Banca de DEFESA: CLARICE DA CONCEIÇÃO MONTEIRO DE LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CLARICE DA CONCEIÇÃO MONTEIRO DE LIMA
DATA : 03/07/2019
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório 3 do Instituto Àgora
TÍTULO:

O Discurso Religioso do Alcorão: Formação Teórica, Ideológica e Identitária para o Feminismo Islâmico


PALAVRAS-CHAVES:

Feminismo Islâmico. Dialogismo. Identidade. Discurso religioso do Alcorão. Mulher muçulmana.


PÁGINAS: 117
RESUMO:

Esta pesquisa visa compreender a relação dialógica que existe entre o discurso religioso do Alcorão e a constituição teórica, ideológica e identitária do feminismo islâmico. Para tanto, foram cotejados dialogicamente excertos selecionados de entrevistas de três feministas islâmicas que teorizam sobre o feminismo islâmico e/ou militam pela causa das mulheres no Marrocos em consonância com os versículos do Alcorão, a fim de entender como o discurso presente no Alcorão é capaz de influenciar a construção da teoria feminista islâmica e constituição identitárias dessas mulheres em particular, bem como das demais mulheres nessa sociedade. Para analisar esse fenômeno recorreu-se a diferente tipos de literaturas. Para analisar a relação dialógica dos versículos com os enunciados das feministas islâmicas, utilizou-se a teoria desenvolvida pelo Círculo de Bakhtin (2002; 2007; 2010; 2015), Volochinov (2010), especificamente no que tange o conceito de dialogismo, enunciado, ideologia e vozes sociais. Para entender a construção das identidades dessas mulheres, foi indispensável recorrer aos estudos culturais para construir a compreensão da identidade sob a visão de Stuart Hall (2003; 2005; 2006; 2013), Woodward (2013). Além das teorias de análises, esta pesquisa também buscou referência tanto nas teorias feministas ocidentais, para historiar o feminismo no Ocidente: Consolim (2017) Ângela Davis (1982) Butler (1990), quanto na teoria feminista islâmica, para entender sua constituição: Asma Lamrabet (2007/2012/2015), Stéphanie Latte Abdallah (2010/2012), Margot Badran (2010), Souad Eddouada e Renata Pepicelli (2010), e Malala Yousafzai (2013) Zahra Ali (2012) Cila Lima (2014). Como resultado, considerou-se que a presença do discurso religioso corânico dentro do discurso feminista islâmico proporciona uma proximidade entre as demandas da vertente, uma vez que os direitos reivindicados possuem base religiosa, sendo possível a conciliação com a religião por elas professada. Além disso, percebeu-se que os enunciados demonstraram que o discurso corânico perpassa as vozes das três feministas/militantes e refrata-se para todos os domínios de suas vidas, o que evidentemente, impacta em suas identidades enquanto muçulmanas e defensoras dos direitos das mulheres.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2211871 - RENATA ARCHANJO
Interna - 1149420 - MARIA DA PENHA CASADO ALVES
Externo à Instituição - JOSE CEZINALDO ROCHA BESSA - UERN
Notícia cadastrada em: 12/06/2019 10:02
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao