Banca de QUALIFICAÇÃO: ALCIONE DA SILVA SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALCIONE DA SILVA SANTOS
DATA : 13/08/2021
HORA: 14:30
LOCAL: Plataforma Google Meet
TÍTULO:

O METAGÊNERO CURTA-METRAGEM COMO FERRAMENTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA CONSCIÊNCIA CRÍTICA


PALAVRAS-CHAVES:

Curta-metragem. Metagênero. Oficinas de Letramento. Letramento cinematográficoConsciência crítica. 


PÁGINAS: 164
RESUMO:

Nos dias atuais, a cultura do audiovisual é algo muito presente. Ela pode ser observada em vídeos que circulam em aplicativos de mensagens instantâneas, em redes sociais, na tv e no cinema. A respeito desse último, sabemos que as películas antes de serem filmadas vão se construindo a partir de vários textos verbais e icônico-verbais. Tendo isso como referência, a presente pesquisa elege, como objeto de investigação, o metagênero curta-metragem e, por conseguinte, os gêneros que lhe são constitutivos: sinopse, pitch escaleta, roteiro e storyboard. Esses podem ser utilizados para constituir o curta-metragem de ficção. De modo geral, o estudo tem em vista compreender e a apontar os processos de escrituração fílmica e produção do curta-metragem no contexto de ensino de Língua Portuguesa por alunos do ensino médio. De forma mais específica, objetivamos, em nossa pesquisa: 1); Analisar o(s) processo(s) de escrituração de gêneros que podem ser utilizados para construir o metagênero curta-metragem em contextos de sala de aula do ensino de Língua Portuguesa; 2) Discutir as contribuições que as Oficinas de Letramento (OL) podem oferecer para o desenvolvimento do trabalho com os gêneros textuais que são constitutivos do curta-metragem de ficção e 3) Identificar as formas de intertextualidade presentes no processo de escrituração do gênero curta-metragem realizado por alunos do ensino médio. Como subsídio teórico, amparamo-nos em Kleiman (1995; 2000), Oliveira (2008; 2010) Kleiman e Santos-Marques (2019), Cabral (2016; 2019), Bazerman (2006; 2007), Bawarshi e Reiff (2013). Metodologicamente, inserimo-nos no campo da Linguística Aplicada (MOITA LOPES, 2006) e nos orientamos pelo paradigma qualitativo-interpretativista de pesquisa (MOREIRA & CALEFF, 2008; MOITA LOPES, 1994) e pela abordagem conhecida como pesquisa-ação (THIOLLENT, 2003).  Os instrumentos utilizados para a geração de dados foram: um questionário e uma entrevista, em que os alunos comentam o processo de criação do curta-metragem, bem como ele mesmo e; a gravação em áudio e vídeo das aulas em que foram desenvolvidas as oficinas de letramento ministradas por nós no ano de 2019. Com esses instrumentos foram gerados os seguintes dados: comentários escritos pelos alunos sobre o processo de escrituração e sobre a produção do filme, a transcrição das entrevistas e das aulas, os gêneros textuais escritos para criar o curta-metragem intitulado ‘O Silêncio de Sara’ e o filme em si. Os dados estão sob análise e, por ora, o diálogo entre os fundamentos teóricos e a interpretação feita do corpus sugere serem as oficinas de letramento um dispositivo relevante ao propósito didático-pedagógico que, no nosso caso, é a escrituração dos gêneros constitutivos do metagênero curta-metragem de ficção. O trabalho com esse último, por sua vez, favorece a criticidade dos alunos, pois sua produção demanda adaptações orientadas pela reflexão sobre os textos escritos que compõem o filme e as condições existentes na escola para a realização desta produção audiovisual. Quanto à intertextualidade, observamos o desejo de dialogar com as narrativas de terror e suspense.   


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 332207 - MARIA DO SOCORRO OLIVEIRA
Interna - 322.525.604-87 - IVONEIDE BEZERRA DE ARAÚJO SANTOS MARQUES - IFRN
Externo à Instituição - NATHAN NASCIMENTO CIRINO - UFCG
Notícia cadastrada em: 28/07/2021 14:31
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa24-producao.info.ufrn.br.sigaa24-producao