Banca de DEFESA: MURILLO MENNA BARRETO DE MELLO JUNIOR - (Retificação)

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: MURILLO MENNA BARRETO DE MELLO JUNIOR

DATA: 16/02/2011

HORA: 13:30

LOCAL: A confirmar

TÍTULO:

ESTUDO SOBRE O EFEITO DOS PARÂMETROS DE PROCESSAMENTO DOS PÓS E SINTERIZAÇÃO DO AÇO  INOX 316L REFORÇADO COM NbC

 


PALAVRAS-CHAVES:

316L, SINTERIZAÇÃO TEMPERATURA


PÁGINAS: 75

GRANDE ÁREA: Engenharias

ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica

RESUMO:

O presente trabalho apresenta uma contribuição ao estudo da sinterização de um aço inox 316 L, com o objetivo de estudar o seu comportamento frente ao processo de moagem e o efeito da temperatura na sua microestrutura e propriedades mecânicas. O aço inox 316L é uma liga largamente utilizada pela sua propriedade de alta resistência à corrosão. Contudo a sua aplicação é limitada pela baixa resistência ao desgaste, consequência da sua baixa dureza. Em trabalhos anteriores, foi analisado o efeito da sinterização empregando aditivos como NbC e TaC. Assim, este estudo visa aprofundar o conhecimento da sinterização analisando o efeito do tempo da moagem sobre o tamanho da partícula e a microestrutura do sinterizado e o efeito da taxa de aquecimento e isoterma sobre a microestrutura do sinterizado e sobre a sua microdureza.

 Para isso foram moídos  pós de  aço 316L com NbC em tempos de moagens de 1, 5 e 24 horas respectivamente. Os particulados foram caracterizados por DRX e MEV. Amostras cilíndricas, com altura e diâmetro de 5,0 mm foram compactadas a 700 MPa. As condições de sinterização foram: taxa de aquecimento de 5, 10 e 15  °C /min, a temperatura de 1000, 1100, 1200  e 1290°C /min, e tempos de isoterma de 30 e 60 °C / min. A taxa de resfriamento foi mantida em 25°C /min. Os  produtos sinterizados  foram  caracterizados  na  sua  microestrutura através de microscopia ótica e eletrônica além de densidade e microdureza  Vickers. Todas as amostras foram sinterizadas em forno a vácuo. Foi observado que o processo de moagem tem influência na sinterização, assim como a temperatura. O efeito maior foi provocado pela moagem, seguida da temperatura de queima, e taxa de aquecimento. Neste caso, a menores taxas corresponde a maior sinterização.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 345842 - UILAME UMBELINO GOMES
Externo ao Programa - 2613355 - FRANCINE ALVES DA COSTA
Externo ao Programa - 347303 - MARCIANO FURUKAVA
Externo à Instituição - ELCIO CORREIA DE SOUZA TAVARES - UnP
Externo à Instituição - SERGIO RENATO DA SILVA SOARES - UFMT
Notícia cadastrada em: 09/02/2011 15:30
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao