Projeto Pedagógico do Curso

O Engenheiro de Telecomunicações é um profissional de formação generalista, que atua com materiais elétricos e eletrônicos; de medição e controle elétrico e eletrônico; sistemas de comunicação e telecomunicações com e sem fio; redes de comunicação e satélite. Estuda, projeta e especifica materiais, componentes, dispositivos ou equipamentos elétricos, eletromecânicos, eletrônicos, magnéticos, ópticos, de instrumentação, de áudio/vídeo e de telecomunicações.

Planeja, projeta, instala, opera e mantêm sistemas e instalações de telecomunicações, equipamentos, dispositivos e componentes, sistemas e equipamentos de comunicação interna, externa, celular e satélite, redes de comunicação, cabeamento interno, externo e estruturado de rede lógica, sistemas irradiantes, de radiodifusão, radar e sistemas de posicionamento e de navegação. Coordena e supervisiona equipes de trabalho, realiza estudos de viabilidade técnicoeconômica, executa e fiscaliza obras e serviços técnicos; e efetua vistorias, perícias e avaliações, emitindo laudos e pareceres. Em suas atividades, considera a ética, a segurança, a legislação e os impactos ambientais.

O Engenheiro Telecomunicações deverá ter as competências e habilidades usuais do profissional de Engenharia. Então, ao final do curso ele deverá ser capaz de:

- aplicar percepção espacial, raciocínio lógico e conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais na resolução de problemas de engenharia;

- projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados, avaliando criticamente ordens de grandeza e significância de resultados numéricos;

- desenvolver e aplicar modelos matemáticos e físicos a partir de informações sistematizadas e fazer análises críticas dos modelos empregados no estudo das questões de engenharia;

- conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos; e

- avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia.

 

Além disso, o egresso do curso de Engenharia de Telecomunicações, deve desenvolver as seguintes atitudes, em relação à situação de trabalho:

- supervisionar e avaliar criticamente a operação e manutenção de sistemas e processos;

- planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de engenharia;

- identificar, formular e resolver problemas de engenharia;

- desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas;

- comunicar-se eficiente e sinteticamente nas formas escrita, oral e gráfica;

- atuar em equipes multidisciplinares;

- compreender e aplicar a ética e responsabilidades profissionais;

- avaliar o impacto das atividades de engenharia no contexto social e ambiental; e

- assumir a postura de permanente busca de atualização profissional.

Quanto às competências profissionais específicas, o Engenheiro de Telecomunicações estará apto a atender à demanda do mercado de trabalho em sistemas de telecomunicações, com aplicações nas mais diversas atividades da sociedade e dos setores da economia.

Para a obtenção dos objetivos da reforma e buscando-se garantir que o futuro Engenheiro de Telecomunicações possua as competências e habilidades que se espera desse profissional, estão sendo adotadas algumas linhas de ação, detalhadas a seguir.

 Regulamento do Curso: alguns aspectos gerais e de caráter mais permanente estão sendo incluídos neste Projeto Pedagógico. Para outras normas e procedimentos de natureza mais mutável, contudo, julga-se que a sua definição no PP poderia reduzir a agilidade de adaptação do curso a novas situações. Por estas razões, será criada a figura do Regulamento do curso, que funcionará como uma consolidação das decisões do Colegiado sobre o dia-a-dia e a administração do curso de Engenharia de Telecomunicações. O Regulamento do curso complementará o Regulamento Geral dos Cursos de Graduação da UFRN nos aspectos que são específicos do curso.

Oferta das Disciplinas: Sobre o procedimento de oferta de disciplinas, haverá concentração no turno noturno, por se tratar de um curso noturno. Entretanto, os alunos deste curso poderão se beneficiar da oferta de disciplinas em outros turnos (matutino ou vespertino), como no caso das disciplinas ofertadas (pelo DCO) para o Curso de Engenharia Elétrica, ou das disciplinas ofertadas por outros departamentos acadêmicos (às vezes em várias turmas).

Oferta das disciplinas optativas: As disciplinas optativas serão oferecidas de acordo com as definições solicitadas pelos orientadores acadêmicos do curso e complementadas por uma consulta prévia feita aos alunos, de forma a tentar oferecer as disciplinas para as quais haja maior interesse e/ou necessidade. Essa consulta será realizada no semestre anterior ao oferecimento das referidas disciplinas. A proposta final de disciplinas optativas a serem oferecidas a cada semestre será elaborada pela Coordenação e levará em conta a disponibilidade de professores nos Departamentos. A oferta das disciplinas optativas será feita de forma a minimizar as coincidências de horários. O Colegiado do curso, a partir da análise das disciplinas optativas que são oferecidas com mais regularidade e que têm maior procura, poderá elaborar um calendário plurianual de oferecimento, a ser seguido pela Coordenação na elaboração da proposta de oferta de disciplinas a cada período letivo.

Reconhecimento/Validação de Conhecimentos Prévios: O aluno com comprovado conhecimento em um determinado conteúdo poderá solicitar dispensa de cursar disciplina(s) relacionada(s) a este conteúdo.

 

Carga Horária Máxima: A carga horária máxima por período letivo será de 30 (trinta créditos), ou 300 horas como carga horária máxima por período letivo, não sendo incluídas neste limite as cargas horárias das atividades complementares, dos estágios obrigatório e não obrigatório e do trabalho de conclusão de curso.

 

Orientação Acadêmica: A orientação acadêmica será exercida em conjunto pela Coordenação e por professores do Departamento de Engenharia de Comunicações (DCO), que será o departamento mais ligado ao curso. A ideia é indicar cada professor como orientador do conjunto de alunos que ingressaram em um mesmo semestre letivo. O professor permanecerá como orientador destes alunos até que concluam o curso. A cada semestre um novo professor assumirá a orientação dos alunos que ingressarem no curso naquele período. Os professores exercerão esta função em sistema de rodízio.

 Avaliação da Aprendizagem: Esta avaliação seguirá a resolução vigente que rege o sistema de avaliação das disciplinas na UFRN, tendo como referência o perfil do egresso, os objetivos do curso e as competências profissionais orientadoras para a formação do Engenheiro de Telecomunicações.

 

A gestão curso é responsável pelo acompanhamento e avaliação do mesmo. Esta avaliação está sendo executada por uma comissão avaliadora, composta por membros do Colegiado do curso, para acompanhar os resultados advindos da execução do Projeto Pedagógico. A avaliação por órgãos externos (e.g. MEC) ainda não foi realizada.

Baixar Arquivo
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao