Banca de QUALIFICAÇÃO: FRANCISCO GESIVAL GURGEL DE SALES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FRANCISCO GESIVAL GURGEL DE SALES
DATA : 29/08/2019
HORA: 10:30
LOCAL: Sala 20 - Àgora
TÍTULO:

A ESCRITURA QUE SE FAZ COM O OUTRO: Diálogo e Transferências entre Machado de Assis e Madame de Staël


PALAVRAS-CHAVES:

Transferências Culturais; Apropriação e transformação de ideias; Machado de Assis; Madame de Stael.


PÁGINAS: 57
RESUMO:

O presente trabalho está inserido na temática das transferências culturais entre França e Brasil no século XIX. De modo mais específico, ele constitui um estudo sobre a recepção de Madame de Staël em Machado de Assis cujo núcleo é a problemática da presença de Staël nos escritos machadianos. Refletindo sobre as leituras de Machado e a apropriação de ideias, a pesquisa examinará a circulação de obras da autora franco-suiça no meio intelectual carioca, dando ênfase ao contexto de produção de Machado de Assis, utilizando-se da análise de menções à Staël no meio intelectual, anúncios de venda de obras nos jornais cariocas, catálogos de livreiros da época – com destaque para o papel de L. B. Garnier –, a biblioteca de Machado de Assis e outras fontes. A autora a que nos referimos é mencionada frequentemente nos escritos machadianos. Observando isso, procuraremos percorrer esses escritos, cujo diálogo com Staël aparece em diversas fases da sua vida e da sua produção, no intuito de acompanharmos a leitura de Machado nesses diferentes momentos e o foco dado por ele ao caráter e à constituição da imagem da mulher de seu tempo. Para isso, levaremos em consideração a leitura do romance Corina ou a Itália, de Madame de Staël, obra que já circula no Rio de Janeiro desde as primeiras décadas do século XIX e referida, dentre outros escritos, no romance Esaú e Jacó, de Machado de Assis. Como orientação teórico-metodológica, nos basearemos no conceito de Transferências Culturais (ESPAGNE, 2017), conceito que relativiza a reflexão tradicional de historiografia diante das relações intertextuais e das trocas culturais. Dando enfoque à circularidade dos objetos culturais e atentando para os caminhos históricos, percursos e trajetos, este método possibilita o alargamento do nosso campo de visão para um movimento transnacional dentro de um espaço cultural, também nacional. Utilizando como base este conceito teórico e método, a partir de Michel Espagne, nos orientaremos ainda nos estudos do projeto temático “Circulação Transatlântica dos Impressos: a globalização da cultura no século XIX (1789-1914)” sob coordenação de Jean-Yves Mollier (Université de Versailles Saint-Quentin-em-Yvelines) e Márcia Abreu (Universidade Estadual de Campinas).


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 1803529 - REGINA SIMON DA SILVA
Interna - 3351552 - ROSANNE BEZERRA DE ARAUJO
Presidente - 1423480 - WIEBKE ROBEN DE ALENCAR XAVIER
Notícia cadastrada em: 19/08/2019 15:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa28-producao.info.ufrn.br.sigaa28-producao