Banca de DEFESA: RAFAELA CATHERINE DA SILVA CUNHA DE MEDEIROS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RAFAELA CATHERINE DA SILVA CUNHA DE MEDEIROS
DATA : 30/04/2021
HORA: 14:00
LOCAL: DEFESA REMOTA - https://meet.google.com/aix-meqi-dpa
TÍTULO:

APTIDÃO FÍSICA, CONTROLE POSTURAL E NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM HIV


PALAVRAS-CHAVES:

Controle Postural, aptidão física, HIV, crianças, adolescentes.


PÁGINAS: 116
RESUMO:

Introdução: As alterações negativas que acometem crianças e adolescentes que vivem com HIV e utilizam a terapia antirretroviral podem influenciar no desempenho do controle postural e aptidão física relacionada à saúde dessa população. Objetivo: avaliar e analisar a aptidão física, controle postural e o nível de atividade física de crianças e adolescentes com HIV, comparando com pares não infectados e monitorando ao longo do tempo o grupo com HIV. Métodos: estudo realizado em duas etapas e com métodos diferentes, onde na primeira etapa foi elaborado estudo observacional de corte transversal (primeira fase); participaram 32 crianças e adolescentes; sendo 18 no grupo HIV + e 14 com sorologia negativa; e na segunda etapa um estudo de coorte prospectivo (longitudinal), ocorrendo em três análises (1ª, 2ª e 3ª) onde a amostra inicial foi de 18 crianças e adolescentes com HIV, porém com perda amostral, resultou em 10 participantes. Foram incluídas crianças e adolescentes de ambos sexos em acompanhamento médico; e excluídas aquelas com respostas negativas ao Physical Activity Readiness Questionnaire. Foram aplicados: anamnese estruturada contendo dados sociodemográficos e clínicos; questionário sobre nível de atividade física habitual; avaliado a composição corporal por antropometria e DXA; a maturação biológica por equações matemáticas e prancha de Tanner; o controle postural, em plataforma de força, onde mantiveram postura ereta bipodal nas condições: com visão; sem visão e com visão e sobre espuma; a flexibilidade, no banco de Wells; a força por teste de preensão manual com dinamômetro ea capacidade cardiorrespiratória em esteira ergométrica com teste de rampa. Resultados: na fase 1,comparando a aptidão física de criança e adolescente HIV+ com HIV- foi identificado que somente o Limiar ventilatório 1 apresentou diferença significativa, indicando que o grupo HIV+ apresenta valores inferiores na aptidão cardiorrespiratória quando comparadas aos pares; e, quando comparado o controle postural de ambos os grupos (HIV+ com HIV-), nas variáveis do domínio do tempo, valores maiores foram observados para o grupo HIV+ na velocidade média ântero-posterior (p=0,001) e médio-lateral (p=0,001), no perímetro ântero-posterior (p=0,001) e médio-lateral(p=0,001). Para o fator condição, foi observada diferença para amplitude média de oscilação_ântero-posterior (0,039); e quando analisado o domínio espectral, para o fator grupo, valores maiores foram observados no grupo HIV+ na frequência predominante médio-lateral (p=0,04) e frequência média ântero-posterior (p=0,001). E para o fator condição, foi encontrada diferença apenas para frequência predominante ântero-posterior (p=0,001); os maiores valores foram na condição sem visão, quando comparada à condição com espuma. Ena fase 2, durante o acompanhamento longitudinal do grupo HIV+, verificou-se que o nível de atividade física se manteve ao longo do tempo. O controle postural sofreu alterações positivas na condição sem visão, onde foram encontradas diferenças entre a 1ª análise em relação as 2ª e 3ª na velocidade média_médio-lateral (p=0,01), perímetro_ântero-posterior (p=0,04) e médio-lateral (p=0,00); e nas 2ª e 3ª análises, e do momento da 2ª analise em relação a 3ª. Na condição com espuma, verificou-se diferença naárea (p=0,02) e perímetro_médio-lateral (p=0,03), ambos do momento da 1ª análise em relação às 2ª e 3ª. Entre os momentos das 2ª e 3ª análises, verificou-se diferença apenas na variável perímetro_médio-lateral (p=0,03). Também foi observada diferença no ponto ótimo cardiorrespiratório do período da 1ª análise em relação as 2ª e 3ª análises (p=0,01). Conclusão: Conclui-se que parâmetros de crescimento e desenvolvimento, especialmente massa corporal e BMI influenciam a aptidão física, apontando prejuízos na aptidão cardiorrespiratória de crianças e adolescentes com HIV; e que o desempenho do controle postural do grupo HIV é inferior aos pares sem infecção. No entanto, a manutenção do nível de atividade física exerce influência positiva ao longo do tempo sobre parâmetros do controle postural e ponto ótimo cardiorrespiratório de crianças e adolescentes com a infecção do HIV.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2626634 - PAULO MOREIRA SILVA DANTAS
Interna - 1199080 - ANA KATHERINE DA SILVEIRA GONCALVES DE OLIVEIRA
Externa ao Programa - 2495705 - GRASIELA PIUVEZAM
Externo à Instituição - JOSÉ ÂNGELO BARELA
Externo à Instituição - RONALDO VAGNER THOMATIELI DOS SANTOS
Notícia cadastrada em: 27/04/2021 20:27
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa27-producao.info.ufrn.br.sigaa27-producao