Banca de DEFESA: FILIPE JOHNATAN MARTINS DANTAS COSTA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FILIPE JOHNATAN MARTINS DANTAS COSTA
DATA : 15/10/2019
HORA: 10:00
LOCAL: Auditório do Laboratório de Cimentos
TÍTULO:

COMPORTAMENTO TÉRMICO E MECÂNICO DE COMPÓSITOS CIMENTÍCIOS CONTENDO QUITOSANA


PALAVRAS-CHAVES:

Quitosana, cimento Portland, cimentação, poço de petróleo, Injeção de vapor.


PÁGINAS: 98
RESUMO:

A cimentação de poços de petróleo requer pastas que possuam propriedades mecânicas capazes de suportar o crescimento e a propagação de trincas para garantir a integridade do revestimento. Ambientes de alta temperatura, como poços de injeção de vapor, são considerados críticos e capazes de causar alterações nas propriedades químicas e físicas dos produtos hidratados de cimento Portland. Falhas na integridade da bainha de cimento aumentam os riscos de impactos ambientais negativos. Os polímeros são capazes de aumentar a interação entre as fases hidratadas, formando filmes em pastas de cimento. A quitosana é um biopolímero e tem sido estudada como aditivo para argamassas e concretos na indústria da construção, atuando como espessante e retardador, capaz de reduzir o volume de poros. O objetivo desse estudo foi avaliar o comportamento térmico e mecânico de compósitos cimentícios contendo quitosana para cimentação de poços de petróleo sujeitos à injeção de vapor. As formulações contendo até 5% em peso de solução de quitosana foram avaliadas no estado fresco e endurecido. As misturas foram curadas por 14 dias sob diferentes condições. As resistências mecânicas à compressão e à tração foram avaliadas por métodos destrutivos. As propriedades térmicas foram caracterizadas por analise de fluxo de calor, dilatometria e termogravimetria e a microestrutura foi caracterizada por difração de raios-X e microscopia eletrônica de varredura. Os compósitos contendo quitosana apresentaram resistência à compressão melhorada como resultado do aumento da concentração do biopolímero, sendo capaz de absorver até 50% mais energia até a fratura, em comparação com a pasta de referência sem adição de quitosana. A resistência à tração dos compósitos aumentou depois de submetidos à condição de injeção de vapor. O biopolímero diminui a desidratação dos silicatos de cálcio hidratados, diminuindo a retração térmica e atribuindo maior estabilidade termogravimétrica as pastas de cimento. A quitosana apresentou potencial aplicabilidade como bio-aditivo, atuando como reforço disperso na matriz de cimento Portland para melhorar o comportamento à fratura de bainhas de cimento de poços de petróleo sujeitos à injeção de vapor.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1298936 - ANTONIO EDUARDO MARTINELLI
Externo ao Programa - 1064594 - EVANS PAIVA DA COSTA FERREIRA
Externo ao Programa - 1804366 - JÚLIO CÉZAR DE OLIVEIRA FREITAS
Externo à Instituição - PETRUS D AMORIM SANTA CRUZ OLIVEIRA - UFPE
Externo à Instituição - WENDELL ROSSINE MEDEIROS DE SOUZA - UFERSA
Notícia cadastrada em: 26/09/2019 12:02
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa16-producao.info.ufrn.br.sigaa16-producao