Banca de QUALIFICAÇÃO: TERESA RAQUEL SOUSA PAIVA DE OLIVEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : TERESA RAQUEL SOUSA PAIVA DE OLIVEIRA
DATA : 20/12/2018
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO C
TÍTULO:

CONSTRUÇÃO E DESCONSTRUÇÃO DE IMAGENS DE SI E DO OUTRO EM QUEIXA-CRIME REFERENTE A DELITOS CONTRA A HONRA


PALAVRAS-CHAVES:

 Queixa-crime. Crime contra honra. Construção e desconstrução de imagens.


PÁGINAS: 50
RESUMO:

O presente estudo, de natureza qualitativa e documental, tem como objeto de análise um processo judicial movido pelo querelante em desfavor do querelado. A peça introdutória dos autos é uma queixa-crime, elemento essencial da ação penal exclusivamente privada, a saber, quando a persecução penal se dá pela iniciativa do ofendido. Nosso trabalho tem como objetivo centraldescrever e analisar como é construída a “imagem” e o “ethos” do querelante e, em contrapartida, do querelado,  na queixa-crime impetratada pelo prefeito,de Campina Grande-PB, Veneziano Vital do Rego contra o humorista Francisco Jozenilton Veloso, conhecido pelo nomeartístico de “Shaolin”.Para tanto, foi necessário seguir demandas que se colocaram enquanto objetivos específicos, sejam eles: 1. Que estratégias e expedientes lingüísticos e enunciativos o querelante utiliza para desconstruir a imagem que lhe foi criada pelo querelado e, por outro lado, construir uma imagem de si mesmo? 2. Que estratégias e expedientes linguísticos e enunciativos o querelado utilizou para construir sua própria imagem e  (des)construir a imagem do  querelante? 3. Em quais discursividades o querelante e o querelado sustentam as imagens que lhes são construídas? Nesse jogo de estratégias enunciativas, observamos que o querelante, também ele, não apenas se defende, mas busca destruir e construir uma imagem do querelado, diferente daquela que este (o querelado) havia construído de si mesmo. As estratégias utilizadas foram de natureza variada, das quais destacamos: argumentos de autoridade, acusação do querelado como criminoso, uma vez não haver provas de acusações contra o querelante, disposição de vozes que sustentam a boa imagem do querelante, desvalorização do querelado e da profissão que ele exerce, etc. Teoricamente, buscamos, prioritariamente, dentre as possibilidades teóricas com as quais poderíamos analisar nossos dados, pressupostos teóricos e categorias de análise postuladas nos estudos argumentativos delineados por Amoussy (2005, 2011), Reboul (2004) e Plantin (1997), dentre outros.

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2226795 - MARIA HOZANETE ALVES DE LIMA
Interno - 1165367 - CLEMILTON LOPES PINHEIRO
Externo à Instituição - SILVIO LUIS DA SILVA - UFPB
Notícia cadastrada em: 17/12/2018 11:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa22-producao.info.ufrn.br.sigaa22-producao