Banca de QUALIFICAÇÃO: JOSÉ ADOLFO OLIVEIRA DAS CHAGAS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOSÉ ADOLFO OLIVEIRA DAS CHAGAS
DATA : 02/12/2016
HORA: 08:30
LOCAL: sala 3F1
TÍTULO:

PREPARO E CARACTERIZAÇÃO DE MEMBRANAS DE QUITOSANA COM GLICEROL PARA APLICAÇÃO EM TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS


PALAVRAS-CHAVES:

Quitosana. Glicerol. Sorção. Cobre


PÁGINAS: 75
RESUMO:

Ao longo dos últimos 20 anos, a quantidade e composição da água residual proveniente das atividades de exploração e processamento do petróleo tem causado preocupação quanto aos riscos ambientais. Métodos, tais como, filtração, osmose reversa, adsorção e oxidação química são comumente aplicados no tratamento destas águas, entretanto, esses métodos podem apresentar limitações, como, custo energético, espaço para instalação, geração de subprodutos, entre outras. Diante disso, surge como um material alternativo e de baixo custo, as membranas a base de biopolímeros. Dentro dessa classe, a quitosana, um polissacarídeo policatiônico obtido da quitina, vem sendo investigada. O presente trabalho tem como objetivo investigar os efeitos da adição do glicerol nas propriedades das membranas de quitosana e avaliar a sua aplicabilidade no tratamento de águas residuais. As membranas foram obtidas por casting e o glicerol foi adicionado ao pó de quitosana em duas proporções (m/m): 10 % e 25 %. As membranas com glicerol foram denominadas CS10 e CS25, respectivamente. As membranas CS, CS10 e CS25 foram caracterizadas pela técnica de espectroscopia de absorção na região do infravermelho (FTIR), análise de Difração de Raios-X (DRX), análise de Microscopia de Força Atômica (AFM), determinação de índice de intumescimento, propriedades mecânicas, análises térmicas (TG/DSC) e adsorção de íons cobre. Pelas análises comparativas dos espectros de infravermelho foi possível confirmar a incorporação do glicerol. Fato também confirmado pelas técnicas de DRX e AFM. A partir do DRX, observou-se um aumento do percentual de cristalinidade para a CS10, enquanto que, na CS25 ocorre a redução. Os estudos de topologia AFM também indicam esses efeitos. A presença do glicerol também afeta diretamente as propriedades mecânicas da quitosana. Os resultados mostram que a CS25 possui maior ductilidade, enquanto, a CS10 é mais rígida.  Os valores de índice de intumescimento para as membranas CS10 e CS25 em meio neutro mostram que a presença de glicerol confere maior caráter hidrofílico às membranas. A membrana CS25, apresentou redução nos índices de intumescimento em pH 4 e pH 10, enquanto a CS10 tem os índices de intumescimento favorecidos nestes meios. Nos estudos de adsorção foram verificadas excelentes propriedades de adsorção, alcançando valores entre 0,17-0,20 g.m-2, sendo a membrana CS25 mais eficiente para a remoção de cobre. Portanto, a partir deste estudo é possível considerar que o material tem potencialidades para a aplicação no tratamento de águas residuais da indústria do petróleo.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1530500 - ANA CRISTINA FACUNDO DE BRITO PONTES
Presidente - 2203888 - MARCIA RODRIGUES PEREIRA
Interno - 1149440 - ROSANGELA DE CARVALHO BALABAN
Notícia cadastrada em: 28/11/2016 14:43
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa16-producao.info.ufrn.br.sigaa16-producao