Banca de QUALIFICAÇÃO: LOILDE DAMASCENO BELARMINO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: LOILDE DAMASCENO BELARMINO

DATA: 22/06/2011

HORA: 14:00

LOCAL: Sala de Aula do Laboratório de Química I

TÍTULO:

Avaliação da potencialidade da perlita natural e expandida na adsorção de metais


PALAVRAS-CHAVES:

metais, adsorção e perlita


PÁGINAS: 137

GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra

ÁREA: Química

SUBÁREA: Química Analítica

ESPECIALIDADE: Análise de Traços e Química Ambiental

RESUMO:

A contaminação por íons metálicos vem ocorrendo há décadas através do lançamento de efluentes líquidos não tratados, principalmente de atividades industriais, nos rios e lagos, comprometendo a qualidade da água. Para que os efluentes possam ser descartados em corpos d'água, as normas ambientais exigem que os mesmos sejam adequadamente tratados, de modo que a concentração dos metais não ultrapasse os limites de condições padrões de lançamento no corpo receptor. Vários métodos para tratamento de efluentes têm sido apresentados na literatura, porém muitos deles são de alto custo e baixa eficiência. O processo de adsorção vem sendo utilizado como eficaz para remoção de íons metálicos. Neste trabalho são apresentados estudos para avaliar a potencialidade da perlita como adsorvente na remoção de metais em solução sintética. A perlita, na sua forma natural (PN) e expandida (PE), foi caracterizada por fluorescência de raios X, difração de raios X, análise da área superficial usando adsorção física de nitrogênio (método BET). As características físicas e a composição química apresentadas pelo material foram adequadas para o estudo de adsorção. Ensaios de adsorção pelo método de banho finito para soluções sintéticas dos íons metálicos Cr3+, Cu2+, Mn2+ e Ni2+ foram realizados, com intuito de estudar o efeito do pH,  da massa do adsorvente e do tempo de contato na remoção de íons em solução. Os resultados demonstraram que a perlita apresenta boa capacidade de adsorção. A PN apresenta maior capacidade de adsorção (mg g-1) do que a PE. De acordo com os valores da constante de Langmuir, qm (mg g-1), a capacidade máxima da monocamada foi obtida e em termos de proporção de massa, encontrou-se a seguinte ordem experimental de adsorção: Cr3+ (2,384 mg g-1) > Ni2+ (0,585 mg g-1) > Mn2+ (0,515 mg g-1) > Cu2+ (0,513 mg g-1) sobre a PN e Cr3+ (1,932 mg g-1) > Ni2+ (0,514 mg g-1) > Cu2+ (0,421 mg g-1) > Mn2+ (0,364 mg g-1)  sobre a PE. Os dados experimentais se ajustaram melhor ao modelo de Langmuir em relação ao de Freundlich para os íons Cu2+, Mn2+ e Ni2+. No entanto, para os íons Cr3+, ambos, os modelos se ajustaram adequadamente aos dados experimentais.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 350509 - ANTONIO SOUZA DE ARAUJO
Presidente - 349770 - DULCE MARIA DE ARAUJO MELO
Externo ao Programa - 347420 - MARCUS ANTONIO DE FREITAS MELO
Interno - 1412709 - NEDJA SUELY FERNANDES
Notícia cadastrada em: 10/06/2011 15:14
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao