Banca de DEFESA: NEEMIAS SILVA DE SOUZA FILHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NEEMIAS SILVA DE SOUZA FILHO
DATA : 24/02/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Remoto
TÍTULO:
Mecanismos de antecipação lexical em português brasileiro: abordando questões metodológicas

PALAVRAS-CHAVES:

Psicolinguística, Compreensão da linguagem, Processamento preditivo da
linguagem, Leitura autocadenciada


PÁGINAS: 105
RESUMO:

Diversos estudos realizados ao longo dos anos 2000 encontraram evidências de que itens lexicais específicos e alguns de seus traços (e.g., forma fonológica, gênero gramatical) podem ser antecipados durante o processamento da linguagem (DeLong et al., 2005; Van Berkum et al., 2005). A maioria dessas evidências é oriunda de experimentos de eletroencefalografia, mas o estudo realizado em holandês por Van Berkum e colegas (2005) também reporta resultados de um experimento de leitura autocadenciada no qual os autores encontraram maiores tempos de leitura para sentenças que continham substantivos inesperados, mas ainda plausíveis em contexto. Tal efeito foi registrado antes da apresentação dos substantivos críticos nos itens experimentais, o que torna improvável a hipótese de que a diferença encontrada poderia ser explicada por outros fenômenos que não a antecipação. As palavras que desencadearam o efeito em questão eram adjetivos antepostos ao substantivo crítico, e concordavam em gênero com este. Explorando essa mesma propriedade morfossintática, conduzimos um experimento de leitura autocadenciada com 339 participantes que tinham o português brasileiro como primeira língua. Nosso objetivo foi investigar se informações de gênero gramatical são utilizadas em processos de antecipação durante a compreensão da linguagem, gerando efeitos como os reportados na literatura da área. Para tanto, elaboramos 20 itens experimentais formados por duas sentenças: na primeira delas, uma situação simples era introduzida (e.g., “O casal olhou o cardápio do restaurante até conseguirem se decidir”); na segunda, a situação se desdobrava de uma maneira provável (e.g., “Eles chamaram a garçonete, que anotou o extenso e detalhado pedido na comanda”) ou improvável (e.g., “Eles chamaram a garçonete, que anotou a extensa e detalhada mensagem na comanda”). Os substantivos críticos foram controlados de modo a sempre terem gêneros gramaticais distintos (‘pedido’ vs. ‘mensagem’), e isso se refletia nos adjetivos antepostos (‘extenso’ e ‘detalhado’). Se informações de gênero gramatical de fato desencadeiam efeitos de antecipação, maiores tempos de leitura seriam registrados na condição improvável. Nossos resultados apontaram uma divergência entre as análises feitas com os dados normalizados por transformação logarítmica e com os dados mantidos em suas distribuições originais. Diferenças estatisticamente significantes nos tempos de leitura de palavras anteriores ao substantivo crítico foram observadas nestas análises, mas não naquelas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1153427 - MAHAYANA CRISTINA GODOY
Interna - 1666189 - JANAINA WEISSHEIMER
Externa à Instituição - LARISSA SANTOS CIRÍACO - UFMG
Notícia cadastrada em: 02/02/2021 11:42
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao