Banca de QUALIFICAÇÃO: ANDRÉA SILVA ANDRADE

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANDRÉA SILVA ANDRADE
DATA : 14/09/2017
HORA: 14:30
LOCAL: Sala 315 - DLET
TÍTULO:

MEU NOME, MINHA VIDA, MINHA ESCRITA



PALAVRAS-CHAVES:

Letramento. Alfabetização. Consciência Fonológica. Aprendizagem Colaborativa.


PÁGINAS: 21
RESUMO:

Muitos são os desafios de uma criança até conseguir aprender o código da escrita. Quando o faz ou, pelo menos, quando já é considerada alfabetizada pela escola,  emergem, dentre outras dificuldades, a compreensão de como o ato de escrever funciona como  uma modalidade da língua e, especialmente, em que aspectos ela se diferencia de sua própria fala. A esse respeito, Cagliari (1991) já nos aponta a necessidade de se compreender a natureza da escrita bem como suas funções e usos, para que nós, professores, possamos intervir na aprendizagem dos nossos alunos com maior propriedade. Nas práticas de escrita de crianças em fase inicial de aquisição constata-se, facilmente, a influência do registro falado nos textos escritos, especialmente quando a criança pertence a  uma família não escolarizada ou que pouco se utiliza da escrita para viver em sociedade. Levando em consideração tal realidade, este projeto objetiva analisar a influência da fala na escrita de crianças, evidenciada em textos propostos na escola. As crianças em questão pertencem a uma turma de 5º ano da escola municipal Jonas Escolástico de Noronha, localizada em São Gonçalo do Amarante. Elas são consideradas “alfabetizadas” pela instituição escolar apesar de revelarem em seus textos escritos algumas dificuldades que apontam, por exemplo, para a ausência de consciência fonológica e morfológica. Tal fato, recorrente nas séries iniciais, pode até ser confundido ou camuflado como simples “erro”  provocado pela falta de interesse do então aprendiz ou, ainda, por razões derivadas do letramento familiar, dentre outros fatores apontados geralmente pela escola e professores. Entretanto, ao se propor a escrita sobre sua própria vida, através da criação do perfil individual para o blog da turma, o primeiro equívoco já fica descartado. Este projeto se ampara, teoricamente, nos estudos de letramento (BAYNHAM, 1995; KLEIMAN, 1995; STREET, 2014) e de aquisição da língua escrita (CAGLIARI, 1991; KOCH, 1995; FAYOL, 2014). Metodologicamente, este estudo se insere na área da Linguística Aplicada (MOITA LOPES, 2006). Trata-se de uma pesquisa qualitativa e documental (THIOLLENT, 1986). A pesquisa se encontra em andamento, porém já é possível depreender algumas dificuldades e desafios que as crianças e o professor enfrentam, porém com possibilidades de um trabalho com resultados positivos, através da atuação colaborativa do professor e de alunos como agentes de letramento (KLEIMAN, 2006; OLIVEIRA, 2010).


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 332207 - MARIA DO SOCORRO OLIVEIRA
Interno - 1929360 - ANA VIRGINIA LIMA DA SILVA ROCHA
Interno - 1673309 - SULEMI FABIANO CAMPOS
Notícia cadastrada em: 11/09/2017 15:34
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao