Banca de DEFESA: MARIA ROSEANE DE PONTES FERNANDES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA ROSEANE DE PONTES FERNANDES
DATA: 24/01/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Laboratório de Cimentos da UFRN
TÍTULO:

PRODUCTION OF Ni-(TaC,NbC) COMPOSITES BY POWDER METALLURGY


PALAVRAS-CHAVES:

Níquel, carbetos, granulação, sinterização e plasma.


PÁGINAS: 101
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
RESUMO:

A crescente busca por novos materiais ou melhoria dos materiais tradicionais tem levado pesquisadores à elaboração de materiais de melhor desempenho. Esses avanços frequentemente requerem o desenvolvimento de sistemas compósitos. Ainda, na área da metalurgia do pó, a sinterização com auxílio do plasma é uma nova técnica de sinterização que minimiza perda de calor e fornece um aquecimento uniforme ao compactado. Desta forma, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a dureza, resistência à flexão, comportamento dilatométrico e analisar a microestrutura de compósitos de matriz metálica base níquel com adição de carbetos de tântalo e/ou nióbio quando sinterizados em forno tubular convencional e Plasma assisted debinding sintering (PADS). Os carbetos (5%, 10% e 15% em massa) foram misturados ao pó de níquel carbonila via úmido com auxílio do misturador Y adaptado durante 1h. Após secagem, as misturas foram submetidas ao processo denominado de granulação em tambor. Utilizou-se 1,5% de parafina (% massa) diluída em hexano. Os pós granulados foram compactados a frio utilizando pressão de 600 Mpa. Antes da sinterização a uma taxa de 8 ºC/min com patamar 1h na temperatura de 1150ºC tanto em forno tubular quanto em reator PADS, as amostras foram pré-sinterizadas em forno tubular para extração da parafina a uma taxa de 3 ºC/min com patamar 30 min em 500 °C. A dureza avaliada foi a Brinell e a análise microestrutural por MEV. Os resultados mostraram que as amostras sinterizadas assistidas por plasma apresentaram dureza superior àquelas sinterizadas em forno convencional. As imagens de MEV comprovaram esses maiores valores de durezas, uma vez que a matriz apresentou-se mais densificada e com minimização na quantidade de poros. Com relação à adição dos carbetos, a dureza aumentou com o aumento da concentração dos mesmos. A resistência à flexão também aumentou ao adicionar os carbetos. A retração foi maior para a amostra com adição de 5% de TaC e 5% NbC. De maneira geral, as composições com adição de 10% de carbetos apresentaram um aspecto microestrutural menos poroso e com uma distribuição mais uniforme dos mesmos na matriz de níquel. Assim, tanto a adição de carbetos quanto a sinterização com auxílio do plasma melhoraram a dureza e o aspecto microestrutural dos compósitos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1298936 - ANTONIO EDUARDO MARTINELLI
Externo à Instituição - CRISTIANO BINDER - UFSC
Externo à Instituição - GISELE HAMMES - UFSC
Interno - 1350249 - RUBENS MARIBONDO DO NASCIMENTO
Interno - 345842 - UILAME UMBELINO GOMES
Notícia cadastrada em: 15/01/2014 08:37
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao