Banca de DEFESA: RANNIER MARQUES MENDONCA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RANNIER MARQUES MENDONCA
DATA : 26/09/2018
HORA: 08:30
LOCAL: Sala de aulas do PPGCEM
TÍTULO:
CUPUAÇU PERICARPO (Theobroma grandiflorum) AS A RETARDANT ADDITIVE OF POLYESTER CURE.

PALAVRAS-CHAVES:

Poliéster, Cinética de Cura, Cupuaçu, Cafeína.


PÁGINAS: 122
RESUMO:

A crescente conscientização da sociedade para as questões ambientais e a consequente legislação internacional cada vez mais rígida nesta área têm despertado o interesse de pesquisadores para o desenvolvimento de materiais que contenham em sua composição componentes derivados de fontes renováveis. Dentre os recursos vegetais com potencial de aplicação na área industrial está o cupuaçu (Theobroma grandiforum) - uma fruta nativa da região amazônica, que possui polpa e sementes utilizadas na obtenção de produtos alimentícios. Neste processo, a casca (pericarpo) do fruto é normalmente descartada em aterros. Esse material possui em sua composição substâncias orgânicas que podem afetar a cinética de conversão de resinas poliméricas, com potencial para ser utilizado com acelerador ou retardante de cura. O objetivo desta pesquisa foi determinar o efeito das substâncias químicas presentes na casca do cupuaçu para a cinética de cura de resinas poliéster. Foram realizadas análises de granulometria à laser, Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV), termogravimetria, fitoquímica, Calorimetria Exploratória Diferencial (DSC), Ensaio mecânico de tração, Ensaio Dinâmico-Mecânico em flexão e cinética de reação. O material vegetal foi adicionado ao polímero em proporções de 0,5 %, 1 % e 2 % em massa. De acordo com os resultados obtidos dos estudos cinéticos pelo método com varredura de temperatura, a temperatura de início do processo de cura apresentou tendência de elevação com o aumento do percentual de material vegetal introduzido, indicando retardo do início do processo de reação quando comparado com a resina poliéster pura. A introdução do material vegetal também afetou o grau de conversão ao longo do processo de cura da resina poliéster insaturada. As energias de ativação das reações em função do grau de conversão indicaram elevação com o aumento do percentual de material vegetal. Pelo método isotérmico observou-se que as fases das partições dos extratos brutos do pericarpo do fruto também afetaram o processo de cura da resina polimérica, sugerindo que existe mais de uma molécula reagente presente no material vegetal. A introdução do material vegetal na resina poliéster não afetou as propriedades térmicas - temperatura de transição vítrea e temperatura de degradação – ou mecânicas - tensão de ruptura e módulo de elasticidade - da resina poliéster curada. O fracionamento cromatográfico de fases do material vegetal permitiu o isolamento da cafeína da fase acetato de etila, a qual foi identificada por espectrometria de massas e comparação por HPLC (High performance liquid chromatography) com a substância padrão. A sua característica estrutural explica a sua interferência no processo de cura do pericarpo, retardando o processo. Em resumo, os resultados desta pesquisa demonstraram o potencial do pericarpo do cupuaçu para ser utilizado como retardante de cura da resina poliéster insaturada sem efeito significativo nas suas propriedades mecânicas e térmicas. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1202134 - JOSE DANIEL DINIZ MELO
Interno - 2042234 - ANA PAULA CYSNE BARBOSA
Externo ao Programa - 1149440 - ROSANGELA DE CARVALHO BALABAN
Externo à Instituição - CECILIA VERONICA NUNEZ
Externo à Instituição - LAURA HECKER DE CARVALHO - UFCG
Notícia cadastrada em: 18/09/2018 10:52
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao