outras atividades econômicas –, existe um complexo de contradições vide o discurso ideológico que sustenta o turismo. Nesta perspectiva, objetivamos nessa pesquisa analisar o processo de territorialização do turismo na RESEX Marinha do Delta do Parnaíba (PI-MA), buscando apreender às intencionalidades desta atividade turística no uso do território. Para isto, adotamos, enquanto metodologia, um levantamento bibliográfico, tanto da literatura geográfica, assim como de outras áreas correlatas, além de uma pesquisa documental, como dados primários para a construção inicial da narrativa aqui proposta. Em concomitância, realizamos entrevistas semiestruturadas junto às comunidades tradicionais e o ICMBio, personagens importantes para o processo de territorialização da RESEX Marinha Delta do Parnaíba. Portanto, os resultados obtidos apontam que para que o fenômeno turístico aconteça no Delta do Parnaíba, sobretudo, na sua RESEX, este invisibiliza outros usos do território, como o extrativismo da cata de caranguejo e a pesca artesanal. Ou seja, o uso enquanto abrigo não entra como elemento no processo de turistificação, em detrimento do uso enquanto recurso pelo Turismo. Com isso, observamos que a territorialização do turismo no Delta é excludente, senão, contraditória, pensando a ausência de impactos no desenvolvimento local e geração de rendas para as comunidades tradicionais da RESEX Marinha Delta do Parnaíba. Tal contradição básica evidencia a necessidade de repensar o turismo por meio de outras perspectivas, como instrumento de afirmação de território para as comunidades inseridas na RESEX Marinha Delta do Parnaíba e assim demonstrar novas possibilidades para o turismo no contexto local.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 349682 - EDNA MARIA FURTADO
Interno - 1149402 - MARIA APARECIDA PONTES DA FONSECA
Externo à Instituição - SHAIANE VARGAS DA SILVEIRA - UFPI
Notícia cadastrada em: 05/03/2018 10:11
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao