Apresentação

O ensino superior no Campus de Caicó inicia-se com o Núcleo Avançado de Caicó (NAC), criado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, através da Resolução nº 83/73 de 4 de outubro de 1973- CONSUNI, objetivando oferecer, na região, as disciplinas do 1º ciclo da Área Humanística, para Cursos de Licenciatura e, sob a coordenação do CRUTAC (Centro Rural Universitário de Treinamento e Ação Comunitário) promover Cursos de extensão universitária, nas áreas de Economia, Agropecuária, Administração, Engenharia, Enfermagem, Contabilidade, Odontologia e, além de outras, Medicina.

 

O primeiro vestibular do NAC aconteceu em 1974. Cem (100) vagas foram oferecidas entre os Cursos de Administração, Assessor Secretário Executivo, Direito, Ciências Econômicas, Licenciatura em Ciências Sociais, Geografia, História, Letras e Pedagogia. Para cada um dos Cursos foram destinadas dez (10) vagas.

 

O NAC foi instalado nas antigas dependências do Seminário Santo Cura d'Ars, prédio cedido pela Diocese de Caicó. O reitor Genário Alves da Fonseca ministrou a aula inaugural em 9 de março de 1974 e dois dias depois tinha início o período letivo - uma experiência pioneira de interiorização em sua administração. Professores lotados nos diversos departamentos do Campus Central eram colocados parcialmente à disposição do Núcleo Avançado. Somente através da Resolução nº 59/77 – CONSUNI, que criava o Centro Regional de Ensino Superior do Seridó, constituído pelos Campi de Caicó e Currais Novos, foi dado aos professores o direito de optar pela permanência nos departamentos de origem ou pela lotação nos departamentos criados no CERES.

 

Grande parte do quadro docente deste centro de ensino era constituído por professores colaboradores que mediante concurso teriam contrato provisório, podendo ser renovado desde que preenchessem os critérios estabelecidos no processo de avaliação interna da UFRN. Pelo disposto no decreto nº 87018 de 15 de março de 1982 e portaria DASP nº 399, de 7 de abril de 1992, os professores foram incluídos na categoria funcional de Professor de Ensino Superior, Professor Assistente - referência 1.

 

Em 1975, o NAC passou a oferecer apenas os Cursos de Estudos Sociais, Administração, Letras e Pedagogia. Os alunos aprovados nos Cursos de Geografia e História foram integrados ao Curso de Estudos Sociais. A partir de 13 de julho de1977, de acordo com a Resolução nº 86/77 – CONSEPE, foram autorizados a reingressarem nos Cursos de História Geografia (Licenciatura Plena), os alunos que tinham concluído o Curso de Estudos Sociais (Curta Duração) da UFRN.

 

No segundo semestre de 1988, após a reforma curricular visando unificar as duas modalidades do Curso (licenciatura e bacharelado) em troncos de disciplinas comuns, o Curso de História passou a formar profissionais aptos a atuarem nas áreas de ensino, pesquisa e extensão.

 

Em 1993 foi desencadeado, através da Pró-Reitoria Acadêmica, um conjunto de discussões e encaminhamentos que resultou nas Diretrizes para uma Política de Interiorização. Em decorrência, e visando fortalecer a presença da UFRN no Seridó, foi resgatada a iniciativa de 1977, sendo criado novamente o Centro Regional de Ensino Superior do Seridó, através da Resolução nº 004/95 – CONSUNI.

 

Como Unidade Cêntrica, o CERES passou a ser organizado em três Departamentos. Em Caicó: Departamento de Ciências Exatas e Aplicadas (DCEA), formado por professores que atuam nos cursos de Matemática e Ciências Contábeis, contando com 30 docentes e o Departamento de Estudos Sociais e Educacionais (DESE), o qual abrigava professores que lecionavam nos Cursos de Pedagogia, História e Geografia, com 31 docentes. Em Currais Novos: Departamento de Ciências Sociais e Humanas (DCSH), com professores dos cursos de Administração e Letras, com 26 docentes. Em 1999, no Campus de Caicó foi criado – do desmembramento do DESE – o Departamento de História e Geografia, com 16 docentes. Em 1997 foi criado o Curso de Direito, com seus professores lotados no DESE.

 

Em 2004 se ofertou, por último, de forma associada, a Licenciatura junto com o Bacharelado. Por determinação do Ministério da Educação, os cursos que tivessem tal tipologia deveriam ser dissociados, ação que foi conduzida a partir do concurso da Pró-Reitoria de Graduação da UFRN, e, a partir do estudo feito pelos professores ligados ao Curso de História, em Caicó, optou-se pela manutenção, apenas, da Licenciatura, com ingresso a partir do ano de 2005, no turno matutino. Três anos mais tarde, no contexto de Reestruturação e Expansão da Universidades Federais (REUNI), a partir de provocação da Reitoria da UFRN, os professores do Curso de História implementaram o projeto do Bacharelado, que foi criado, passando a ser ofertado em 2009, no turno noturno, como modalidade específica.

 

Em 2012, instado pelo Núcleo Docente Estruturante (NDE) do Curso de História, o corpo de professores do Curso de História promoveu reforma curricular, alterando a estrutura da oferta de componentes curriculares e atividades, bem como, mantendo a oferta da Licenciatura nos turnos matutino e noturno, e transferindo o Bacharelado para ser ofertado pela manhã. A partir de 2013, as turmas de Licenciatura e Bacharelado foram ofertadas, em conformidade com os turnos mencionados, perfazendo a estrutura curricular com a seguinte arquitetura: para a Licenciatura, carga horária total mínima de 3 mil horas, sendo 1.980 em componentes curriculares obrigatórios, 420 em optativos, 400 horas de estágio supervisionado obrigatório e 200 horas de atividades complementares (UFRN, 2012a); para o Bacharelado, carga horária total mínima de 2.850 horas, sendo 2.100 horas em componentes curriculares obrigatórios, 420 em optativos, 210 horas de trabalho de conclusão de curso e 120 horas de atividades complementares.

 

A estruturação do Curso de Graduação em História no CERES, desde 1974, mostrou-se exitosa tendo em vista as ações de Ensino, Pesquisa e Extensão realizadas desde então nos Sertões do Seridó. Em 2009, como já referimos, o DHC-CERES contou com o impacto positivo da criação do Curso de História na modalidade Bacharelado, que, por sua natureza acadêmica, salienta as atividades de pesquisa e organização de acervos arquivísticos e museológicos, bem como, as rotinas de produção científica, com produção de projetos, orientação para a investigação e defesa de trabalhos de conclusão de curso. Tal capital cultural vem sendo nutrido por uma infraestrutura primorosa de laboratórios (Laboratório de Documentação Histórica – Labordoc, Laboratório de Arqueologia do Seridó – LAS, Laboratório de Ensino de História e Educação Patrimonial – LENHEP, Laboratório de História e Práticas de Pesquisa – LHCP) e Museu do Seridó, que proporcionam um suporte sustentável às práticas de aprendizagem e desenvolvimento de pesquisa universitária em nível avançado.

Coordenação do Programa: FABIO MAFRA BORGES

Telefone/Ramal:

E-mail: Nenhum conteúdo disponível até o momento

Título do Profissional: Nenhum conteúdo disponível até o momento Área de Conhecimento CNPQ: Ciências Humanas Convênio Acadêmico : Nenhum conteúdo disponível até o momento Modalidade de Curso: Presencial
Calendário Fique por dentro dos eventos relacionados ao nosso Calendário Acadêmico.
  • 12/07/2017 - 17/07/2017 · Matrícula para o período 2017.2.
  • 24/07/2017 · Início do período letivo 2017.2.
  • 12/07/2017 - 17/07/2017 · Matrícula para o período 2017.2.
Notícias Veja abaixo as noticias referentes ao nosso Curso.
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao