Banca de DEFESA: MADSON BRUNO SOARES ESTEVAM

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MADSON BRUNO SOARES ESTEVAM
DATA : 27/12/2019
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório D
TÍTULO:

 

 

A (NÃO) ASSUNÇÃO DA RESPONSABILIDADE ENUNCIATIVA EM REDAÇÕES NOTA MIL DO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO – ENEM

 

 


PALAVRAS-CHAVES:

 

 

 

Ponto de vista. Responsabilidade enunciativa. Redação nota mil. ENEM. 


PÁGINAS: 150
RESUMO:

A responsabilidade enunciativa é um fenômeno que recobre as vozes presentes no texto, o que atesta o seu caráter polifônico, e permite ao analista, nos estudos linguísticos, perceber a instância que assume, ou não, o conteúdo proposicional dos enunciados proferidos pelos locutores enunciadores. Considerando esse postulado, neste trabalho, estabelecemos como objetivo geral investigar a responsabilidade enunciativa em redações nota mil do Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM, nas edições de 2013 a 2017. Definimos como objetivos específicos: (1) descrever o plano de texto; (2) analisar a imputação do ponto de vista e a responsabilidade enunciativa em redações nota mil; (3) identificar e descrever marcas linguísticas que indicam o ponto de vista dos candidatos; (4) verificar como ocorre o uso de vozes alheias nas redações nota mil, categorizando-as conforme formações sociodiscursivas a que pertencem. A teoria que embasa a investigação é a Análise Textual dos Discursos, quadro teórico fomentado por Adam (2011, 2017, 2018), no qual o texto e o discurso são vistos sob um novo olhar. Além desse pressuposto teórico, o trabalho também é embasado por autores que tratam sobre aspectos enunciativos, como Rabatel (2016, 2017, 2018), Rodrigues et al (2010), Passeggi et al (2010), Costa (2015), Guenthéva (1994), entre outros. Adotamos uma metodologia com viés qualitativo e quantitativo. Seguimos o método, sobretudo, indutivo, a fim de proceder às generalizações.  O trabalho com os dados cumpriu, assim, a identificação do fenômeno, sua descrição, análise e interpretação. Os resultados demonstram que os locutores enunciadores primeiros (L1/E1) utilizam vozes para embasar posicionamentos acerca das temáticas debatidas, com um recurso argumentativo conhecido como argumento de autoridade. Com isso, tendem a assumir o grau da responsabilidade enunciativa pelos discursos proferidos, usando com ênfase, para mostrar conhecimento enciclopédico, as formações sociodiscursivas filosófica, sociológica e jurídica. Além disso, observamos que o plano de texto das redações vem mudando com o passar o tempo, com a estrutura prototípica sendo firmada com a falta de título nos textos, um parágrafo de introdução, dois de desenvolvimento e um de conclusão. Por fim, os resultados desse estudo contribuem para o desvelamento do gênero discursivo textual redação do ENEM, em seus aspectos estruturais e enunciativos, e apontam os mecanismos empregados pelos participantes na construção de textos modelos inseridos na composição do maior exame educacional do país.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 349685 - MARIA DAS GRACAS SOARES RODRIGUES
Externa ao Programa - 3351562 - CELIA MARIA DE MEDEIROS
Externa à Instituição - Elis Betânia Guedes da Costa
Externa à Instituição - ROSANGELA ALVES DOS SANTOS BERNARDINO - UERN
Notícia cadastrada em: 17/12/2019 14:23
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa15-producao.info.ufrn.br.sigaa15-producao