Banca de DEFESA: EDUARDO JORGE VIDAL DULTRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EDUARDO JORGE VIDAL DULTRA
DATA: 23/05/2013
HORA: 09:00
LOCAL: sala de aulas PPGCEM
TÍTULO:
ADIÇÃO DE SUBPRODUTOS DA CINZA DA CASCA DE CAFÉ EM MASSA CERÂMICA PARA PORCELANATO

PALAVRAS-CHAVES:
Grês porcelanato, cinzas de café, feldspato, fundentes, resíduos.

PÁGINAS: 132
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
RESUMO:
Na fabricação de grês porcelanato são utilizados fundentes com a finalidade de obter fase líquida durante a queima, pois esta, por sua vez, preenche os poros diminuindo a porosidade, a absorção de água, e contribui para a densificação do material. Na indústria de grês porcelanato o feldspato é o principal material fundente utilizado, com percentuais que variam entre 35 e 50% em massa. Pesquisas são direcionadas para a descoberta de materiais com características fundentes que possam diminuir o consumo de feldspato. Nesse contexto, a cinza da casca de café, resíduo obtido quando cascas de café são queimadas a fim de produzir calor para os secadores mecânicos durante o beneficiamento do fruto, possuem como principais elementos o potássio, cálcio e magnésio, conferindo-lhe características de material fundente. O Brasil é o maior produtor de café do mundo, responsável por mais de 30% da produção mundial. Nesse trabalho, foi realizado um tratamento físico na cinza de café com a finalidade de eliminar parte da matéria orgânica e, após este, foram obtidos dois subprodutos: resíduo R1 e resíduo R2. Ambos os resíduos foram adicionados, separadamente, como únicos fundentes, e também associados ao feldspato, em massas com matérias primas coletadas em uma fábrica de grês porcelanato localizada no município de Camaçari-Ba. A adição desses resíduos teve o objetivo de verificar a possibilidade de avaliar a redução do consumo de feldspato na produção de grês porcelanato. Foram confeccionados corpos de prova com dimensões de 60 mm x 20 mm x 6 mm em matriz uniaxial, com pressão de compactação de 45 MPa. Os corpos de prova foram sinterizados na temperatura de 1200 °C com patamar de 8 minutos. Foram realizados ensaios para caracterização das matérias-primas por FRX, DRX, AG, ATD e ATG, e analisados os resultados das propriedades físicas de absorção de água, porosidade aparente, retração linear, MEA, análise dilatométrica, resistência à flexão e MEV do corpo sinterizado. A adição de até 8% do resíduo R1 contribuiu para a diminuição da porosidade aparente, porém a resistência mecânica das amostras não foi satisfatória. A adição de 5% de resíduo R2 contribuiu significativamente para diminuir absorção de água e porosidade aparente, e também, para o aumento da resistência mecânica. As amostras com adição do resíduo R2 associado ao feldspato, nas proporções de 6,7% de R2 e 6,7% de feldspato, obtiveram resultados de absorção de água de 0,12% e resistência mecânica de 46 MPa, atendendo aos parâmetros normatizados para fabricação de grês porcelanatos.

MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANA MARIA SEGADAES - UA
Externo à Instituição - CYTNHIA MORAIS GOMES - BAM
Externo ao Programa - 2331385 - JAQUELIGIA BRITO DA SILVA
Externo à Instituição - VAMBERTO MONTEIRO DA SILVA - IFPB
Presidente - 1149564 - WILSON ACCHAR
Notícia cadastrada em: 22/05/2013 10:28
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa17-producao.info.ufrn.br.sigaa17-producao