Banca de DEFESA: LÍGIA MARIA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LÍGIA MARIA DA SILVA
DATA : 21/12/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Plataforma virtual Google Meet
TÍTULO:

ABORDAGEM FUNCIONALISTA DA ORAÇÃO ADJETIVA: DESCRIÇÃO E ENSINO


PALAVRAS-CHAVES:

Linguística Funcional. Ensino de Língua Portuguesa. Oração adjetiva.


PÁGINAS: 272
RESUMO:

Nesta pesquisa, desenvolvemos uma interface entre a descrição e o ensino da oração adjetiva, objetivando caracterizá-la em termos morfossintáticos, semânticos e discursivo-pragmáticos e contribuir para a melhoria do ensino desse tópico gramatical por meio de uma abordagem funcionalista. Para tanto, temos por base a Linguística Funcional norte-americana, inspirada em Givón, Bybee, Traugott, entre outros. Consideramos também as orientações de documentos norteadores do ensino de Língua Portuguesa para a Educação Básica: as Orientações Curriculares Nacionais (BRASIL, 2006) e a Base Nacional Comum Curricular (BRASIL, 2018). A descrição da oração adjetiva com base em pesquisas funcionalistas, como as de Oliveira (2001), Bispo (2009, 2014a, b, 2018) e Souza (2009), contempla aspectos de diferentes naturezas, relacionados ao nível de encaixamento morfossintático, à classificação semântica, às estratégias de relativização, dentre outros. Quanto ao ensino, os documentos orientam que a prática de análise linguística possa expandir as possibilidades de uso da linguagem, ampliando a capacidade crítica do aluno. A hipótese geral de trabalho é que a descrição funcionalista das adjetivas contempla os diferentes modos de organização desse tipo oracional bem como aspectos estruturais e funcionais vinculados a essas formas de expressão e que a abordagem das adjetivas em sala de aula, nessa perspectiva, deve partir de usos efetivos dessas formas, canônicas ou não, associando-as aos diferentes contextos comunicativos e aos efeitos de sentido que se pretende alcançar. A partir disso, elaboramos uma proposta didática que foi aplicada em turmas dos níveis fundamental e médio de uma escola pública da rede estadual em Natal/RN. Trata-se de uma pesquisa de cunho quali-quantitativo, tendo em vista a interpretação e análise do material obtido na intervenção. Quanto à descrição da adjetiva, esta tese resultou na proposição de um continnum de integração com base nas discussões sobre as diferentes configurações da adjetiva em pesquisas funcionalistas. Foram considerados os critérios de definitude do Sintagma Nominal (SN) antecedente, informatividade do SN antecedente, presença/ausência de pronome relativo, fundidade da adjetiva, pausa, inserção e ruptura sintática. As adjetivas foram dispostas nesta sequência, do menor ao maior nível de encaixamento: desgarrada > explicativa finita prototípica > explicativa não finita > explicativa finita não prototípica > relativa livre > restritiva finita não prototípica > restritiva finita prototípica > restritiva não finita.Em relação à proposta didática, os resultados revelam que, após as aulas fundamentadas na abordagem funcional, alguns alunos conseguiram correlacionar usos linguísticos a motivações cognitivas e comunicativas quanto aos diferentes modos de organização das orações adjetivas e, em particular, quanto ao emprego das diferentes estratégias de relativização. Ademais, os resultados denotam a necessidade de ajustes devido à realidade das turmas e ao atendimento às bases teóricas que fundamentaram a intervenção. Tais ajustes incluem, por exemplo, o tempo destinado às atividades e a readequação de algumas questões dos exercícios.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1551756 - EDVALDO BALDUINO BISPO
Interno - 1673239 - JOSE ROMERITO SILVA
Externa ao Programa - 1393548 - NEDJA LIMA DE LUCENA
Externa à Instituição - MARIANGELA RIOS DE OLIVEIRA - UFF
Externo à Instituição - PATRÍCIA FABIANE AMARAL DA CUNHA LACERDA - UFJF
Notícia cadastrada em: 11/12/2020 09:48
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa21-producao.info.ufrn.br.sigaa21-producao