PROFLETRAS/CN PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS - PROFLETRAS CURRAIS NOVOS CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO SERIDÓ Telefone/Ramal: Não informado

Banca de DEFESA: JOSÉ VILMAR FIRMINO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOSÉ VILMAR FIRMINO
DATA : 30/03/2020
HORA: 10:00
LOCAL: CCET - AUDITÓRIO
TÍTULO:

OPERADORES ARGUMENTATIVOS NO ARTIGO DE OPINIÃO: UMA INTERVENÇÃO ATRAVÉS DA SEQUÊNCIA DIDÁTICA


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chave: Operadores argumentativos. Artigo de Opinião. Sequência Didática. Ensino.


PÁGINAS: 160
RESUMO:

A produção textual escrita requer a constante mobilização prática, com uso de estratégias e procedimentos didáticos que favoreçam à apropriação dessa importante prática social. Desse modo, nosso objeto de pesquisa refere-se ao uso de operadores argumentativos nos textos produzidos pelos alunos através do gênero textual artigo de opinião. Como objetivo geral, propomos com este trabalho, analisar as articulações textuais presentes na produção escrita do referido artigo em uma turma do 9º ano de uma escola pública do município de Barcelona-RN. Quanto aos objetivos específicos, o primeiro foi aplicar a Sequência Didática, sugerida em DOLZ, NOVERRAZ e SCHINEUWLY (2004), como proposta de intervenção pedagógica com a finalidade de melhorar a produção escrita. O segundo, foi constatar o processo evolutivo dos alunos quanto à construção textual argumentativa no gênero artigo de opinião, em suas produções escritas. Quanto à metodologia, nossa pesquisa constitui-se em uma pesquisa-ação, balizada em THIOLLENT (2011), com abordagem qualitativa, de base interpretativista, numa turma com 27 (vinte e sete) alunos matriculados no 9º ano do Ensino Fundamental. Isso porque utilizamos como laboratório nossa própria sala de aula onde o professor/pesquisador e os alunos foram os participantes da intervenção pedagógica. Para isso aplicamos, como intervenção, a Sequência Didática, proposta por Dolz, Noverraz e Schineuwly (2004). Nessa perspectiva, dialogamos com os aportes teóricos da Linguística Textual e da Semântica Argumentativa. Buscamos suporte em Adam (2008), com relação à Linguística Textual; Ducrot (1977, 1980) e Cabral (2011), a respeito da argumentação na língua; nos estudos de Kock (2011) e Koch e Elias (2017), com relação aos operadores argumentativos; Marcuschi (2002, 2005), sobre gêneros textuais; Plantin (2008) Perelman e Olbrechts-Tyteca (2005), com os estudos sobre a retórica argumentativa; Bakhtin (2003), sobre a noção de gênero discursivo e Antunes (2009), com a semântica textual, principalmente na relação de sentido estabelecida pelos elementos da coesão textual. Os resultados das análises, nas produções escritas dos alunos demonstraram, ao final dessa pesquisa-ação, que o uso dos operadores argumentativos, nos artigos de opinião, passaram a atender de forma mais adequada aos propósitos comunicativos, uma vez que, empregados de maneira mais articulada, evidenciaram uma evolução, embora mínima no emprego efetivo desses elementos linguísticos, manifestada na tessitura textual das produções analisadas no corpus desse trabalho, contribuindo para uma argumentação mais concisa e, portanto, mais consistente na defesa dos pontos de vista.

  

 


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 349683 - JOSILETE ALVES MOREIRA DE AZEVEDO
Interna - 056.218.104-06 - MARIA ASSUNCAO SILVA MEDEIROS - UFRN
Interno - 1168647 - MARIO LOURENCO DE MEDEIROS
Externo à Instituição - ANANIAS AGOSTINHO DA SILVA - UFERSA
Notícia cadastrada em: 17/03/2020 20:07
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2020 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao