Banca de DEFESA: JOAO VICTOR COSTA TORRES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOAO VICTOR COSTA TORRES
DATA : 08/03/2019
HORA: 14:00
LOCAL: a definir
TÍTULO:

O TESTEMUNHO DO CUIDADO DE SI NO PRESENTE: MODOS DE SUJEIÇÃO NA MÍDIA EVANGÉLICA


PALAVRAS-CHAVES:

Linguística Aplicada; Discurso; Testemunho; Subjetividade; Cuidado de si.


PÁGINAS: 162
RESUMO:

 

 

Esta pesquisa, situada no campo de estudos da Linguística Aplicada (L.A), objetiva analisar como ocorre a produção de subjetividade e os modos de sujeição nos testemunhos de fé da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), quando essas narrativas de si discursivizam uma experiência de felicidade. Para isso, busca apoio no momento derradeiro das análises de Michel Foucault (1984, 1985, 2010c), isto é, o instante ético. Os cinco testemunhos que compuseram o corpus estão localizados no espaço virtual, em um canal particular da IURD na internet. A metodologia, de natureza qualitativa, delineada por meio da Análise do Discurso (AD), teve como ponto de partida a noção de cuidado de si, resgatada por Foucault (1984, 1985, 2010c). Partindo do pressuposto da descontinuidade, oferece uma chave de inteligibilidade para o gênero discursivo testemunho de fé, por meio de quatro prescrições analíticas: a ruminação, a bifurcação, a vitrine discursiva e a incitação. O exame chega a algumas inferências, quais sejam: os modos de sujeição, embora distintos, compartilham de uma concepção antitrágica e dialética da existência. As condutas circunscrevem o desejo à falta e não à produção. Essa perspectiva deu àquelas subjetividades um traço de dependência do outro. O modo empresarial ou de capital humano, ancorado no lastro da teologia da prosperidade, também se torna presente nas narrativas, especialmente na enunciação de uma felicidade de bem-estar pessoal. As tecnologias do eu, como a ideia de sacrifício e jejum, tem atualização pelos diagramas do poder. Elas despontam pelas vias do consumo, do acúmulo e pelo desejo de recompensa. Finalmente, as imagens identitárias ou narcísicas – apoiadas em sua maioria, pela esteira da produtividade e pelo desejo de uma felicidade crônica – produziram outro acabamento nos fenômenos da parrhesia, da conversão e da salvação, temas ancestrais do cuidado de si.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1350248 - ADRIANO LOPES GOMES
Externo à Instituição - AVELINO ALDO DE LIMA NETO
Interna - 1476540 - CELLINA RODRIGUES MUNIZ
Externo ao Programa - 1961635 - DANIEL DANTAS LEMOS
Externo à Instituição - GILTON SAMPAIO DE SOUSA
Notícia cadastrada em: 12/02/2019 15:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa28-producao.info.ufrn.br.sigaa28-producao