PPGQ/CCET PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA INSTITUTO DE QUÍMICA Telefone/Ramal: (84) 3342-2323/136 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgq

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANTONIO MARCOS URBANO DE ARAUJO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANTONIO MARCOS URBANO DE ARAUJO
DATA: 22/12/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 3F3
TÍTULO:

Síntese, Caracterização dos complexos metálicos formados a partir L-dopa, carbidopa e benzimidazol e os metais Ni2+ e Co2+


PALAVRAS-CHAVES:

complexos, l-dopa, carbidopa, benzimidazol, metais.


PÁGINAS: 78
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Inorgânica
ESPECIALIDADE: Campos de Coordenação
RESUMO:

Este trabalho trata da síntese e caracterização de compostos de coordenação formados a partir dos fármacos (ligantes) L-dopa, Carbidopa e Benzimidazol com os metais Níquel e Cobre. Estes fármacos são amplamentes usados na medicina humana para tratamento de doenças como o Mal de Parkinson no caso da L-dopa e Carbidopa já o benzimidazol é utilizado como anti-helmínticos tanto em humanos quanto em animais mamíferos. Após as sínteses e obtenções dos complexos as amostras foram caracterizadas por Análise Elementar de CHN, Espectroscopia de absorção no Infravermelho médio (FTIR), Termogravimetria (TG), Análise Térmica Diferencial (DTA) simultânea e Calorimetria Exploratória Diferencial (DSC), Difração de raios-X, medidas de condutividade molar. Os espectros de absorção na região do infravermelho sugerem uma coordenação do ligante ao átomo central pelas hidroxilas dos ligantes L-dopa e Carbidopa. Já para o benzimidazol essa coordenação acontece pelo nitrogênio do grupo imidazol. Os resultados de Análise térmica juntamente com a Análise Elementar corroboraram para a proposição das estequimetrias dos complexos formados. Os difratogramas de raios x mostraram que para os complexos a partir da L-dopa e Carbidopa não apresentam picos de cristalinidades, formando assim complexos de natureza amorfa. Já para os complexos de Benzimidazol, picos de cristalinidades foram observados nos difratogramas, o que indica uma cristalinidade nos complexos formados. Os dados de condutividade molar apontaram que as soluções dos complexos formados se comportam como um não-eletrólito, o que implica dizer que o cloro está coordenado ao átomo central nos complexos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 7350310 - MARIA DE FATIMA VITORIA DE MOURA
Interno - 350633 - ADEMIR OLIVEIRA DA SILVA
Interno - 345799 - OTOM ANSELMO DE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 3149615 - HENRIQUE EDUARDO BEZERRA DA SILVA
Notícia cadastrada em: 10/12/2015 11:19
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao