Banca de QUALIFICAÇÃO: MURILLO MENNA BARRETO DE MELLO JUNIOR

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MURILLO MENNA BARRETO DE MELLO JUNIOR
DATA : 08/06/2018
HORA: 13:30
LOCAL: Sala de aulas do PPGCEM
TÍTULO:

ESTUDO DO COMPOSITO Ag–Nb–C ATRAVÉS DA SINTERIZAÇÃO A VÁCUO ATIVADA POR MOAGEM DE ALTA ENERGIA.


PALAVRAS-CHAVES:

Compósito Ag-Nb-C, Sinterização a vácuo ativada, Moagem de alta Energia, NbC, Microdureza Vickers.


PÁGINAS: 90
RESUMO:

Tendo em vista a enorme relevância destes materiais (Ag-Nb-C) e suas aplicações em ligas, embora sejam normalmente imiscíveis entre si, neste trabalho foi estudada a formação deste composto por síntese mecânica através da moagem de alta energia, com ou sem tratamento térmico posterior, e em seguida, a sinterização a vácuo por fase sólida e por fase líquida dos compactados a verde. Inicialmente, foi feita a caracterização dos pós de partida Ag, Nb e C (grafite), através dos ensaios de fluorescência de raios X, difração de raios X (DRX), microscopia eletrônica de varredura (MEV) e analisador de distribuição de tamanho de partícula a laser. O pó de nióbio foi fornecido pela Escola Politécnica de Lorena (SP), o pó de grafite foi obtido comercialmente e de prata obtida a partir de método descrito na literatura, No processamento de síntese dos compostos particulados utilizou-se a moagem de alta energia. Os pós-compósitos foram obtidos com as seguintes composições: pó A = Ag-40%p.Nb-10%p.C, pó B = Ag-15%p.Nb-5%p.C e pó C = Ag-80%p.Nb-15%p.C. As moagens foram feitas com durações de 5,10,15, 20 e 30 h. Em seguida, os pós B e A foram tratados termicamente a 400 e 500 ºC, respectivamente, por 60 min; enquanto o pó C não foi tratado. Então, estes foram caracterizados por ensaio de DRX. Após analises, estes foram compactados a 500 Mpa em matriz cilíndrica de 5,0 mm de diâmetro. As sinterizações ocorreram em três procedimentos. No primeiro, no compactado de pó A, foram utilizadas temperaturas de isoterma de 450, 550, 650 e 700ºC por 60 min, para cada tempo de moagem de 5, 10, 15 e 20h; e 1400 ºC por 15 min para o tempo de moagem de 10 h. Já no segundo, foram sinterizados os compactados de pó B na temperatura de 1000 ºC por 30 min com moagem de 10 h e no terceiro o pó C, com moagem de 30 h, em 1400 ºC por 15 min. Em seguida, foram feitos os ensaios de microscopia ótica e medidas de densidade pelo método Arquimedes, para todas as amostras e análises de DRX e de MEV com espectroscopia de energia dispersiva (EDS), e medidas de microdureza Vickers só para amostras selecionadas. No procedimento inicial, ocorreu uma densificação parcial do material, apresentando o estágio de sinterização intermediário, para temperaturas inferiores, devido a moagem de alta energia. Já, no segundo, foi formado o NbC, favorecido pela composição da mistura, em ambos os casos, além do efeito da temperatura de sinterização em fase liquida. Os valores de microdureza mostraram variações devido à distribuição de fases não homogênea. Porém, pode-se notar nas medições que os valores mais baixos de HV são devido à microdureza da prata ativada, que está na faixa de 25 a 70 HV enquanto que, devido ao nióbio, os valores de microdureza mostraram valores que chegam até 450 HV em certos pontos. Os valores médios obtidos para o pó A em 450,550 e 650 ºC foram correspondentes aos valores de 161 +/- 127, 88,75 +/- 100 e 129,5 +/- 117 HV.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ARIADNE DE SOUZA SILVA - UFRN
Externo ao Programa - 2613355 - FRANCINE ALVES DA COSTA
Externo ao Programa - 2414250 - MEYSAM MASHHADIKARIMI
Presidente - 345842 - UILAME UMBELINO GOMES
Notícia cadastrada em: 28/05/2018 15:18
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao