Banca de DEFESA: KALINA ALESSANDRA RODRIGUES DE PAIVA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KALINA ALESSANDRA RODRIGUES DE PAIVA
DATA : 29/07/2019
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório Comunica - TV-U
TÍTULO:

S. Bernardo dos Ventos Uivantes:

 

             um percurso marxista no calor da luta de classes


PALAVRAS-CHAVES:

Literatura e Luta de classes. Marxismo. Memória e narração.


PÁGINAS: 120
RESUMO:

S. Bernardo dos Ventos Uivantes: um percurso marxista no calor da luta de classes propõe uma leitura ensaística e comparativa entre O morro dos ventos uivantes, de Emily Brontë, e S. Bernardo, de Graciliano Ramos. Costurada com a perspectiva marxista, a tese ressalta as formas de percepção dos séculos XIX e XX, a mentalidade social e a ideologia de suas respectivas épocas, e seus reflexos estéticos no resultado literário. Para tanto, como objetivo-geral, estudou as formas literárias do romance nos referidos séculos, analisando o espaço social em que as obras foram gestadas, investigando contexto, relações de produção e estética como pontuadores das narrativas, observando de que forma a mentalidade social dessas épocas são condicionadas pelas relações sociais. Além disso, confrontou o tempo do enunciador e o tempo da enunciação como estratégias para o desdobramento das narrativas, sob a forma de memórias, apontando elementos estéticos como demarcadores das relações de poder, tanto refletidos na linguagem, quanto na estrutura dos romances, demonstrando, assim, o uso da memória como meio de captação de tempo e de espaço específicos e o modo como as relações de classe são experienciadas, legitimadas e perpetuadas. As escolhas metodológicas valeram-se de ampla pesquisa bibliográfica relativa ao tema, reportando-se a outras obras literárias como contraponto, recorrendo ao método materialista dialético-literário, sob o crivo do pensamento marxista como também de autores posteriores que se vincularam a Marx através de desdobramentos de suas teorizações. Como resultado, a título de contribuição acadêmica, apresenta uma visão sobre a propriedade privada como constituinte de identidades e propõe um conceito – de empoderamento narrativo – que se estende para qualquer obra literária que tenha sido produzida em contextos históricos nos quais há silenciamento de falas; nos quais há luta pela igualdade civil; ou nos quais se vive em regimes opostos ao Estado democrático de direito. Bosi, Eagleton, Konder, Marx, Engels, Federici, Löwy, entre outros, proporcionaram o embasamento deste trabalho.

 

 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 028.795.518-46 - MARCOS FALCHERO FALLEIROS - UFRN
Interno - 1299003 - DERIVALDO DOS SANTOS
Externo ao Programa - 41838 - CARLOS EDUARDO GALVAO BRAGA
Externa à Instituição - MARÍLIA GONÇALVES BORGES SILVEIRA
Externo à Instituição - WELLINGTON MEDEIROS DE ARAUJO - UERN
Notícia cadastrada em: 22/07/2019 17:07
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao