Banca de DEFESA: RAFAEL ANGELO REVOREDO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RAFAEL ANGELO REVOREDO
DATA : 03/12/2021
HORA: 15:30
LOCAL: https://meet.google.com/suj-sepz-rcv
TÍTULO:

COLISÃO DE AVES MARINHAS MIGRATORIAS EM LINHA DE ENERGIA NO NORDESTE BRASILEIRO: AVALIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL E DESCRIÇÃO DA HISTOLOGIA GONADAL COM FINS DE CONSERVAÇÃO


PALAVRAS-CHAVES:

Linha de energia. Aves. Eólica. Ovário. Testículo.



PÁGINAS: 66
RESUMO:

Entre os impactos antrópicos sofridos pelas aves, as colisões desses animais em estruturas construídas, especialmente em linhas de energia, se mostram cada vez mais frequentes e alarmantes. Estudos sobre esse tema, entretanto, são ainda recentes e escassos, especialmente na América do Sul e no Brasil. Aves migratórias são animais que geralmente se destacam nesse tipo de impacto, dentre as quais tem-se as espécies marinhas Sterna dougallii (ROST) e Sterna hirundo (COTE) que migram para costa sul-americana durante o inverno boreal e podem ser encontrados no litoral do Rio Grande do Norte (RN). Por serem aves com uma sazonalidade reprodutiva bem definida, suas gônadas passam por mudanças periódicas, porém pouco se sabe sobre essa dinâmica a nível histológico, assim como sobre as características gerais da histologia gonadal. Representantes de COTE e ROST começaram a ser encontrados pelas equipes de monitoramento de praia do Projeto Cetáceos da Costa Branca (PCCB-UERN), próximos a uma linha de distribuição de energia, com sinais de colisão, em uma praia do litoral do RN entre os anos de 2010 e 2020.Amostras dos tecidos de diferentes órgãos dos animais que foram a óbito foram armazenados no banco de amostras biológicas do PCCB-UERN. Frente a essa casuística, a presente pesquisa objetivou  caracterizar os eventos de colisões de aves em uma linha de energia no município de Galinhos/RN, diante de modificações do ambiente associadas a construção de um parque eólico, assim como descrever a morfologia das gônadas e o estágio gonadal de indivíduos envolvidos na problemática. Os dados de colisão foram coletados entre 2010 e 2020 diariamente e ininterruptamente através do monitoramento da faixa de praia onde está a linha de distribuição. As aves encontradas tinham suas coordenadas registradas e caso estivessem vivas eram encaminhadas para o Centro de Reabilitação de Fauna Marinha do PCCB-UERN. Para análise da biologia reprodutiva utilizou-se gônadas de 62 aves que foram a óbito, sendo fixadas em formol 10% e submetidas a rotina laboratorial para preparação de lâminas histológicas. Essa pesquisa indicou que houve um aumento significativo na frequência de colisão de aves com a linha de distribuição de energia, coincidindo com a instalação de um parque eólico em uma praia vizinha, e que se manteve mesmo após a instalação de sinalizadores em parte dos fios da linha. As análises histológicas das gônadas revelaram um padrão correspondente ao de outras espécies de aves. Os ovários apresentaram a região do córtex com folículos em diferentes fases de maturação e também uma região medular bem pronunciada; os testículos apresentaram túbulos seminíferos com lúmens estreitados e epitélio seminífero sem produção de espermatozóides, assim como um tecido intersticial bem desenvolvido. Outras pesquisas demonstram que parques eólicos podem causar deslocamento em rotas de voos de aves, o que pode indicar uma possível influência do parque no aumento das colisões; outras pesquisas afirmam que sinalizadores espirais fixos (tipo instalado na linha desse estudo) possuem um menor efeito mitigador quando comparado aos com partes móveis. Em suma essa pesquisa aponta eventos de colisão de aves em linhas de energia nunca antes registrados no RN por falta de monitoramento e indica a possível influência de um parque eólico nesse processo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1672446 - SIMONE ALMEIDA GAVILAN
Externa ao Programa - 3291543 - RENATA SWANY SOARES DO NASCIMENTO
Externo à Instituição - JOÃO PAULO TAVARES DAMASCENO
Notícia cadastrada em: 03/12/2021 12:02
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao