Banca de DEFESA: NIERLLY KARINNI DE ALMEIDA MARIBONDO GALVAO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: NIERLLY KARINNI DE ALMEIDA MARIBONDO GALVAO

DATA: 24/02/2011

HORA: 10:00

LOCAL: Auditório do CCET

TÍTULO:

Influência do mecanismo de aquecimento sobre a microestrutura do titânio sinterizado por plasma 

 


PALAVRAS-CHAVES:

plasma de microondas; cátodo oco; gradiente térmico; Ti poroso.

 


PÁGINAS: 100

GRANDE ÁREA: Engenharias

ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica

RESUMO:

O aquecimento de corpos imersos em plasma, diferente dos aquecimentos por fontes convencionais, ocorre principalmente por radiação e colisão de partículas com a superfície do material. A colisão das partículas é responsável pelo aquecimento pontual que gera picos térmicos na superfície do material. Devido a esta forma de aquecimento, materiais porosos submetidos a este tipo de tratamento térmico apresentam gradientes de porosidade no seu interior. Dependendo do tipo de plasma, as formas de aquecimento por radiação e por colisão terão diferentes contribuições no aquecimento do material. Neste trabalho, amostras porosas de titânio comercialmente puro e de compactados de titânio, foram tratadas em 2 diferentes tipos de plasma: atmosférico de microondas e descarga em cátodo oco à baixa pressão utilizando 3 temperaturas diferentes (700°, 800° e 900 °C). Dessa forma, pode-se avaliar o efeito destes dois tipos de plasma sobre a microestrutura e produção de material poroso. Amostras de titânio poroso foram escolhidas uma vez que materiais porosos com propriedades de biocompatibilidade apresentam vasta área de aplicação no campo da bio-engenharia. A caracterização das amostras foi realizada através de microscopia óptica, eletrônica, análise de imagem, difração de raio-x, molhabilidade e o método de Arquimedes para determinação de porosidade. Através dos resultados apresentados pode-se verificar que as amostras de titânio comercial tratadas em plasma de microondas apresentaram maior porosidade aparente e absorção que as amostras tratadas em plasma de cátodo oco. No entanto, para as amostras compactadas ocorreu o inverso. Quanto ao gradiente de poros as amostras comerciais e compactadas tratadas em plasma de cátodo oco, revelaram uma camada porosa distinta apresentando como produto final um material com a superfície porosa e núcleo mais denso.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 347652 - CLODOMIRO ALVES JUNIOR
Externo ao Programa - 2613355 - FRANCINE ALVES DA COSTA
Interno - 1715105 - WANDERSON SANTANA DA SILVA
Notícia cadastrada em: 14/02/2011 15:25
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa22-producao.info.ufrn.br.sigaa22-producao