Banca de DEFESA: DIÊGO CESAR LEANDRO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DIÊGO CESAR LEANDRO
DATA : 17/12/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO:

Planejamento pré-tarefa, memória operacional e produção oral em inglês como L2: um estudo exploratório usando análise de grafos



PALAVRAS-CHAVES:

Planejamento pré-tarefa; Memória Operacional; Produção Oral em L2; Análise de Grafos.


PÁGINAS: 150
RESUMO:

 

Este estudo transversal de métodos mistos (Dörnyei, 2007) objetiva investigar a relação entre planejamento pré-tarefa, memória operacional e produção oral em inglês como Segunda Língua (L2). Cinquenta e seis falantes de inglês como L2, nos níveis pré-intermediário (n = 46) e avançado (n = 10), integraram o estudo. Os aprendizes de nível pré-intermediário foram expostos a uma tarefa de descrição de imagens na qual usaram a L2 para descrever três imagens, cada uma por um minuto.  Cada imagem foi descrita sob uma condição de planejamento pré-tarefa. Na condição no-planning, os participantes descreveram a imagem imediatamente, sem planejar a sua fala. Nas condições oral e escrita, os participantes planejaram a fala por um minuto antes de realizar a tarefa, ensaiando oralmente a fala ou fazendo anotações. A produção oral foi analisada em termos de complexidade (número de t-unidades), acurácia (número de erros por 100 palavras), densidade lexical ponderada (proporção de palavras novas produzidas com propriedades lexicais e gramaticais) e fluência (velocidade de fala, nas versões pruned e unpruned). O processo de planejamento foi investigado por meio de um protocolo verbal e a memória operacional foi mensurada por meio do speaking span test (Weissheimer, 2007) em L1 (Português do Brasil). Adicionalmente, as amostras de fala foram analisadas por meio de grafos em que cada nó representa uma palavra e as arestas representam a trajetória das palavras produzidas (Mota et al., 2016, 2019). As análises foram conduzidas intra-sujeito, de forma a investigar quais das condições experimentais resulta em uma produção oral mais complexa, mais gramaticalmente precisa, mais densa lexicalmente e mais fluente, e entre sujeitos, incluindo memória operacional como fator de acordo com uma análise do tipo extreme-group. A análise de grafos foi conduzida para investigar a produção oral no contínuo entre os níveis pré-intermediário e avançado de proficiência na L2. Em geral, os resultados indicam uma vantagem do planejamento pré-tarefa sobre a condição no-planning, independentemente da modalidade de planejamento. A fala produzida sob as condições oral e escrita obtiveram maiores médias do que a fala produzida sob a condição no-planning e os efeitos positivos emergiram com apenas um minuto de planejamento. A mesma tendência foi observada quando a memória operacional foi inclusa como fator, mas os dois grupos de memória (alta e baixa memória operacional) divergiram em relação às variáveis mais afetada pelo planejamento pré-tarefa. Em relação aos processos de planejamento, os participantes parecem ter preferido ter pelo menos um minuto para planejar a sua fala ao invés de não poder planejá-la e identificaram tanto vantagens como desvantagens das condições de planejamento oral e escrito.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1666189 - JANAINA WEISSHEIMER
Interna - 1153427 - MAHAYANA CRISTINA GODOY
Externa à Instituição - INGRID FINGER - UFRGS
Externa à Instituição - NATALIA BEZERRA MOTA - UFPE
Externa à Instituição - RAQUEL CAROLINA SOUZA FERRAZ D''ELY - UFSC
Notícia cadastrada em: 19/11/2020 14:18
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao