Banca de DEFESA: BRUNO FERREIRA DE LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BRUNO FERREIRA DE LIMA
DATA: 16/04/2012
HORA: 14:00
LOCAL: auditório A
TÍTULO:

Título: O ENSINO DE INGLÊS NO IFRN: Entre as recomendações do currículo proposto e as ações do currículo ensinado

 

 

 

 


PALAVRAS-CHAVES:

 

Palavras-chave: ensino de Inglês; documentos; professores; Inglês Instrumental; IFRN.

 

 


PÁGINAS: 120
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Lingüística Aplicada
RESUMO:

 

RESUMO

 

Este trabalho tem como objetivo compreender o ensino de Inglês no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN (IFRN) considerando as recomendações dos documentos oficiais e técnicos para o Ensino Médio Integrado e a perspectiva dos professores da disciplina lotados em um dos campi do referido Instituto. Também constitui objetivo desta pesquisa depreender até que ponto a perspectiva dos professores se articula com as recomendações documentais. Para isso, realizamos um levantamento de vários documentos oficiais e técnicos (LÜDKE; ANDRÉ, 1986), tais como os PCNEMs (BRASIL, 2000), as OCNEMs (BRASIL, 2006) e o Projeto Político-Pedagógico do IFRN (IFRN, no prelo), e aplicamos um questionário por via eletrônica a seis professores de Inglês de um dos campi da instituição. O referencial teórico da pesquisa apoia-se, entre outros, em Bakhtin (1997; 1999), Widdowson (1978), Almeida Filho (2011; 2004), Celani (1988; 2009), Hutchinson e Waters (1987) e Dudley-Evans e St. John (1998). Os resultados mostram que o ensino de Inglês segundo os documentos prevê o uso instrumental da língua estrangeira, mas preconiza o desenvolvimento de competências e habilidades como práticas sociais contextualizadas, visando à formação integral do aluno como um profissional-cidadão. A perspectiva dos professores, por sua vez, aponta para uma preocupação que o ensino de Inglês sirva como ferramenta de melhoria de vida do aluno a partir do uso instrumental da língua como forma de acesso a informações e qualificação profissional. Tal constatação releva que a articulação entre as recomendações documentais e a perspectiva dos professores não vai além do que se refere ao ensino instrumental de língua, já que os docentes não evidenciam, no relato de suas práticas, o ensino de língua como prática social, conforme inscrito nos textos legais.

 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2194174 - ANA GRACA CANAN
Interno - 1149618 - SELMA ALAS MARTINS
Externo à Instituição - JOSE ROBERTO ALVES BARBOSA - UERN
Notícia cadastrada em: 26/03/2012 14:22
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa16-producao.info.ufrn.br.sigaa16-producao