Banca de DEFESA: JACIARA LIMEIRA DE AQUINO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JACIARA LIMEIRA DE AQUINO
DATA : 26/11/2018
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório do CCHLA a ser definido
TÍTULO:

O ensino de argumentação em eventos de letramento


PALAVRAS-CHAVES:

Projeto de letramento. Evento de letramento. Princípios do ensino de argumentação. Habilidades ligadas à argumentação.


PÁGINAS: 200
RESUMO:

O ensino de Língua Portuguesa (LP) no Brasil tem passado por uma série de mudanças. Isso pode ser justificado a partir de diferentes questões teóricas e metodológicas, como por exemplo, aquelas ligadas às concepções de língua(gem), leitura, escrita e texto. Essas mudanças estão relacionadas a iniciativas de ressignificação do ensino de LP, uma vez que o modelo estritamente normativo e impositivo não tem dado conta de compreender aspectos sociais da língua. No intuito de contribuir com esse processo de ressignificação, mais especificamente do ensino de argumentação, desenvolvemos, com uma turma de 9o ano do Ensino fundamental de uma escola pública estadual, localizada na cidade de Portalegre-RN, um projeto de letramento (KLEIMAN, 2000). Tal projeto teve como contextualização inicial inquietações quanto às eleições municipais de 2016 e, como problemática social situada, a falta de água potável no município. Nesse contexto, temos como objetivo geral ressignificar o ensino da argumentação por meio de eventos de letramento. Para isso, traçamos os seguintes objetivos específicos: (i) mapear práticas de letramento, especialmente aquelas ligadas a gêneros argumentativos, dos alunos participantes desta pesquisa; (ii) categorizar princípios do ensino da argumentação a partir de eventos de letramento (iii) analisar que habilidades relacionadas à competência da argumentação são desenvolvidas nesses eventos de letramento. Teoricamente, fazemos um percurso pela história da LP enquanto disciplina (SOARES, 2002; CORRÊA; LIRA, 2012); trazemos à baila a perspectiva social dos Estudos de Letramento (KLEIMAN, 1995); os projetos de letramento enquanto modelo didático (TINOCO, 2008); os conceitos de práticas de letramento (STREET [1995] 2014) e de eventos de letramento (HAMILTON, 2000); a noção de rede de atividades (OLIVEIRA; TINOCO; SANTOS, 2011); o que pode ser entendido como agência social e agentes de letramento (KLEIMAN, 2006; FERNANDES, 2015); e o que nomeamos de contínuo leitura-escrita-oralidade. Por fim, apresentamos diferentes perspectivas teóricas da argumentação (PERELMAN; OLBRECHTS-TYTECA, 2005; AMOSSY, 2018), bem como considerações acerca do ensino de argumentação (PLANTIN, 2008, 2010; CARVALHO, 20015; LIMA; PIRIS, 2017; SANTOS; AZEVEDO, 2017; SILVA, 2015). Metodologicamente, este estudo se insere na área da Linguística Aplicada (MOITA-LOPES, 2006), sendo de cunho social e interpretativo. Trata-se de uma pesquisa qualitativa (ANDRÉ, 1995), alicerçada nos moldes da pesquisa-ação (THIOLLENT, 1985), que contou com uma série de instrumentos de pesquisa: questionários, textos orais, escritos e reescritos, vídeos, fotografias e notas de campo. Do projeto de letramento que desenvolvemos, destacamos, neste estudo, dois eventos de letramento: um debate regrado e uma mesa-redonda. Ambos se organizaram a partir de situações-problema relacionadas à falta de água potável em Portalegre. A partir dos eventos de letramento que foram analisados, categorizamos os princípios do ensino de argumentação via eventos de letramento, quais sejam: problemática social situada; elementos visíveis e não visíveis; agência social e agentes de letramento; rede de atividades/gêneros discursivos; contínuo leitura-escrita-oralidade. Além disso, foi possível identificar um conjunto de habilidades ligadas à competência de argumentação. Em linhas gerais, esta pesquisa nos mostra que o ensino de argumentação por meio de eventos de letramento é algo viável e significativo que se justifica pelo fato de a argumentação ser tomada como um processo interacional. Dessa forma, os discentes aprendem a argumentar vivenciando a argumentação por meio de práticas sociais situadas, ou seja, aprende-se a argumentar, argumentando.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2087054 - GLICIA MARILI AZEVEDO DE MEDEIROS TINOCO
Interno - 1149420 - MARIA DA PENHA CASADO ALVES
Interno - 2226795 - MARIA HOZANETE ALVES DE LIMA
Externo à Instituição - ANGELA DEL CARMEN BUSTOS ROMERO DE KLEIMAN - UNICAMP
Externo à Instituição - DOROTEA FRANK KERSCH - Unisinos
Notícia cadastrada em: 19/10/2018 07:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa26-producao.info.ufrn.br.sigaa26-producao