Banca de DEFESA: WILLAME SANTOS DE SALES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : WILLAME SANTOS DE SALES
DATA : 19/07/2019
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO D DO CCHLA
TÍTULO:

IMPLICAÇÕES DO CICLO DO ALGODÃO SERIDOENSE NA TECITURA ESTILÍSTICA DOS ROMANCES RURAIS DE JOSÉ BEZERRA GOMES


PALAVRAS-CHAVES:

José Bezerra Gomes. Romances rurais. Ciclo do Algodão. Estilo. Poética do Algodão. 

 


PÁGINAS: 226
RESUMO:

Esta tese tem por objetivo central criar inteligibilidades acerca das implicações do Ciclo do Algodão seridoense na tecitura estilística dos seguintes romances de temática rural do escritor currais-novense José Bezerra Gomes: Os Brutos (1938), Ouro Branco (inédito) e A Porta e o Vento (1974). Para tanto, assume, do ponto de vista teórico-metodológico, os postulados do Círculo de Bakhtin, especialmente, as concepções de linguagem, de enunciado literário, de cronotopo, de vozes sociais, de estilo e de autor-criador. A pesquisa situa-se no escopo da Linguística Aplicada e adota, como fundamento metodológico, o paradigma indiciário-interpretativista de base sócio-histórica. Durante o percurso investigativo, as análises dos três romances possibilitaram perscrutar diversas vozes sociais e diversos discursos estratificados, atravessados por (e refratários de) visões de mundo em constante embate dialógico e ideológico, os quais contribuem para a tecitura do estilo bezerriano nos romances, principalmente: 1) vozes defensoras do casamento e do modelo patriarcal de família e vozes contestadoras desses discursos; 2) imagens antagônicas de sertão, negação de estereótipos e assunção de descrições de sertão valoradas positivamente; e 3) dialogizações em torno do título das obras e a poetização da linguagem prosaica. A pesquisa revela, em sede de conclusão: 1) o gerenciamento e o acabamento dados pelo autor-criador ao coro de vozes e de discursos presentes nas obras imprime aos enunciados um tom social-individual, um posicionamento socioideológico-estilístico diferenciado frente aos discursos circulantes na cadeia discursiva de que fazem parte; e 2) essa tecitura estilística das obras é perpassada pelo ideário do cronotopo do Ciclo do Algodão seridoense, configurando o que se nomeou de Poética do Algodão. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149420 - MARIA DA PENHA CASADO ALVES
Interna - 1168633 - MARILIA VARELLA BEZERRA DE FARIA
Interno - 1000286 - ORISON MARDEN BANDEIRA DE MELO JUNIOR
Externo à Instituição - ISABEL CRISTINA MICHELAN DE AZEVEDO - UFS
Externo à Instituição - JOAO MARIA PAIVA PALHANO - IFRN
Notícia cadastrada em: 26/06/2019 14:23
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao