Banca de DEFESA: ZODINIO LAURISA MONTEIRO SAMPAIO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ZODINIO LAURISA MONTEIRO SAMPAIO
DATA : 25/04/2017
HORA: 10:00
LOCAL: Auditório do Laboratório de Cimentos da UFRN
TÍTULO:

Concreto Leve estrutural de baixo consumo de cimento com resíduos 


PALAVRAS-CHAVES:

Concreto leve. Concreto leve estrutural. Resíduo de polimento de porcelanato. Resíduo de pedra calcária. Resíduo de borracha de pneu.


PÁGINAS: 114
RESUMO:

A alta demanda energética envolvida na indústria da construção civil e o crescente consumo do concreto, fez com que esse material se tornasse a opção ideal para a reciclagem de subprodutos de várias industrias tais como: resíduo de polimento de porcelanato RPP; resíduo de borracha de pneu (RBP) e resíduo de pedra calcária (RPC). Esses resíduos frequentemente carecem de um tratamento adequando o que acaba contribuindo para a degradação do meio ambiente. Concretos leves (CL) têm sido usados na construção civil devido às suas inúmeras que incluem: redução do peso próprio do concreto; aumento de área útil; manuseio e operações de transporte menos dispendiosos; aumento do isolamento térmico e acústico e resistência ao fogo. Na produção de concretos leves, normalmente parte ou todos os agregados são substituídos por agregados leves tais como argilas expandidas (AE), borracha de pneu, pedra pome, vermiculita expandida e etc. Os CLs normalmente consomem mais cimento devido à baixa resistência dos agregados porosos usados na fabricação. Nesse sentido, o uso de subprodutos que irão aumentar o volume do concreto sem prejudicar as propriedades, pode ser uma opção bastante viável na produção de CL de baixo custo e sustentáveis. O objetivo geral desse trabalho foi analisar o comportamento mecânico e térmico de concretos leves estruturais (CLE) produzidos com AE em substituição ao agregado graúdo e com adição de RPP, RBP e RPC em substituição a parte do agregado miúdo. E finalmente criar um CLE de baixo custo com boas propriedades mecânicas com um consumo mínimo de cimento. Para tal foi usado inicialmente um planejamento fatorial 2³ para a escolha dos CLE com melhor desempenho em termos de consistência, propriedades mecânicas e massa específica real. Posteriormente foram realizadas reduções de 10, 20 e 30% de cimento nos CLE que apresentaram melhores desempenhos e caracterizados através de ensaios mecânicos. O melhor traço resultante da combinação de propriedades mecânicos com o consumo de cimento foi caracterizado mediante ensaios de: permeabilidade; resistência à flexão; TG/DTA; FRX; DRX; MEV; capacidade térmica; condutividade térmica e difusividade térmica. Por fim, foi realizado uma análise econômica de viabilidade do uso do CLE obtido com a diminuição de cimento. Os resultados mostraram que teores de resíduos em torno de 21% apresentaram melhor combinação de propriedades. Mantendo os teores de resíduos em níveis ótimos foi possível produzir um CLE economicamente viável com boas propriedades reológicas, mecânicas e térmicas com um consumo mínimo de cimento.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1298936 - ANTONIO EDUARDO MARTINELLI
Externo ao Programa - 1804366 - JULIO CEZAR DE OLIVEIRA FREITAS
Externo ao Programa - 347288 - MOACIR GUILHERMINO DA SILVA
Externo à Instituição - SANDRO MARDEN TORRES - UFPB
Externo à Instituição - ULISSES TARGINO BEZERRA - IFPB
Notícia cadastrada em: 04/04/2017 11:44
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao