Banca de DEFESA: VERÔNICA DA SILVA OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VERÔNICA DA SILVA OLIVEIRA
DATA: 22/01/2014
HORA: 08:00
LOCAL: Sala de Aula do Laboratório de Química I
TÍTULO:

Síntese e Caracterização de Compostos de Coordenação Homolépticos e Heterolépticos com o Ligante Ácido Kójico


PALAVRAS-CHAVES:

Compostos de coordenação; ácido kójico e cianeto


PÁGINAS: 190
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Inorgânica
ESPECIALIDADE: Campos de Coordenação
RESUMO:

Com o presente trabalho tem-se como objetivo contribuir com a química de coordenação do ligante ácido kójico, através da síntese e caracterização de compostos homolépticos [Al(kj)3], [Fe(kj)3], [Fe(kj)2], [Cu(kj)2] e [Ru(kj)3], e novos complexos heterolépticos trans-K2[Fe(kj)2(CN)2] e trans-Na2[Ru(kj)2(CN)2]. Os compostos obtidos foram caracterizados por espectroscopia de absorção na região do infravermelho e espectroscopia eletrônica na região do ultravioleta e visível (Uv-Vis). Os resultados de infravermelho comprovaram a coordenação do ligante bidentado ácido kójico, devido às reduções dos valores das frequências de estiramento da carbonila e das duplas ligações, comparativamente ao ligante livre, para todos os complexos obtidos. Assim como também a verificação de novos modos vibracionais em decorrência da alteração de simetria da molécula na formação de novas estruturas para os compostos sintetizados, além de modos vibracionais atribuídos aos estiramentos metal-oxigênio, evidenciando coordenação dos íons metálicos ao ligante. Através dessa técnica, também foi possível realizar correlações dos números de bandas presentes na região de 1400 a 900 cm-1 com a simetria dos compostos. Adicionalmente aos complexos homolépticos, os compostos heterolépticos trans-K2[Fe(Kj)2(CN)2]e trans-Na2[Ru(Kj)2(CN)2], evidenciaram a coordenação do ligante ciano aos íons metálicos de FeIII e RuIII, respectivamente, apresentando frequências de υC≡N em 2065 e 2053 cm-1, deslocadas para menores valores em comparação ao ligante cianeto livre, confirmando seu caráter π receptor. E em comparações com os dados da literatura foi possível propor a sua isomeria, caracterizando os complexos em configuração trans. Já com relação aos resultados da espectroscopia eletrônica, os estudos da variação do pH do ácido kójico propiciaram informações sobre a distribuição de densidade eletrônica na molécula, apresentando perfil espectral caracterizado o íon kójico na sua forma  protonada (Hkj, ácido kójico), com duas bandas em 215 e 269 nm, e desprotonada (kj-), exibindo bandas em 226 e 315 nm. E os espectros eletrônicos obtidos para todos os complexos em meio aquoso, na região do ultravioleta exibiram bandas deslocadas para menores energias atribuídas às transições intraligantes do ácido kójico, e na região do visível só foram identificadas transições para os complexos de ferro e rutênio, atribuídas em sua maioria as transferência de carga.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1530500 - ANA CRISTINA FACUNDO DE BRITO PONTES
Interno - 345799 - OTOM ANSELMO DE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 1715109 - DANIEL DE LIMA PONTES
Externo à Instituição - LUIZ GONZAGA DE FRANÇA LOPES - UFC
Notícia cadastrada em: 16/01/2014 09:05
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao