Banca de QUALIFICAÇÃO: LAURENICE MARTINS PEREIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LAURENICE MARTINS PEREIRA
DATA: 17/10/2013
HORA: 14:30
LOCAL: sala de aulas PPGCEM
TÍTULO:

Desenvolvimento e caracterização do compósito da blenda poli(tereftalato de etileno) reciclado / poli(etileno – acrilato de metila) com fibra de linter de algodão


PALAVRAS-CHAVES:

blenda, compósito, poli(tereftalato de etileno), poli(etileno – acrilato de metila)


PÁGINAS: 127
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
RESUMO:

O desenvolvimento de novos materiais para atender as necessidades dos avanços tecnológicos é um desafio enfrentado por pesquisadores de todo mundo.  No tocante aos materiais poliméricos, estratégias como a confecção de blendas e compósitos são alternativas promissoras para atender a demanda por materiais com propriedades diferentes das encontradas nos polímeros convencionais. Neste trabalho é desenvolvida e estudada a blenda poli(tereftalato de etileno) reciclado (PETrec) com copolímero etileno - acrilato de metila (EMA) e os compósitos PETrec/EMA/Linter Bruto (LB) e o PETrec/EMA/Linter Tratado (LT) em diferentes formulações. A blenda e os compósitos foram produzidos por meio de uma extrusora monorosca, e em seguida moldados por injeção. As caracterizações realizadas foram termogravimetria (TG), medida de índice de fluidez (MFI), reometria de torque, determinação da densidade por picnometria, ensaio de tração uniaxial e microscopia eletrônica de varredura (MEV). Os resultados reológicos mostraram que a adição do linter reduziu a viscosidade do material.  O MEV mostrou que a adesão entre a matriz de PETrec e a fase dispersa de EMA é baixa. No compósito PETrec/EMA/LB observou-se que aumentando a concentração de EMA ocorreu uma melhor adesão com a fibra. Os ensaios de tração mostraram que o aumento da porcentagem de EMA diminui a resistência máxima, reduz o módulo de elasticidade e aumenta a elongação na ruptura da blenda apresentando comportamento dúctil. No entanto, os compósitos apresentam um comportamento frágil, indicando que o linter atua como um concentardor de tensão. O compósito PETrec/EMA/LT apresentou uma queda maior na resistência, no módulo e na elongação, indícios de que ocorreu degradação no linter tratado, visto que o linter tratado apresenta uma maior área superficial, ficando mais exposto ao aquecimento durante o processamento. Os resultados indicaram que é possível utilizar a blenda PETrec/EMA, no entanto é necessário utilizar um compatibilizante para melhorar a adesão, e nos compósitos com linter tratado é necessário minimizar a degradação térmica..


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1639676 - EDSON NORIYUKI ITO
Interno - 1755267 - MARIA CAROLINA BURGOS COSTA DO NASCIMENTO
Externo à Instituição - MEN DE SÁ MOREIRA DE SOUZA FILHO - EMBRAPA
Notícia cadastrada em: 07/10/2013 09:23
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao