Banca de DEFESA: ALDINIDA DE MEDEIROS SOUZA - (Retificação)

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: ALDINIDA DE MEDEIROS SOUZA

DATA: 27/08/2010

HORA: 00:00

LOCAL: CCHLA

TÍTULO:

Inês de Castro no romance português contemporâneo


PALAVRAS-CHAVES:

Inês de Castro; romance histórico contemporâneo; circularidade do mito.  


PÁGINAS: 100

GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes

ÁREA: Letras

SUBÁREA: Literatura Comparada

RESUMO:

Inês de Castro é um tema presente na literatura desde o século XIV. O fato histórico de sua morte, em 1355, tornou-se um marco na História portuguesa e, desde então, diversos textos literários, de vários gêneros, têm tratado desse tema, o que fez do casal Pedro e Inês um mito do amor paixão, do amor que ultrapassa as barreiras da morte, assim como Tristão e Isolda, Romeu e Julieta, Abelardo e Heloísa. O mito literário – ou qualquer figura que literatura mitificou  –  é sempre pré-elaborado culturalmente e funciona nos mesmos moldes que tantos outros, isto é, como um elemento da identidade cultural, quer coletiva, quer individualmente, tornando-se, também, um recurso poético. Desse modo, é um arquétipo confirmado pelo tempo e acaba por revelar uma série de teias da psique humana. Inês de Castro tornou-se o mito português do amor eterno: é a "que depois de morta foi rainha". A permanência do mito faz com que a história de amor de Pedro e Inês continue a render textos literários de diversos gêneros. Esta pesquisa debruça-se sobre seis romances históricos contemporâneos, a fim de evidenciar que a forma como esse romance é escrito na contemporaneidade traz uma reelaboração da imagem mítica de Inês, visto que agora não é mais tratada como a Inês vítima, presente n’Os lusíadas e em outros textos de épocas passadas.  Para isso, colaboram as novas relações entre História e Literatura e uma nova postura do romancista em relação aos fatos históricos tomados como referentes do romance. O intento é evidenciar, através do corpus escolhido, que Inês de Castro tem agora diversos perfis, os quais não se viam nos romances históricos tradicionais, da época do Romantismo e Neo-romantismo.  Da autoria de Agustina Bessa-Luís, João Aguiar, António Cândido Franco, Seomara da Veiga Ferreira e Luís Rosa, os seis romances em estudo comprovam a circularidade cultural do mito inesiano, mostrando essa nova personagem Inês de Castro romance histórico contemporâneo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149354 - AFONSO HENRIQUE FAVERO
Interno - 1299003 - DERIVALDO DOS SANTOS
Interno - 3351552 - ROSANNE BEZERRA DE ARAUJO
Externo à Instituição - BELIZA ÁUREA ARRUDA MELO - UFPB
Externo à Instituição - MARIA DA CONCEIÇÃO CRISÓSOTOMO DE MEDEIROS GONÇALVES MATOS FLORES - UnP
Notícia cadastrada em: 08/09/2010 09:36
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao