Banca de DEFESA: JACKSON MEIRES DANTAS CANUTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JACKSON MEIRES DANTAS CANUTO
DATA : 31/01/2019
HORA: 14:00
LOCAL: B321 do IMD
TÍTULO:

Derivação e Implantação Semiautomática de Produtos de Software no Contexto da Secretaria de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca do RN


PALAVRAS-CHAVES:

Linha de Produto de Software. Derivação de Produtos. Implantação de Softwares. Reengenharia de Linha de Produto. Geração de Códigos-Fonte.


PÁGINAS: 121
RESUMO:

A engenharia de Linhas de Produto de Software (LPS), possui em uma de suas áreas a derivação de produtos, que utiliza a estratégia de implementação de produtos a partir de uma determinada seleção de features. Os seus artefatos desenvolvidos, podem ter sido gerados ou compostos durante a etapa de implementação do domínio. Apesar de sua importância, a atividade de derivação de produtos continua sendo cara e propensa a erros, que ainda é difícil de automatizar e ter suporte por meio de ferramentas. Além disso, poucos trabalhos têm sido dedicados ao processo de derivação de produtos e a aplicação de estratégias no contexto prático. Há uma falta de relatórios empíricos des- crevendo a derivação de produtos em ambientes industriais e, em geral. Este trabalho de dissertação de mestrado, propõe a sistematização do processo de distribuição e implan- tação de sistemas em aplicações Web clonadas, através da derivação semiautomática de produtos de softwares existentes, refatorados para uma LPS. Bem como a utilização do apoio ferramental para realizar a implantação de uma instância do sistema configurado, fazendo com que o produto de software fique disponível e pronto para uso em um servidor. Além disso, foi realizado um estudo através de um experimento controlado para analisar qualitativamente e quantitativamente o processo de derivação de produtos, antes e depois da utilização desta abordagem com e sem o apoio ferramental. Esta abordagem especifica um conjunto de atividades sistemáticas e bem definidas, que auxiliam aos analistas de sistemas e programadores a derivarem os produtos que foram refatorados para LPS, a partir de sistemas existentes. Através do uso desta abordagem com o apoio ferramental, será possível gerenciar os produtos e suas features, deixando-os preparados para serem produtos configuráveis de forma semiautomática, e prontos para serem derivados e im- plantados. O estudo realizado através de um experimento controlado, fornece informações acerca dos conceitos e ações explorados na literatura, tais como: derivação de produtos de software, implantação de software, clonagem de LPS, reengenharia de software para LPS, refatoração de LPS e geração de códigos-fonte. Profissionais podem utilizar este trabalho como base para definir, adaptar ou avaliar suas próprias abordagens de derivação com implantação de produtos. Enquanto os pesquisadores podem usar este trabalho como ponto de partida para novos relatórios industriais, apresentando suas experiências com a derivação de produtos. Os resultados obtidos neste estudo mostraram que ao usar a abordagem proposta, foi possível contribuir com a derivação e implantação de produtos de software de forma mais ágil, produtiva e satisfatória. Mesmo em situações em que o usuário tenha poucas experiências com derivação e implantação de softwares, as ações rea- lizadas para tal, ocorrerão em menos tempo e com uma boa corretude durante este processo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2510306 - FREDERICO ARAUJO DA SILVA LOPES
Interno - 2274774 - EIJI ADACHI MEDEIROS BARBOSA
Interno - 1644456 - UIRA KULESZA
Externo à Instituição - ELDER CIRILO - UFSJ
Notícia cadastrada em: 18/01/2019 17:02
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa24-producao.info.ufrn.br.sigaa24-producao