Banca de QUALIFICAÇÃO: MARAISA DAMIANA SOARES ALVES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARAISA DAMIANA SOARES ALVES
DATA : 10/11/2021
HORA: 14:00
LOCAL: GOOGLE MEET
TÍTULO:

REFLEXÕES METALINGUÍSTICAS NO PROCESSO DE TRADUÇÃO COLABORATIVA: UMA ANÁLISE SOBRE AS NEGOCIAÇÕES ORTOGRÁFICAS, SINTÁTICAS, SEMÂNTICAS E  LEXICAIS NO PERCURSO DOS TEXTOS ESCRITOS


PALAVRAS-CHAVES:

Tradução colaborativa; enunciação; TRAÇO; objetos textuais; reflexões metalinguísticas e metaenunciativas.


PÁGINAS: 90
RESUMO:

O diálogo é o ato enunciativo no qual dois sujeitos falantes se apropriam de um conjunto de categorias linguísticas marcadoras de pessoa, tempo e espaço, sem as quais nenhuma enunciação poderia ser realizada (BENVENISTE, 1991, 2006). Essa enunciação é desenhada por ativações, reativações e desativações presentes no diálogo nomeada, por vezes, de “face-a-face” (CASTILHO, 2000). Com base nesses preceitos, esta pesquisa, de natureza qualitativa e descritiva, tem como objetivo descrever e analisar de que maneira os alunos enfrentam, em situação dialogal, diferentes realizações linguísticas que entram em jogo no processo de tradução colaborativa. Em nossa reflexão, analisamos, descrevemos e categorizamos: a) a natureza linguístico-discursiva dos comentários; b) as negociações orais sobre os objetos textuais que mobilizam os comentários e reflexões sobre o texto; c) a interferência das homonímias e  homofonias no intercâmbio entre língua estrangeira e língua materna, especialmente pelo fato de os alunos não dominarem a língua fonte de partida. Para tanto, utilizamos dados do corpus TRAÇO – Estudos de Tradução Colaborativa no Ensino Superior na UFRN, que utiliza o Sistema Ramos (RAMOS), desenvolvido pelo Laboratório do Manuscrito Escolar (LAME). O RAMOS é um sistema de captura multimodal e os dados são coletados em situação ecológica, oferecendo-nos a dimensão sonora, através de registros de fala e dos diálogos, e a dimensão visual, através do processo escritural em tempo real, além de acessar os rascunhos e a versão final do texto escrito (CALIL, 2008, 2020). Esse método possibilita dar visibilidade aos gestos processuais que envolvem as reflexões – linguística, ortográfica, semântica, sintática, enunciativa – e os comentários metalinguísticos e metaenunciativos desenhados no texto dialogal (TD) (CALIL, 2017) – bem como as marcas das negociações orais que são registradas nos manuscritos. Não temos como objetivo propor métodos do ensino da tradução ou tampouco avaliar a natureza da atividade aplicada em sala de aula. Asseguramos, contudo, que é de modo significativamente valoroso buscar entender a relação do sujeito com os textos que lê e escreve quando é a tradução que está sendo veículo de escrita, também, do texto em língua portuguesa, pois, se, de um lado, o aluno lê e tenta traduzir o texto estrangeiro, de outro, ele escreve e reescreve o texto em língua portuguesa. Os dados preliminares apontam que o processo de tradução colaborativa demanda a construção de um texto que ativa diferentes conhecimentos entre os estudantes, proporcionando convergências e divergências nas escolhas lexicais, desde a enunciação dialogal até o momento de passar essa enunciação ao papel (em forma escrita), gerando diversos comentários metalinguísticos e metaenunciativos.  No caso da passagem de uma língua para outra, esses eventos respondem por uma possibilidade que há, de uma língua para outra, uma relação de similitude que, em muitas situações, não se concretizam, ainda que os alunos entendam que podem ter encontrado a melhor forma de dizer, na língua materna, o que se encontra no texto da língua estrangeira. Parafraseando Eco, (2017) para os alunos, eles estão no seio da “quase a mesma coisa”.  


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2226795 - MARIA HOZANETE ALVES DE LIMA
Interna - 3654056 - JENNIFER SARAH COOPER
Externa à Instituição - SINARA DE OLIVEIRA BRANCO - UFCG
Externo à Instituição - SILVIO LUIS DA SILVA - UFPB
Externa à Instituição - SONIA CRISTINA SIMOES FELIPETO - UFAL
Notícia cadastrada em: 01/10/2021 18:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa21-producao.info.ufrn.br.sigaa21-producao