Banca de QUALIFICAÇÃO: LINA IZABEL SENA DE BRITO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LINA IZABEL SENA DE BRITO
DATA : 10/11/2017
HORA: 15:00
LOCAL: Sala 38-D, DEART
TÍTULO:

O som que se faz debaixo d'água


PALAVRAS-CHAVES:

Dramaturgia. Processos de criação. Docência. Teatro.


PÁGINAS: 97
RESUMO:

A encenação “O som que se faz debaixo d’água” do “Grupo Cores” Projeto de Extensão da
Universidade Federal do Rio Grande do Norte do Departamento de Artes é o objeto de estudo
dessa escrita dissertativa. A problemática consiste na análise da criação cênica da peça
compreendendo que é importante entender o lugar de fala e a trajetória de quem escreve. No
título dessa introdução falo em “nascente” fazendo analogia entre o lugar que se inicia um
curso de água e o “parir” do processo de gestação de uma possível encenadora. Sinto-me
mangue, de zona úmida, ecossistema de transição terrestre, marinho e desaguadouro de rio. O
objetivo da pesquisa é compreender como uma criação contemporânea, se na metodologia de
um processo colaborativo na perspectiva de uma experiência de encenação, sensibiliza a
prática artística e docente do elenco envolvido considerando sua estética e sua pedagogia;
bem como analisar o processo artístico da peça “O som que se faz debaixo d’água”. A partir
dos objetivos propostos para essa escrita perguntamos: Como identificar o processo de criação
na experiência artística de quem o faz? Para sua compreensão metodológica partimos da
pesquisa qualitativa descritiva tendo como abordagem a Fenomenologia, em especial a
merleaupontyana, amparada no sensível e no mundo vivido da pesquisadora e dos artistas
investigadores; além de considerar o processo de criação como parte da experiência vivida. A
escrita dissertativa justifica-se ainda, por considera-la relevante enquanto vivência cênica
dentro de estéticas contemporâneas com professores e futuros professores da linguagem
teatral. O trabalho “O som que se faz debaixo d’água” utiliza essencialmente da poética
corporal à luz da compreensão enCenATIVA de um processo de criação em Teatro. Pode-se
considerar nessa proposta o corpo, enquanto base, processo e resultado cênico, buscando-se
na pesquisa seu entendimento processual de interpretes a docentes em Teatro.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2292957 - ARLETE DOS SANTOS PETRY
Presidente - 1958705 - MARCILIO DE SOUZA VIEIRA
Externo ao Programa - 2329999 - MELISSA DOS SANTOS LOPES
Notícia cadastrada em: 31/10/2017 17:41
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa22-producao.info.ufrn.br.sigaa22-producao