Projet Pédagogique de Cours

      É objetivo do Curso de Geologia da UFRN formar bacharéis com condições de atuar profissionalmente nas várias áreas englobadas pela Geologia moderna. A atual proposta pedagógica intenciona contemplar diferentes perfis profissionais do conhecimento geológico, garantindo a formação de um profissional eclético, não obstante o mesmo seja capaz de se aprofundar e especializar-se em subáreas específicas.
Espera-se que o egresso formado pelo Curso de Geologia da UFRN seja capaz de:

• Adequar-se de forma responsiva às mudanças tecnológicas e aos novos ambientes de trabalho aos quais ele possa vir a atuar;
• Ler e ser capaz de se expressar oralmente e por escrito, corretamente, em língua portuguesa;
• Empreender e exercer liderança, coordenação e supervisão na sua área de atuação profissional;
• Possuir a capacidade de gerir a sua própria aprendizagem e desenvolvimento, incluindo a gestão de tempo e competências organizacionais;
• Preparar e apresentar seus trabalhos e problemas técnicos e suas soluções para audiências diversas, em formatos apropriados (oral e escrito);
• Identificar ganhos econômicos nacionais e sociais advindos da aplicação de práticas de inovação no desenvolvimento da profissão e na pesquisa, de forma a zelar pela propriedade intelectual nacional e sua utilização ao desenvolvimento da economia brasileira.

      Em acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Geologia e Engenharia Geológica (Resolução 1/2015 – CNE/MEC) o egresso formado pelo Curso de Geologia da UFRN deverá possuir minimamente as seguintes habilidades e competências:
• Possuir a capacidade de realizar mapeamento geológico, trabalhos topográficos e geodésicos, levantamentos geoquímicos e geofísicos, estudos relativos às ciências da Terra, trabalhos de prospecção e pesquisa para a
cubagem de jazidas e determinação de seu valor econômico e ensino de ciências geológicas;
• Ser capaz de planejar, executar, gerenciar, avaliar e fiscalizar projetos, serviços e ou pesquisas científicas básicas ou aplicadas que visem ao conhecimento e à utilização racional dos recursos naturais e do ambiente e
ao aproveitamento tecnológico dos recursos minerais e energéticos sob o enfoque de mínimo impacto ambiental;
• Deter a capacidade de pesquisar novas alternativas de exploração, conservação e gerenciamento de recursos hídricos;
• Poder fornecer as bases para o planejamento da ocupação urbana e para a previsão e prevenção de riscos de acidentes por desastres naturais e/ou antrópicos, assim como desenvolver e aplicar métodos e técnicas
direcionadas à gestão ambiental;
• Desenvolver métodos de ensino e pesquisa das Geociências, voltados tanto à melhoria do desempenho profissional como para a ampliação do
conhecimento;
• Deter sólida formação em Ciências Exatas que os capacitem a construir abordagens quantitativas e multidisciplinares das informações geológicas, além de possuir conhecimento acerca das novas tecnologias relacionadas ao exercício da profissão e da pesquisa na área de Geologia, domínio da língua
portuguesa, em leitura e expressão escrita e conhecimento de línguas estrangeiras;
• Possuir visão abrangente das Geociências e de suas interações com ciências
correlatas;
• Apresentar atitude ética, autônoma, crítica, empreendedora e manter atuação propositiva na busca de soluções de interesse da sociedade, agindo de forma reflexiva na gestão e construção de projetos que envolvam recursos
geológicos, seu processamento e utilização, compreendendo o seu impacto direto ou indireto sobre as pessoas e a sociedade.

     O Projeto Pedagógico de Curso ora apresentado foi motivado principalmente pela necessidade de se adequar a atual estrutura curricular do Curso de Geologia da UFRN às novas Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Geologia e Engenharia Geológica (Resolução 1/2015 – CNE/MEC), levando em consideração o perfil desejado do egresso e suas competências e habilidades. Este novo PPC busca ainda corrigir pequenas falhas do currículo vigente, em especial no que se refere à flexibilização de pré-requisitos e correquisitos, adequando-o também ao Regulamento dos Cursos Regulares de Graduação da UFRN (Resolução 171/2013 – CONSEPE/UFRN).

      A matriz curricular proposta contempla a formação básica e profissional do geólogo. Abrange também conteúdos temáticos, conteúdos complementares e conteúdo curricular comum, conforme estabelecido no Parecer 387/2012 – CNE/MEC.

     Os conteúdos básicos são responsáveis pela formação básica em Geologia e áreas afins. Estes são somados aos conteúdos para a formação geológica específica, que se constituem de toda atividade acadêmica que integre o processo de aquisição de competências e habilidades necessárias ao exercício da profissão. Esses conteúdos
equivalem ao que se denominam Componentes Curriculares Obrigatórios no Regulamento dos Cursos Regulares de Graduação da UFRN (Resolução 171/2013 – CONSEPE/UFRN).

      Os conteúdos temáticos possuem a função de dar ao estudante a opção de se aprofundar em temas de seu interesse e da sociedade e de dotá-lo de formação polivalente. Equivalem aos Componentes Optativos da Resolução 171/2013 – CONSEPE/UFRN.

      Os conteúdos curriculares comuns têm o objetivo de contribuir para a formação social ampla do estudante. Estão incluídos neste grupo os conteúdos previstos nas Resoluções 01/2004 e 01/2012 – CNE/MEC, que que tratam respectivamente das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana e da Educação de Direitos Humanos, tornam esses conteúdos obrigatórios em todos os níveis da educação brasileira, incluindo o ensino superior. Diante disto, decidimos que esses conteúdos fossem introduzidos para os alunos através das disciplinas obrigatórias, GEO0402 Geologia Geral I, GEO0311 Geomorfologia, GEO0308 Geologia Ambiental I, e GEO0582 Prospecção.

      Além destes componentes obrigatórios, os alunos terão oportunidade, também, de cursar estes temas relacionados às Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana, em disciplinas optativas oferecidas pelo Departamento de Antropologia da UFRN (Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes – CCHLA – componente curricular DAN 0024, Direitos Humanos, Diversidade Cultural e Relações Étnico-Raciais), bem como conteúdos ofertados pelo Departamento de Fundamentos e Políticas da Educação da UFRN (Centro de Educação – CE) em Língua Brasileira de Sinais – Libras (componente curricular LET0568 Língua Brasileira de Sinais – Libras), conforme dispõe o Decreto no 5.626, de 22/12/2005, que regulamenta a Lei no 10.436, de 24/4/2002. Também estão incluídos nesse grupo, conteúdos relacionados a educação e gestão ambiental, a exemplo dos componentes curriculares ECL0010 Ecologia Geral, GEO0536 Gestão Ambiental, GEO0592 Legislação Mineral e Ambiental, GEO0576 Geologia Ambiental I e GEO0577 Geologia Ambiental II.

      Por sua vez, os conteúdos complementares oferecem ao estudante de Geologia conteúdos interdisciplinares e transdisciplinares, de diversas áreas do conhecimento, como em Ciências Humanas, conteúdos relativos à educação; em Economia, História, Filosofia da Ciência, Gestão, Administração e Comunicação; em Ciências Moleculares; em Ciências Ambientais, dentre outros. É importante mencionar que tópicos de educação ambiental e meio ambiente são abordados de forma transversal durante o curso, conforme estipula a Lei 9.795, de 27 de
23 abril de 1999. De fato, vários conhecimentos básicos e específicos na interface da Geologia com as demais ciências da natureza são, por excelência, conteúdos transversais, como, por exemplo, o ser humano como agente geológico, tempo e clima, biodiversidade, informática aplicada. Esses conteúdos estarão presentes principalmente em disciplinas, módulos e atividades de conteúdos para a formação geológica específica, conteúdos temáticos,
conteúdos curriculares comuns e complementares.

      Por fim, deve-se enfatizar aqui a diferença entre conteúdos complementares (disciplinas eletivas) e as atividades complementares, também previstas no Parecer 387/2012 – CNE/MEC. Conforme disposto neste parecer “as atividades complementares, em áreas relacionadas à Geologia ou interfaces interdisciplinares, são componentes curriculares que têm como objetivo principal enriquecer e expandir o perfil do egresso com atividades que privilegiem aspectos diversos da sua formação, incluindo atividades desenvolvidas fora do ambiente acadêmico. Tais atividades podem ser cumpridas em diversos ambientes, como a instituição a que o estudante está vinculado, outras instituições e variados ambientes sociais, técnicos-científicos ou profissionais, em modalidades tais como: formação profissional (cursos de formação profissional, experiências de trabalho ou estágios não obrigatórios), de extensão universitária junto à comunidade, de pesquisa (iniciação científica e participação em eventos técnicos-científicos, publicações científicas), de ensino (programas de monitoria e tutoria ou disciplinas de outras áreas), políticas (representação discente em comissões e comitês) e de empreendedorismo e inovação (participação em empresas juniores, incubadoras ou outros mecanismos). As atividades complementares não eliminam atividades regulares focadas na pesquisa, extensão ou novas estratégias de aprendizado. Podem, sim, complementá-las de forma a ampliar a capacidade do currículo em enriquecer experiências próprias dos estudantes”.

      Os componentes curriculares obrigatórios descritos acima foram distribuídos em forma de disciplinas, módulos e atividades e serão detalhados adiante. As disciplinas respondem pela maior parte da carga-horária do curso, totalizando 2220 horas obrigatórias; os módulos respondem por 680 horas obrigatórias, o estágio curricular obrigatório responderá por 120 horas, enquanto o trabalho de conclusão de curso (TCC) por 120 horas,
completando a carga horária obrigatória que será de 3140 horas do curso de Geologia da UFRN. Os componentes curriculares optativos (disciplinas e atividades de extensão) perfazem um total de 392 horas, enquanto que as atividades curriculares complementares, que também incluem ações de extensão, corresponderão a 392 horas (ver Quadro 5).

         Como referido anteriormente, deve-se destacar que, em obediência ao disposto nas Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Geologia e Engenharia Geológica (Resolução 1/2015 – CNE/MEC), a presente proposta prevê uma totalização mínima de 745 horas de atividades de campo. Essa totalização será cumprida com componentes curriculares (módulos) estritamente voltados a atividades de campo como: GEO0502 Geologia de Campo Introdutória (com 70 horas); GEO0523 Mapeamento Geológico de Terrenos Sedimentares (com 110 horas); GEO0544 Mapeamento Geológico de Terrenos Cristalinos (com 80 horas); GEO0545 Geologia de Campo de Terrenos Cratônicos (com 145 horas) e GEO0564 Mapeamento Geológico Aplicado à Exploração Mineral (com 110 horas). Somente esses componentes em conjunto serão responsáveis por 515 horas (ou cerca de 69%) das atividades de campo. As demais horas (ou aproximadamente 31%) serão integralizadas por meio da cargas-horárias de campo em diversos outros componentes curriculares obrigatórios da nova estrutura, sendo estes: GEO0442 Geologia Geral I (15 hs); GEO0452 Geologia Geral II (15 hs); GEO0311 Geomorfologia (15 hs); GEO0320 Sedimentologia (15 hs); GEO0312 Estratigrafia (15 hs); GEO0541 Fundamentos de Fotogrametria e Fotogeologia (15 hs); GEO0550 Sensoriamento Remoto (15 hs); Geologia Estrutural I (15 hs); GEO0410 Geofísica (15 hs); GEO0326 Petrologia Metamórfica (15 hs); GEO0325 Petrologia Ígnea (15 hs); GEO0447 Recursos Minerais Metálicos (15 hs); GEO0572 Recursos Minerais Industriais (15 hs); GEO0591 Projeto de Trabalho de Conclusão de Curso em Geologia (15 hs) e GEO0500 Trabalho de Conclusão de Curso em Geologia (50 hs).

    A presente proposta de PPC prevê o uso de tecnologias de informação e comunicação de modo a auxiliar o processo de ensino/aprendizagem. A principal ferramenta que já é efetivamente utilizada e cujo emprego continuará a ser estimulado é o Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA) da UFRN. Via de regra os professores que ofertam disciplinas ao Curso de Geologia já utilizam o sistema acadêmico para dar acesso aos alunos a materiais didáticos e atividades que promovem a continuidade do aprendizado dos alunos fora das quatro paredes das salas de aulas e laboratórios. Ressalte-se que o SIGAA continuará a ser utilizado como o principal portal de comunicação entre os docentes e discentes.

Historicamente, os projetos pedagógicos do curso de Geologia da UFRN estimulam a investigação geológica, com grande quantidade de disciplinas com atividades práticas e de campo, onde o estudante aplica o conhecimento teórico visto em sala de aula. Em especial, citam-se as disciplinas Mapeamento de Terrenos Sedimentares e Mapeamento de Terrenos Cristalinos, em que grupos de estudantes são responsáveis pelo mapeamento de uma área, utilizando para tal todo o conhecimento teórico-prático absorvido em disciplinas anteriores.

     O Trabalho de Conclusão de Curso e atividades desenvolvidas em outras disciplinas também incentivam a investigação científica. Além disso, os alunos são estimulados a participarem de projetos de Iniciação Científica, desde seus primeiros semestres.

       Os alunos são também estimulados a se engajarem em atividades de extensão universitária, cuja oferta será obrigatória por parte do curso, seja por meio de ações de popularização do conhecimento geológico, seja por meio de projetos voltados à população (gestão urbana, políticas públicas) que envolvam a integração entre teoria e prática nos diversos laboratórios do Departamento de Geologia, em especial nas áreas de Geoprocessamento, Geologia Urbana, Geologia Marinha, Geologia e Geoquímica Ambiental
e Médica.

       A gestão e avaliação deste Projeto Pedagógico são centralizadas no Núcleo Docente Estruturante (NDE), que se constitui de um grupo de docentes vinculados ao Departamento de Geologia e que ministram componentes curriculares no Curso de Geologia, com atribuições acadêmicas de acompanhamento. Essa equipe atua no processo de concepção, consolidação e atualização contínua do projeto pedagógico do curso, conforme Resolução
124/2011 – CONSEPE/UFRN.

A avaliação será executada a partir das seguintes ações:
• Reuniões periódicas com os docentes responsáveis pelos diferentes componentes curriculares do curso em áreas afins, para discussão sobre os métodos e ferramentas pedagógicas a serem utilizadas;
• Reuniões periódicas entre o NDE, docentes e discentes para avaliar a eficácia do PPC e detectar a necessidade de possíveis ajustes;
• Revisão geral deste PPC após 3 (três) anos da sua implantação, sem prejuízo de ajustes pontuais que possam ser realizados a qualquer momento pelo Colegiado do Curso, ouvido o NDE, para correção de imperfeições
detectadas.

Télécharger File
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao