Banca de DEFESA: SILVANA TERESA LACERDA JALES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SILVANA TERESA LACERDA JALES
DATA : 05/12/2019
HORA: 08:30
LOCAL: Sala de aula do PPgDITM
TÍTULO:

DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E CARACTERIZAÇÃO DE HIDROGEL CONTENDO Aloe vera (L.) Burman f.


PALAVRAS-CHAVES:

Aloe vera; hidrogéis; acemanana; carbômer 940;


PÁGINAS: 87
RESUMO:

RESUMO
A composição química e as propriedades terapêuticas da Aloe vera (L.) Burman
f. (
A. vera) explicam seu uso potencial nas aplicações cosméticas, nutricionais e
farmacêuticas. O gel mucilaginoso de
A. vera presente nas folhas é rico em vários
compostos, principalmente polissacarídeos. Esses polissacarídeos, dos quais a maioria
das atividades terapêuticas reportadas decorre, incluem glucomananas, sendo a
acemanana o polissacarídeo predominante. As acemananas têm sido incorporadas em
produtos cicatrizantes disponíveis comercialmente para aplicação em ferimentos. O
objetivo do presente trabalho foi desenvolver formulações na forma farmacêutica
hidrogel para uso tópico contendo mucilagem de
A. vera para ser utilizada em psoríase.
Os hidrogéis foram preparados com 80 % p/p de mucilagem de
A. vera, alternando dois
tipos de polímero (aniônico e não iônico) carbômer 940 1% (FC1 e FC2) ou
hidroxietilcelulose 2% (FH3 e FH4), além de conservantes, antioxidantes e
sequestrantes. Frações polissacarídeas foram extraídas da mucilagem e empregadas
como grupo de marcadores químicos e caracterizadas por difração de raio-X,
espectroscopia de infravermelho (IV) e ressonância magnética nuclear (RMN). A
quantificação desses marcadores, na matéria-prima (mucilagem) e no produto acabado
(hidrogel), foi realizada por meio de técnicas espectrofotométricas na região UV-VIS.
Foram obtidos quatro hidrogéis (FC1, FC2, FH3 e FH4) a partir da mucilagem de
A.
vera
, e avaliados quanto às suas características organolépticas, reológicas, pH e teor de
acemanana. Os hidrogéis FH3 e FH4 (hidroxietilcelulose) apresentaram teor de
acemanana de 6,76 e 4,01 mg/g, respectivamente, FH4 apresentou pH 4,6 e FH3
demostrou comportamento reopético. As formulações com carbômer FC1 e FC2
apresentaram teor de acemanana de 8,69 mg/g e 9,17 mg/g, respectivamente, pH ideal
para aplicação em psoríase, boa espalhabilidade, comportamento reológico do tipo
pseudoplástico e tixotrópico, portanto, atendendo as características ideais para uma
forma semi-sólida de aplicação tópica.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - FABIOLA BERNARDO CARNEIRO - UFPB
Externo à Instituição - RAQUEL DE MELO BARBOSA
Interno - 1490222 - SILVANA MARIA ZUCOLOTTO LANGASSNER
Presidente - 6330567 - TULIO FLAVIO ACCIOLY DE LIMA E MOURA
Externo à Instituição - YANNA CAROLINA FERREIRA TELES - UFPB
Notícia cadastrada em: 03/12/2018 16:13
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao