Banca de DEFESA: GEOVANE CHACON DE CARVALHO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GEOVANE CHACON DE CARVALHO
DATA : 22/07/2019
HORA: 08:00
LOCAL: Auditório do NUPPRAR
TÍTULO:

COMPOSIÇÃO DE ÁCIDOS GRAXOS EM ÓLEOS VEGETAIS OBTIDA POR CROMATOGRAFIA GASOSA E SUA CORRELAÇÃO COM PROPRIEDADES TÉRMICAS, REOLÓGICAS, ESPECTROSCÓPICAS E OUTRAS PROPRIEDADES FÍSICO-QUÍMICAS


PALAVRAS-CHAVES:

Óleos vegetais, parâmetros de qualidade, termogravimetria, CG-MS, estudo reológico, análise físico-química, perfil de ácidos graxos


PÁGINAS: 120
RESUMO:

Este trabalho determinou o índice de acidez (I.A), saponificação (I.S.), peróxido (I.P.), iodo (I.I.), refração (I.R.), a densidade relativa (d), a viscosidade (ƞ), a composição e distribuição de ácidos graxos por cromatografia gasosa de acordo com Association of Official Analytical Chemists (AOAC) dos óleos vegetais extraídos do fruto do urucum (OU), cacay (OC), quinoa (OQ), café verde (OCV), jamelão (OJ) e moringa extraídos das sementes e das folhas e flores, respectivamente OMS e OMFF. Realizou a caracterização térmica utilizando termogravimetria e calorimetria. Realizou-se a análise dos voláteis liberados durante sua decomposição térmica por TG-FTIR e um estudo reológico. A partir do estudo reológico obteve-se para a energia de ativação (Ea) a seguinte ordem OU>OC>OJ>OCV>OMS>OQ>OMFF. A partir das curvas TG/DTG/DSC obtidas verificou-se que cada óleo analisado apresentou peculiaridades em sua decomposição térmica, a ordem de estabilidade proposta através TG/DTG é OQ> OMFF> OCV> OMS> OJ> OC> OU. A partir dos espectros de infravermelho foi possível observar a evolução dos voláteis durante a decomposição térmica, nas atmosferas de ar sintético e N2, dos diferentes óleos. Verificou-se que cada óleo possuem intensidades diferentes nos produtos de decomposição térmica. Observou-se que os produtos da decomposição dos óleos estudados apresentaram o mesmo perfil ao longo de suas decomposições térmicas, conclui-se que há um padrão na decomposição térmica desses óleos com produtos de decomposição semelhante. Os cromatogramas indicaram a presença de 13 ácidos graxos sendo o ácido linoleico (C18:2n6c) o ácido graxo mais abundantes em todos as amostras. A amostra OMFF apresentou maior teor de ácidos graxos insaturados enquanto a amostra de OJ apresentou maior teor de ácidos graxos saturados.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1199268 - JAILSON VIEIRA DE MELO
Externa à Instituição - LIVIA PAULIA DIAS RIBEIRO - UNILAB
Presidente - 7350310 - MARIA DE FATIMA VITORIA DE MOURA
Externa à Instituição - MARTA CÉLIA DANTAS SILVA - UFPB
Interna - 1569526 - RENATA MENDONÇA ARAUJO
Notícia cadastrada em: 11/07/2019 09:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa22-producao.info.ufrn.br.sigaa22-producao