Banca de DEFESA: ONDINA KARLA MOUSINHO DA SILVA ROCHA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ONDINA KARLA MOUSINHO DA SILVA ROCHA
DATA : 20/02/2018
HORA: 08:30
LOCAL: SALA II DO DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA DA UFRN
TÍTULO:

ANÁLISE DA PROTEÍNA DE CHOQUE TÉRMICO 27 (HSP27) EM CARCINOMAS DE CÉLULAS ESCAMOSAS DE LÍNGUA ORAL


PALAVRAS-CHAVES:

Câncer oral; Língua; Imuno-histoquímica; Prognóstico


PÁGINAS: 101
RESUMO:

O carcinoma de células escamosas de língua oral (CCELO) apresenta altas taxas de morbidade e mortalidade. Novos métodos de detecção precoce e avaliação de risco estão sendo estudados com o intuito de predizer o prognóstico dos pacientes e direcionar um tratamento diferenciado. Neste contexto, vários biomarcadores moleculares têm sido investigados com esta finalidade, dentre eles a heat shock protein 27 (HSP27).  Esta pesquisa objetivou analisar se a HSP27 exerce alguma influência na patogenia dos CCELOs, além de correlacionar a sua imunoexpressão com parâmetros clinicopatológicos e com a sobrevida dos pacientes. A amostra foi constituída por 55 casos de CCELO e 20 espécimes de mucosa oral normal. Para o estudo histomorfológico foram utilizados os sistemas de gradação de malignidade propostos pela OMS em 2005, por Brandwein-Gensler  et al. (2005) e por Almangush et al. (2014). A expressão da HSP27 foi avaliada através do Sistema de Escore de Imunorreatividade (IRS). Para verificar a associação de imunopositividade da HSP27 com os parâmetros clinicopatológicos foram utilizados os testes estatísticos de Qui-quadrado de Pearson e o Exato de Fisher. As curvas para análise de sobrevida foram realizadas pelo método de Kaplan Meier. Para todas as avaliações foram considerados valores significativos com p<0,05. Foi observado um maior IRS para a mucosa oral normal quando comparado aos casos de CCELO (p<0,001), indicando que há uma redução de expressão desta proteína nestas neoplasias, embora este achado seja documentado na literatura, os mecanismos envolvidos não são esclarecidos, estudos moleculares específicos são necessários a fim de elucidar os eventos genéticos e epigenéticos envolvidos na redução da expressão da HSP27 nos casos de CCELO. Não foram encontradas associações significativas entre a imunomarcação desta proteína com os parâmetros clinicopatológicos e com a sobrevida dos pacientes, sugerindo que esta proteína parece não influenciar o prognóstico dos pacientes com CCELO.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - KARUZA MARIA ALVES PEREIRA - UFC
Presidente - 1298808 - MARCIA CRISTINA DA COSTA MIGUEL
Interno - 350484 - ROSEANA DE ALMEIDA FREITAS
Notícia cadastrada em: 08/02/2018 10:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao