Banca de QUALIFICAÇÃO: SABINA DOS SANTOS PAULINO DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SABINA DOS SANTOS PAULINO DA SILVA
DATA: 17/06/2015
HORA: 08:30
LOCAL: Sala de Reuniões do CB
TÍTULO:

GENES PARA ENTEROTOXINAS EM Staphylococcus sp. ISOLADOS DE MANIPULADORES DE ALIMENTOS DE UM RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO NA CIDADE DO NATAL-RN


PALAVRAS-CHAVES:

Intoxicação alimentar, enterotoxinas, Staphylococcus sp., manipuladores de alimentos.


PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Microbiologia
RESUMO:

Os manipuladores de alimentos colonizados por Staphylococcus produtores de enterotoxinas são uma fonte potencial de intoxicação alimentar. O objetivo deste estudo foi pesquisar a presença de genes que codificam enterotoxinas em Estafilococos Coagulase Positiva (ECP) e Estafilococos Coagulase Negativa (ECN) isolados de narinas e das mãos dos manipuladores de alimentos de um restaurante universitário na cidade de Natal-RN. Todos os manipuladores de alimentos, um total de trinta, foram incluídos no estudo. O material das mãos e das narinas foi coletado utilizando um swab estéril. Os crescimentos resultantes foram submetidos à coloração de Gram, teste de sensibilidade a bacitracina, fermentação de manitol, e provas de catalase e coagulase. Os ECNs e ECPs foram posteriormente identificados pelo sistema Vitek 2 (BioMerieux, França) e testes bioquímicos. A técnica da reação em cadeia da polimerase (PCR) foi utilizada para detectar os genes para as enterotoxinas A, B, C, D, E, G, H, e I (sea, seb, sec, sed, see, seg, seh, e sei) e o método de disco-difusão foi utilizado para determinar a susceptibilidade aos antimicrobianos. Todos os manipuladores de alimentos apresentaram Estafilococos em suas mãos e/ou narinas. O estudo encontrou 58 Staphylococcus sp., dos quais 20,7% eram ECP e 79,3% eram ECN. S. epidermidis foi a espécie mais prevalente. Vinte e nove Estafilococos (50%) foram positivos para um ou mais genes de enterotoxinas, e os genes mais prevalentes foram seg e sei, cada um com uma frequência de 29,3%. Setenta e cinco por cento das cepas de S. aureus codificaram genes paraenterotoxinas. Entretanto, os ECNs apresentaram uma frequência elevada de genes (43,5%). A maioria dos isolados mostrou sensibilidade aos antibióticos testados, com exceção da penicilina (apenas 35% apresentou sensibilidade). Os resultados deste estudo reforçam que não somente os Estafilococos coagulase-positivo, mas também os coagulase-negativo, isolados de manipuladores de alimentos, são portadores de genes para enterotoxinas.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1731282 - CLAUDIA SOUZA MACEDO
Externo ao Programa - 348473 - JOSE VERISSIMO FERNANDES
Presidente - 1452833 - MARIA CELESTE NUNES DE MELO
Externo ao Programa - 2121234 - VANIA SOUSA ANDRADE
Notícia cadastrada em: 10/06/2015 09:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa26-producao.info.ufrn.br.sigaa26-producao